Maior banco estatal da China elogia Bitcoin e Ethereum

A China é a segunda maior potência do mundo, ficando atrás apenas dos EUA, com um PIB de US$ 17,9 trilhões. Portanto, a reentrada desse país poderia fazer o preço das criptomoedas disparar rapidamente.

O Banco Industrial e Comercial da China (ICBC), maior banco do mundo com seus US$ 5,5 trilhões em ativos, publicou um texto na última quinta-feira (6) elogiando tanto o Bitcoin quanto o Ethereum, as duas maiores criptomoedas do mercado.

Como destaque, o banco aponta que a demanda por moedas digitais continua impulsionando o desenvolvimento das mesmas. Para começar, o ICBC afirma que o Bitcoin não é apenas um concorrente do ouro, mas uma evolução desse ativo milenar.

“O Bitcoin tem uma escassez semelhante ao ouro por meio de consenso matemático, resolvendo o problema [do ouro] de ser difícil de dividir, difícil de identificar a autenticidade e inconveniente de transportar”, escreveu o ICBC.

“Seus atributos monetários estão gradualmente enfraquecendo, enquanto seus atributos como ativo estão constantemente se fortalecendo.”

Em outras palavras, o Bitcoin estaria perdendo espaço no mercado como uma moeda, mas crescendo como uma reserva de valor.

Já em relação ao Ethereum, o banco chinês destaca que seus desenvolvedores estão constantemente atualizando seu protocolo em termos de segurança, escalabilidade e sustentabilidade.

“Além disso, a introdução e o desenvolvimento de stablecoins fornecem uma ponte para o mercado de moedas digitais se conectar ao mundo real”, adicionou o ICBC.

Enquanto o Bitcoin é tratado como um “ouro digital”, o banco chinês chama o Ethereum de “petróleo digital”. Ou seja, enquanto a força do BTC está em sua escassez, o ETH seria o combustível para mover outros ativos em seu ecossistema.

Executivo da VanEck comenta posicionamento do banco estatal chinês

O relatório do Banco Industrial e Comercial da China (ICBC) foram apresentadas por Matthew Sigel, head de pesquisa de ativos digitais da VanEck. Na publicação, o executivo aproveitou para comentar sobre o assunto.

“Bancos estatais chineses continuam escrevendo cartas de amor para o Bitcoin e o Ethereum. Aqui, o ICBC o está chamando de “óleo digital”.”

Embora a China tenha banido as criptomoedas em 2021, causando uma forte queda nos preços, o texto do ICBC chama atenção tanto pelos elogios quanto pelo conhecimento em torno do assunto.

Isso porque o banco chinês cita termos como Solidity (linguagem de programação usada no Ethereum), DeFi, DePin, NFTs e outros. Finalizando, também aborda soluções de segunda camada para o ETH, incluindo side chains e rollups.

“Desenvolvedores do Ethereum continuarão trabalhando para encontrar equilibrio entre sustentabilidade, segurança e eficiência”, finaliza o artigo.

A China é a segunda maior potência do mundo, ficando atrás apenas dos EUA, com um PIB de US$ 17,9 trilhões. Portanto, a reentrada desse país poderia fazer o preço das criptomoedas disparar rapidamente.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na melhor corretora de criptomoedas do mercado ganhe até 100 USDT em cashback. Cadastre-se

Siga o Livecoins no Google News.

Curta no Facebook, TwitterInstagram.

Entre no nosso grupo exclusivo do WhatsApp | Siga também no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Henrique HK
Henrique HKhttps://github.com/sabotag3x
Formado em desenvolvimento web há mais de 20 anos, Henrique Kalashnikov encontrou-se com o Bitcoin em 2016 e desde então está desvendando seus pormenores. Tradutor de mais de 100 documentos sobre criptomoedas alternativas, também já teve uma pequena fazenda de mineração com mais de 50 placas de vídeo. Atualmente segue acompanhando as tendências do setor, usando seu conhecimento para entregar bons conteúdos aos leitores do Livecoins.

Últimas notícias

Últimas notícias