Grupo Bitcoin Banco chama Polícia para manifestantes

Desde maio deste ano, investidores do Grupo Bitcoin Banco não conseguem realizar saques nas exchanges da empresa, a Negocie Coins e a TemBtc.

Siga no
manifestacao-grupo-bitcoin-banco-curitiba
Cartazes feitos pelos investidores. Foto: Lucas Marins/Livecoins

Investidores do Mirassol d’Oeste (MT), cidade que fica a pouco mais de 2.000 quilômetros de Curitiba (PR), continuam a protestar em frente à sede do Grupo Bitcoin Banco, no centro da capital paranaense, nesta quinta-feira (24).

“Vamos ficar aqui até o Claudio Oliveira (um dos donos da empresa) pagar o que deve. Queremos o nosso dinheiro”, disse o investidor Jacimar Alves Cabral, 31. Além dele, outros oito investidores do Mato Grosso , que chegaram a Curitiba no início desta semana, participam da manifestação.

Polícia militar esteve no local, segundo investidor

Pela manhã, de acordo com Cabral, quatro policiais militares estiveram no local, a pedido dos advogados do grupo. Esses advogados alegaram, disse, que ele e os outros manifestantes estariam cometendo agressão verbal, já que seguravam cartazes com frases “rei do bitcoin não me paga” e “gbb maior golpe da história”.

Policias foram até o local da manifestação. Foto: Reprodução/WhatsApp

“Quando os policias chegaram, no entanto, simplesmente olharam nossos cartazes e falaram que poderíamos continuar a manifestação, pois o protesto é um direito constitucional”, falou Cabral.

A Constituição Federal brasileira, em seu artigo 5º, garante a “liberdade de reunião”, desde que os participantes não estejam anônimos (usando máscaras ou algo do tipo). Na manifestação desta quinta e na da quarta-feira (23) ninguém escondeu o rosto.

O Grupo Bitcoin Banco foi contatado pela reportagem do Livecoins, mas não comentou a manifestação. Apenas informou que em breve fará um comunicado sobre os pagamentos.

Veja o vídeo da manifestação em frente à sede do Grupo Bitcoin Banco:

Entenda o caso

Desde maio deste ano, investidores do Grupo Bitcoin Banco não conseguem realizar saques nas exchanges da empresa, a Negocie Coins e a TemBtc. Na época, o grupo alegou que foi vítima de uma ação criminosa de clientes, que aproveitaram uma brecha no sistema e duplicaram seus saldos. O prejuízo teria sido de R$ 50 milhões.

Nos últimos meses, a Polícia Militar do Paraná cumpriu mandados de busca e apreensão na sede do grupo e nos imóveis do empresário Claudio Oliveira. No mesmo mês, Oliveira também teve bens bloqueados e o passaporte retido pela justiça do Paraná.

O grupo alega ainda que os pagamentos a investidores estão bloqueados por causa de processos judiciais abertos ao longo dos últimos meses. Só na Justiça do Paraná há pouco mais de 100 ações contra a empresa e seus proprietários.

Compre Bitcoin na Coinext

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br.



Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Leia mais sobre:
Lucas Gabriel Marins
Jornalista desde 2010. Escreve para Livecoins e UOL. Já foi repórter da Gazeta do Povo e da Agência Estadual de Notícias (AEN).
Bandeira da Rússia e moedas de Bitcoin

Rússia quer banir mineração e uso de Bitcoin

O Banco Central da Rússia emitiu um documento de consulta nesta quinta-feira (20) intitulado Criptomoedas: Tendências, riscos e regulação, cujo principal foco é influenciar...

NFT é bolha? NFT é investimento? Para que serve?

Neymar, Stephen Curry, Eminem, Lil Baby, e Snoop Dogg, são algumas das celebridades que entraram na onda dos Bored Apes Yacht Club, uma série...

Falsa criptomoeda da Amazon, golpistas usam técnicas refinadas

Segundo relatório da Akamai, empresa americana de serviços de internet, golpistas estão usando técnicas refinadas para atrair vítimas. Neste caso, os criminosos estão usando...
.

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias