Marcos Castro, do Castro Brothers lamenta não ter comprado Bitcoin em 2011

Em 2011 o Bitcoin era negociado por apenas $ 3. O comediante não quis apostar na moeda digital.

Siga no
Marcos Castro Bitcoin
Marcos Castro Bitcoin

O comediante Marcos Castro, do canal Castro Brothers lamentou no Twitter o fato de não ter apostado em bitcoin. O mais triste da história é que ele teve oportunidade de comprar a moeda digital quando ela tinha um valor pífio.

“Lembro até hoje de uma conversa com Matheus Castro sobre apostar em bitcoin. Não apostamos na época. A época? 2011.” Disse em um post no Twitter.

Marcos Castro é humorista e é um dos nomes mais fortes do stand-up comedy no Brasil, ele tem mestrado em Matemática Aplicada, é webdesigner e músico. Seu canal no Youtube conta com mais de 4 milhões de seguidores, no twitter são mais de 800 mil. No momento da redação dessa matéria a postagem já tinha 773 likes.

Marcos Castro não é o único que não acreditou na moeda digital, muitas pessoas ouviram falar de Bitcoin em 2012 (quando começou aparecer na mídia brasileira) e resolveram não apostar. Muitos por desconfiança e muitos outros ainda por não entenderem de fato como a moeda funciona.

Fato é que em 2011 o bitcoin era negociado por apenas $ 3, assim, qualquer um que tivesse desembolsado, por exemplo, R$ 100 para investir na criptomoeda estaria hoje milionário.

Em 2011 um dólar valia R$ 1,86, com cada bitcoin a 3 dólares, qualquer pessoa poderia ter comprado no mínimo 8 bitcoins investindo apenas R$ 50. Hoje a mesma quantia da moeda digital vale R$ 740 mil.

Hoje o bitcoin ultrapassou a marca de R$ 92 mil, superou os $ 17 mil dólares pela segunda vez na história enquanto o dólar perde valor.

O bitcoin deixou há muito tempo de ser uma moeda do mercado negro e se tornou a principal reserva de valor de várias empresas e bilionários. A capitalização de mercado da moeda digital superou os 300 bilhões, o que a coloca como uma das 20 “ações” mais valiosas do mundo.

O tempo vai passando e vários críticos do Bitcoin vão se dando conta que erraram no passado ao preverem a morte da moeda.

O grupinho dos haters de bitcoin ainda tem algumas figuras exóticas, economistas “renomados”, jornalistas esquecidos gritando por atenção, Youtubers implorando por views e outros tipos de bizarrices.

O mundo dos haters vai ficando cada dia mais insignificante. Diante da alta da moeda, eles ficam escondidos. Mas assim que o Bitcoin começar a ter uma correção eles saem das tocas.

Seja como for, o último que sair que apague a luz.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Livecoins
Livecoins é um portal de blockchain e criptoeconomia focado em notícias, artigos, análises, dicas e tutoriais.

Primeiro ETF de Bitcoin nos EUA estreia nesta terça-feira

Embora muitos apontassem que o ETF da Valkyrie seria o primeiro a ser aprovado, a ProShares saiu na frente desta largada. Segundo a empresa,...
Bitcoin retoma os 70% de dominância do criptomercado

Brasileiros estão mais interessados em jogos NFT que por Bitcoin

A chegada dos jogos em NFT e a possibilidade de ganhar dinheiro ao jogar está fazendo com que os brasileiros se interessem mais por...
Escritório do Nubank, banco digital

Bacen vai discutir emissão do Real digital com representante do Nubank

O Banco Central do Brasil anunciou mais uma data para discutir sobre a emissão do Real digital, evento que contará com um representante do...
.

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias