Harvard e outras universidades estão comprando Bitcoin

Em um relatório publicado este mês a Coinbase mencionou "fundos patrimoniais" entre os clientes que têm investido em criptomoedas.

Siga no

Diversas universidades dos Estados Unidos estão comprando Bitcoin discretamente há pelo menos um ano, de acordo com informações do CoinDesk. Harvard, Yale, Brown a Universidade de Michigan e várias outras estariam comprando criptomoedas diretamente em corretoras como a Coinbase.

Uma fonte que pediu para não ser identificada disse ao site que as compras estão acontecendo desde meados de 2019, “a maioria já faz por pelo menos um ano. Eu acho que eles provavelmente irão discutir isso publicamente em algum momento deste ano. Eu suspeito que eles tiveram bons retornos [com o investimento].”

As universidades possuem um patrimônio gigante oriundo de doações. No topo da lista, sem surpresa, está ninguém menos que a Universidade de Harvard, com um valor aproximado de US $ 40 bilhões, o que a torna a mais rica dos EUA e também do mundo.

Essas doações são compostas por dinheiro e outros ativos doados a instituições acadêmicas. As doações para as universidades são a principal fonte de fundos patrimoniais.

Atualmente, globalmente falando, os fundos patrimoniais administram mais de US$ 1,5 trilhão, eles são fontes de financiamento para pesquisas, artes e educação. Os fundos de Harvard e Yale estão entre os maiores do mundo.

Maiores Fundos Patrimoniais
Maiores Fundos Patrimoniais

Yale tem mais de US $ 27 bilhões, Michigan US $ 12 bilhões, e Brown tem quase US $ 5 bilhões. Segundo a matéria, não se sabe quanto cada uma alocou em criptomoedas, mas provavelmente é uma porcentagem de seus ativos totais.

Nenhuma das universidades quiseram comentar quando questionadas pelo site. A Coinbase também não quis falar sobre o assunto, contudo, em um relatório publicado este mês a corretora mencionou “fundos patrimoniais” entre os clientes que têm investido em criptomoedas.

Adoção institucional

Em 2018 o diretor de investimentos da Universidade de Yale ficou famoso ao apoiar dois fundos de risco focados em criptomoedas. Várias outras universidades seguiram o exemplo, incluindo a Harvard, Stanford, MIT, e outras.

Conforme disse a fonte ao Coindesk, várias dessas universidades estão agora dando um passo adiante e investindo diretamente em criptomoedas.

O aumento da adoção institucional tem sido um dos maiores destaques do mercado no último ano. O Bitcoin, a maior criptomoeda, valorizou mais de 300% em 2020 e tem alta acumulada de 9% este ano.

Grandes investidores institucionais são apontados como catalizadores dessa alta, se a informação for confirmada e anunciada pelas universidades no próximos dias, como disse a fonte ao Coindesk, é possível que a moeda digital tenha um novo ciclo de alta.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Livecoins
Livecoins
Livecoins é um portal de blockchain e criptoeconomia focado em notícias, artigos, análises, dicas e tutoriais.
Tesla. Imagem: Shutter Stock

Elon Musk diz que Tesla voltará a aceitar Bitcoin

A Tesla começará a aceitar Bitcoin novamente quando a maior parte do processo de mineração da criptomoeda for realizado por fontes de energia renováveis,...
Bitcoin regulação. Imagem: ShutterStock

Deutsche Bank diz que Bitcoin “passou dos limites” e não pode mais ser ignorado

A popularidade crescente do Bitcoin está incomodando governos e bancos centrais. A gota d'água foi a legalização da criptomoeda em El Salvador. De acordo...
Bitcoin Liberdade

Bitcoin, o novo Índice de Liberdade Econômica

Bitcoin pode ser a medida de liberdade mais neutra do mundo que nenhum país pode acusar de ter preconceito ocidental, ao contrário de alguns...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias