Como identificar endereços de uma mesma carteira de Bitcoin

Caso você utilize bitcoin em diversas situações com muitas pessoas diferentes, pode ser interessante ter uma carteira para cada situação.

-

Siga no
Como identificar endereços de uma mesma carteira de Bitcoin
Imagem: Unsplash.com
Anúncio

Você sabia que qualquer um pode identificar endereços que pertençam a uma mesma carteira de Bitcoin? E é bastante simples, qualquer um pode faze-lo, sendo apenas necessário usar o site WalletExplorer.com e inserir o endereço público (aquele que usado para receber bitcoins).

Entre no site e insira um endereço seu como teste. Você pode ficar surpreso ao ver que vários dos seus endereços estão conectados.

Este é um ponto pouco conhecido sobre a privacidade do Bitcoin, e é importante que seja divulgado. Não basta criar um novo endereço para cada transação, se o saldo deles for usado em uma mesma transação no futuro.

Anúncio

Como é possível identificar endereços de uma mesma carteira?

Sempre que você gera um novo endereço na sua carteira e recebe fundos, esse fundos ficam associados a esse endereço. Se você usar fundos de vários endereços ao mesmo tempo, na mesma transação, fica claro que a sua carteira possui as chaves privadas de ambos os endereços. Dessa maneira, os dois endereços pertencem a mesma carteira, e, consequentemente, a mesma pessoa.

Veja a transação abaixo como exemplo, para ilustrar e facilitar o entendimento.

Transação de Bitcoin, com endereços de uma mesma carteira.
Transação de Bitcoin, onde os três primeiros endereços à esquerda (inputs) pertencem à mesma carteira, a qual possui a chave privada dos três endereços. fonte:blockchain.com

No caso da transação da figura acima, o dono dos fundos possuía pelo menos 0.0491 btc em sua carteira, em três endereços. Ele precisou transacionar 0.0468 para outro endereço, recebendo como troco 0.0022. Para realizar essa transação, ele precisou consumir os fundos dos três endereços à esquerda.

Ao inserir qualquer um desses endereços no WalletExplorer.com e clicando em Show Wallet Addresses, é facilmente verificado que a carteira em questão possui esses três endereços. O resultado pode ser visto abaixo:

Endereços identificados como de uma mesma carteira. fonte: WalletExplorer.com

Então, o mencionado site apenas pesquisa por transações nas quais vários inputs de mais de um endereço foram usados juntos, e relaciona esses mesmos endereços em uma wallet. Contudo, não para por aí. Caso um dos três endereços seja utilizado novamente junto com outro endereço, esse quarto endereço também é identificado como pertencente a mesma carteira.

Como isso acontece? Bitcoin não é anônimo?

Isso acontece porque o blockchain é um banco de dados aberto. Mais aberto e mais transparente do que qualquer conta bancária. O Bitcoin não é anônimo, e tudo feito na rede é registrado e fica gravado para sempre no blockchain. Dessa forma, toda transação é pública, rastreável e registrada.

O Bitcoin permite uma certa privacidade, porém apenas se usado da forma correta. Com a popularização do seu uso é cada vez mais importante que usemos corretamente as ferramentas a nossa disposição, afim de proteger nossa privacidade e nossa segurança.

Aprenda a proteger sua privacidade

Utilize cada endereço uma única vez

Quando você recebe fundos em um endereço, esse endereço e todo o seu histórico de transações está aberto para ser visto por qualquer um. Como eventualmente você precisa se identificar para receber produtos ou comprar bitcoins em exchanges, alguns dos seus endereços podem ser ligados à sua pessoa.

Uma das práticas de privacidade mais divulgadas é nunca reutilizar um mesmo endereço. Ou seja, sempre que você for fazer uma transação, crie um novo endereço na sua carteira para receber os fundos. A maioria das carteiras inclusive já cria um novo endereço automaticamente a cada nova transação.

Essa é uma ótima pratica, sendo dúvida, pois impede que as pessoas com que você transaciona saibam todo o seu histórico e saldo. Contudo, essa prática não é suficiente. Caso você não preste a devida atenção, e consuma um grande número de inputs de uma única vez na mesma transação, você acabará revelando quais endereços você controla, e os mesmos serão facilmente conectados e ligados à sua pessoa no futuro.

Utilize uma carteira adequada

Primeiramente, você deve procurar utilizar uma carteira que permita que você controle os seus inputs, isto é, quais endereços serão usados em uma transação. Como já mencionado nesse artigo, uma carteira de qualidade que permite um controle maior sobre suas chaves privadas e seus inputs irá, além de melhorar sua privacidade, reduzir o custo das suas transações.

A minha indicação é a carteira Electrum, versão para Desktop. A Electrum é ainda compatível com as principais Hardware wallets do mercado, de forma que você nem precisa utilizar outro software para controlar seus bitcoins, mesmo utilizando uma Ledger ou Trezor. (atenção: A Electrum deve ser baixada somente do site Electrum.org. Não existe nenhum outro site oficial, e todos os outros são phising.)

E como controlar seus inputs e endereços na Electrum? Muito simples. Clique em Menu > Show Coins. Depois clique na aba nova que surgiu (Coins). Nessa aba você irá encontrar todos os seus inputs, seus respectivos endereços e saldos. Nesse ponto você pode escolher quais inputs gastar (spend) na transação, e quais você não quer gastar (Freeze). Veja na figura abaixo.

Coins tab
Como escolher quais inputs consumir em uma transação na Electrum. Imagem: https://bitcoinelectrum.com/how-to-spend-specific-utxos-in-electrum/

Tenha mais de uma carteira

Caso você utilize bitcoin em diversas situações com muitas pessoas diferentes, pode ser interessante também ter uma carteira para cada situação. Por exemplo, você pode ter uma carteira para assuntos pessoais e outras para o trabalho.

As hardware wallets da Ledger e Trezor permitem que você crie mais de uma carteira no mesmo dispositivo, simultaneamente, adicionando uma passphrase. Dessa forma, como os bitcoins estão em carteiras diferentes, eles não podem ser gastos na mesma transação.

Outra opção seria ter uma carteira no celular, com menor segurança, para pequenos gastos do dia a dia e transações mais corriqueiras, onde a sua privacidade não é tão importante. Deixando a maior parte dos seus fundos em outra carteira, de preferência uma hardware wallet.

Considere utilizar um mixer

Existem alguns serviços online chamados de mixers, que misturam seus bitcoins com os de outras pessoas, reduzindo em muita a sua rastreabilidade. É importante saber que o uso de mixers não é permitido em todos os países e jurisdições. Adicionalmente, quando você envia seus bitcoin para um mixer, você está confiando-os à esse prestador de serviço, que pode ser honesto ou não.

icon
Serviços de bitcoin mixer. Imagem: bitcoin.org

Mixers não são mágicos: eles oferecem apenas um pseudo anonimato, pois mesmo utilizando-os ainda é possível rastrear a origem dos fundos, caso o volume seja muito alto.

Siga o Livecoins no Google News para receber nossas notícias em tempo real.
Curta nossa página no Facebook e também no Twitter.
Receba também no email se cadastrando em nossa Newsletter.
Marcello
Marcello
Escreve sobre a tecnologia, blockchain, investimentos e notícias sobre criptomoedas. Certificado (CBP) pelo CryptoCurrency Certification Consortium (C4).

Leia mais

Últimas notícias

Entenda as semelhanças e diferenças entre o mercado tradicional e cripto

São Paulo, outubro de 2020. Entender o mercado de investimentos é uma das principais atitudes que o investidor deve ter para se arriscar nesse...

Vítima envia R$ 440 mil em Bitcoin para endereço errado e perde tudo

Os malwares continuam apresentando vários riscos para os investidores, com alguns casos desses softwares mal intencionados roubando muito dinheiro de suas vítimas. Em um...

Evento de startups fala sobre criptomoedas na próxima terça

Um evento de startups fala sobre as criptomoedas na próxima terça, totalmente online. Promovido por grandes empresas como a Ambev, Bradesco, Dínamo e Salesforce,...