Fundos de hedge apostam agressivamente em alta do Bitcoin

Moeda digital tem sido adquirida após enorme queda nos preços!

-

Siga no
Três Bitcoins
Três Bitcoins
Anúncio

Se a queda do Bitcoin foi marcante no mês de maio, o fim do mês mostra que uma nova perspectiva poderia mudar o cenário. Isso porque, alguns fundos de hedge tem apostado agressivamente em uma alta do Bitcoin.

Para um analista da Messari Crypto, o cenário é interessante, uma vez que o Bitcoin volta a ser especulado como promissor no futuro. Mesmo assim, o momento pode ser de cautela, e os fundos poderiam estar se arriscando.

Apesar da aposta de alta, um cenário de medo extremo tem sido visto por outro indicador. O início de semana começa positivo ao preço do Bitcoin, que já valoriza mais que 3%, cotado a R$ 32 mil por unidade.

Anúncio

Criptomoeda Bitcoin
Criptomoeda Bitcoin

Fundos de hedge apostam em alta de preço do Bitcoin

Os chamados fundos de hedge, ou de cobertura, são aqueles que investem em ativos alternativos. Essa classe de investimento permite aos administradores de fundos comprarem produtos além de bolsas tradicionais.

Neste sentido, muitos fundos de hedge já compram Bitcoin (BTC), a maior moeda digital do mundo. O Bitcoin deu nos últimos anos um grande retorno e, apesar de sua recente correlação com mercados tradicionais, possui uma oferta e demanda própria.

De acordo com um analista da Messari Crypto, Qiao Wang, a recente queda do Bitcoin chamou atenção destes fundos. Com isso, administradores de de fundos de hedge estariam, segundo Qiao, apostando agressivamente em uma alta do Bitcoin.

O analista afirmou que a medida é um pouco arriscada, principalmente pelo atual momento de indecisão da crise financeira de 2020. Para Qiao, os fundos devem observar o cenário macro com mais cautela e ter mais noção do gerenciamento de risco.

Gerenciar o dinheiro de outras pessoas é diferente de gerenciar o seu próprio dinheiro.

Bitcoin e Dólar
Bitcoin e Dólar

Outro analista crê que fundo de preço do Bitcoin foi alcançado com queda recente

No último dia 12 de março muitos traders perderam o sono, ao ver o preço do Bitcoin cair duramente 50% de seu valor. A queda, que tirou a moeda do preço em U$ 7600 mil, levou para U$ 3700 no mesmo dia.

Gráfico do Bitcoin do mês de março de 2020
Gráfico do Bitcoin do mês de março de 2020 – Reprodução/CoinMarketCap

O episódio, que foi marcante, mostrou o fundo de preços do Bitcoin para Tony Vays. O trader dizia acreditar que o Bitcoin iria valer U$ 2800 em breve, mas após a queda para U$ 3700, não acredita mais em uma queda brusca.

Para Vays, a queda só foi interrompida devido aos problemas que a BitMEX teve, ou seja, poderia ter sido pior. Mesmo assim, com o resultado deste episódio visto em março, Vays acredita que o fundo do Bitcoin é dezembro de 2018, sendo uma marca que não deve ser superada mais.

Em seu programa no YouTube, que conta com mais que 90 mil inscritos, o analista afirmou acreditar no potencial do halving do Bitcoin. Vays destacou que o halving deverá atuar no apoio de preço do Bitcoin.

Medo extremo continua no mercado de Bitcoin, mesmo patamar de 2018

Se alguns já miram altas valorizações do Bitcoin, apostando na alta do preço do BTC, sinais revelam uma contradição. Isso porque, de acordo com o Índice de Medo do Bitcoin, o cenário está extremo.

O site alternative.me acompanha o medo do mercado diariamente, com gráficos de medo do Bitcoin. Em relação ao atual momento vivido pela moeda digital, o início de semana começa com tom de cautela.

O gráfico aponta que o medo está extremo com o preço do Bitcoin, uma vez que registrou nesta segunda (30) o valor 10. O índice varia de 0 a 100, sendo o limite mínimo relacionado ao medo e o máximo sendo medido otimismo.

Medo do Bitcoin na segunda 30/03/2020 é extremo, mesmo patamar de 2018
Medo do Bitcoin na segunda 30/03/2020 é extremo, mesmo patamar de 2018 – Reprodução/Alternative.me

De fato, a medida chama muita atenção para cautela dos investidores, porque a última vez que chegou na marca foi em dezembro de 2018. Cabe o destaque que aquele foi um dos meses que a moeda mais desvalorizou.

Após dezembro de 2018, a marca de medo do Bitcoin foi baixa em agosto de 2019. Naquele mês a moeda oscilou de U$ 9 mil para U$ 12 mil, recuando para a marca inicial novamente em menos de 30 dias.

Por fim, não se sabe se o medo extremo do mercado será de longo prazo, medida que poderia atrapalhar a posição dos fundos de hedge em relação a uma alta do Bitcoin.

Siga o Livecoins no Google News para receber nossas notícias em tempo real.
Curta nossa página no Facebook e também no Twitter.
Receba também no email se cadastrando em nossa Newsletter.
Gustavo Bertolucci
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.

Leia mais

Leia mais sobre:

Últimas notícias

Preço do Bitcoin valorizou 1600% desde último debate para presidente dos EUA

Nos EUA, assim como no Brasil, o mandato de um presidente dura quatro anos. Com o debate entre Trump e Biden na noite da...

Exame Research destaca Bitcoin em lançamento

A Exame Research está lançando uma nova casa de análise e destaca o Bitcoin nesse lançamento. Com uma divisão focada nas criptomoedas, o analista...

Coluna do TradingView: Estudo da Semanal – BTC, NEO, BAT e Lend

Bitcoin em claro momento de distribuição no topo de 10mil dólares. Confira como os analistas do TradingView estão olhando para as Criptomoedas durante esse...