Mais ricos em Bitcoin estão ficando ainda mais ricos, entenda

Siga no

De acordo com dados da Coin Metrics, o número de endereços com mais de 1.000 BTC cresceu nos últimos 12 meses. Logo, a “Bitcoin Rich List“, a lista dos mais ricos em Bitcoin teve um grande crescimento.

Assim, o dado pode ter sido reflexo da entrada de novos investidores de alto patrimônio e institucionais no mercado. Estamos falando de um crescimento de 30% desde setembro de 2018.

Mais de 2.148 carteiras possuem mais de mil Bitcoins

Até mesmo quando são excluídos os dados de endereços conhecidos (carteiras) de exchanges, ainda temos um número relevante.

Há atualmente 2.148 endereços que possuem mais de 1.000 bitcoins, representando apenas 0,01% de todos os endereços de Bitcoin, conforme a Bitcoin Rich List da BitInfoCharts.

Quais as razões para o crescimento?

Segundo fontes, as razões são a entrada de investidores de alto patrimônio líquido ou pode ser uma prática de armazenamento a frio (cold wallets) de empresas de custódia. Porém, por enquanto esta última possibilidade ainda não coincide com outros dados, apesar de não ter sido descartada.

Observe que o BTC caiu de US $ 6.400 para US $ 3.100 no último trimestre de 2018 e investidores experientes podem ter aproveitado a queda de preço para comprar a principal criptomoeda barata, levando ao aumento dos endereços com mais de 1.000 bitcoins.

Há outras pessoas, no entanto, com opiniões divergentes quanto a interpretação destes dados. Alguns não acreditam que o número de pessoas com mais de 1.000 BTCs tenha aumentado.

Imagine a situação: uma só pessoa pode mover 50.000 bitcoins de uma única carteira para 50 carteiras diferentes apenas para fins de custódia. Além disso, uma exchange como a Binance mantém bitcoins pertencentes a milhões de usuários e pode armazenar moedas em diferentes carteiras.

“São principalmente as exchanges. tanto a quantidade de BTCs mantida em exchange quanto o número de exchanges / custodiantes vêm crescendo”

O comentário acima foi do trader Alex Kruger, em entrevista ao CoinDesk. Ele levou em conta ainda que o volume de transações na blockchain em termos de BTC está relativamente estável desde setembro de 2018. Isto pode significar movimentações nas exchanges, a fim de tentar diminuir o número de transações na blockchain, diversificando entre carteiras. Por exemplo, os principais endereços possuem menos saques em comparação aos depósitos e, portanto, podem ser carteiras frias ou off-line de exchanges.

Dito isto, não é possível saber com certeza se um determinado endereço com transações não frequentes é pertencente a uma exchange ou a uma baleia (indivíduos com grandes quantidades de Bitcoin).

Qiao Wang, diretor de produto do site Messari, fez um comentário interessante:

“No começo, era SÓ O Satoshi, então alguns mineradoras antigos possuíam todo o bitcoin. Mas, com o tempo, sua participação diminuiu e outras pessoas entraram no mercado ”, disse Wang.

Com a aproximação do Halvening do Bitcoin dentro de seis meses, que é a diminuição da recompensa da mineração pela metade, novos investidores poderão entrar no mercado. Este evento é marcado historicamente por uma alta de preços no Bitcoin.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Leia mais sobre:
Empresa Suzano Celulose

Suzano manda oficiar corretoras de criptomoedas em processo na justiça

Em um processo que corre na justiça desde 2018, movido pela Suzano Papel e Celulose S/A, a justiça mandou oficiar algumas corretoras de criptomoedas....
Mercado Bitcoin

Volume do Mercado Bitcoin cresce e corretora pode abrir capital na bolsa

O volume de negociações de uma das maiores corretoras de criptomoedas do Brasil, o Mercado Bitcoin, cresceu 862% no mês de abril quando comparado...
Shiba Inu é listada na Binance

Binance lista Shiba Inu (SHIB) e criptomoeda dispara

A criptomoeda Shiba Inu, mais uma cópia da Dogecoin, foi listada Binance, a maior corretora de criptomoedas do mundo. Após o início das negociações,...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias