Gráfico mostra onde vivem os verdadeiros usuários de bitcoin

Uma prova que o Bitcoin cumpre o que veio a fazer.

Siga no
a arte do bitcoin
A Arte do Bitcoin

De acordo com a firma de investimentos Passport Capital, o volume de negociações de Bitcoin no LocalBitcoins, site para compra e venda da moeda digital mostra que o volume de bitcoin nos mercados desenvolvidos está acompanhando o preço, enquanto o volume nos mercados emergentes se estabilizou e continua crescendo sem levar em conta o preço.

Isso implicaria que traders de mercados desenvolvidos estão especulando, enquanto os traders de mercados emergentes usam o Bitcoin para serviços públicos.

Embora o volume em ambos os mercados tenha aumentado em dezembro de 2017, quando o Bitcoin atingiu seu maior valor, de quase US $ 20.000, em tempos seguintes, eles seguiram direções muito diferentes. O volume de Bitcoin nos mercados desenvolvidos continuou caindo até atingir uma baixa não vista desde janeiro de 2016, e então começou a subir novamente, parcialmente com a recente recuperação do mercado.

Enquanto isso, o volume nos mercados emergentes caiu muito menos e permaneceu nos mesmos limites desde meados do primeiro semestre de 2018 – e quanto mais tempo passava, mais se estabilizava.

Mercado desenvolvido vs Mercado emergente
Mercado desenvolvido vs Mercado emergente. Local Bitcoins

Esses dados indicam que traders dos mercados desenvolvidos estão especulando sobre o preço e tentando ganhar dinheiro com a volatilidade do mercado, enquanto traders de mercados emergentes estão usando Bitcoin para serviços publicos.

Parte da razão pode ser o fato de que os mercados desenvolvidos não precisam do Bitcoin como sistema de pagamentos, enquanto os mercados emergentes geralmente têm uma moeda fiduciária mais volátil. Então eles tendem a tentar evitá-lo, optando por métodos de pagamento alternativos, sempre que puderem.

Um exemplo – e o mais comumente citado – é a Venezuela, onde a hiperinflação atingiu 80.000% em 2018, tornando o bolívar inútil.

Os venezuelanos têm recorrido cada vez mais ao uso de criptomoedas ao longo da crise socioeconômica e política do país, e as motivações por trás disso foram parte do debate entre o economista americano Nouriel Roubini e o co-fundador da Ethereum, Vitalik Buterin, na Conferência de Deconomia. Seul na quinta-feira.

Roubini, por exemplo, afirma que a adoção de criptomoedas na Venezuela é uma exceção e não deve ser vista como o início de uma regra rígida e rápida. Buterin discorda: em sua opinião, o caso da Venezuela era “mais relacionado a criptomoedas do que combater a inflação. Trata-se de procurar meios alternativos de proteger os ativos ”.

Enquanto isso, pessoas nos mercados emergentes, como África e Ásia, estão começando a usar moedas digitais para transações, Magdalena Golebiewska, chefe da região do leste europeu em Luno, disse a Cryptonews.com que em 2025, até 50% da população mundial viverá nos mercados emergentes.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Mateus Nuneshttps://livecoins.com.br
Fundador do Livecoins. Analista de Sistemas, entusiasta de criptomoedas e blockchain. Tradutor do site Bitcoin.org

Ethereum queima 1 bilhão de dólares após atualização

A ativação do EIP-1559 ocorreu há 41 dias e hoje o total de ethers queimados chegou a marca de 1 bilhão de dólares, cerca...

Apple proíbe carteiras de NFTs

Ao tentar lançar a sua carteira para dispositivos iOS, a equipe da Gnosis Safe foi impedida de enviar o seu aplicativo para a App...
Palco com destaque a cadeiras e Bitcoin ao fundo Elon

Revista Time coloca Elon Musk, criador do Ethereum e Luiza Trajano em lista de...

A Time Magazine liberou nesta quarta-feira (15) a lista das "100 Pessoas mais Influentes de 2021", dando destaque a Elon Musk e Vitalik Buterin,...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias