Parte do salário de Messi no PSG será pago em criptomoedas

Atacante argentino é considerado um dos maiores jogadores da atualidade e abre um importante precedente no futebol.

Siga no
Leo Messi no PSG
Leo Messi no PSG/Crédito: PSG

A badalada contratação de Leo Messi pelo Paris Saint-Germain Football Club (PSG), que mexeu com os fãs do futebol, envolve até um pagamento de parte do salário do astro em criptomoedas.

De fato, apesar de não ser a mais cara contratação do PSG, esta pode ser uma das mais importantes. Messi, multicampeão pelo Barcelona, seis vezes melhor do mundo, nunca havia considerado trocar de time antes.

Para ir ao clube francês, contudo, ele teve que renunciar a cerca de 40% do que recebia em seu antigo clube. Fontes da Europa indicam que ele receberá até R$ 250 milhões por ano no novo clube.

Com 34 anos, Messi recentemente ganhou o título da Copa América no Brasil com a seleção argentina e afirma que quer mais títulos na carreira. Seu primeiro dia oficial como jogador do PSG foi na última quarta-feira (11).

Parte do salário de Messi no PSG poderá ser pago com criptomoeda do clube

A nova joia do PSG, Leo Messi, pode entrar para a história do clube ao lado de seus companheiros, que pretendem ganhar o título da Champions League, inédito para o futebol francês.

No entanto, Messi pode estar entrando para a história por outra razão, o recebimento de criptomoedas como parte do pagamento por sua transferência. Vale notar que o token PSG, criado para fãs do clube, teve uma extrema valorização de mercado quando os rumores da chegada do argentino ganharam força.

Em relação ao Dólar, a alta de 80% nos últimos sete dias, o Paris Saint-Germain Fan Token (PSG) custa hoje cerca de US$ 40,00 por unidade.

De acordo com a Reuters, esse PSG foi parte do pagamento do “pacote Messi” feito pelo clube, que teve que respeitar as regras de fair-play financeiro presentes na Europa. A reportagem apurou esse método de pagamento não convencional com fontes próximas ao assunto.

Procurado para comentar sobre a contratação do astro com pagamento de criptomoedas, o PSG não retornou ao contato. Caso se confirme, esse pode ser um dos maiores casos de uso de um token de clube no futebol.

Após o desembarque de Messi no novo clube, o token dos fãs acabou despencando na cotação de mercado, 34% desde sua cotação máxima em US$ 61,00 por unidade.

Precedente interessante no mercado de futebol

No Brasil, assim como na Europa, vários clubes já criaram seus tokens de fãs, como o Cruzeiro, Atlético Mineiro, Santos e outros mais que estão para entrar no setor.

Visto inicialmente como uma forma de monetizar com a torcida, essa modalidade de tokens podem ganhar mais um caso de uso pelos mandatários.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.
Queda da Dogecoin DOGE despenca desvalorização brasileiro

Brasileiro perde R$ 2,6 milhões com queda da Dogecoin, mas ainda acredita na moeda

O brasileiro que mora nos Estados Unidos, Glauber Contessoto, perdeu R$ 2,6 milhões em Dogecoin com a recente queda da moeda no mercado. O fenômeno...
LNBTC

Usuário avisa empresas sobre falha em serviços de custódia da Lightning Network

Reckless Satoshi, um usuário do Reddit, fez uma postagem relatando que serviços de custódia que trabalham com a Lightning Network tinha um ponto de...
Ethereum. (Imagem: Adobe Stock)

Pânico? R$6,6 bilhões em Ethereum saíram das exchanges na semana passada, R$4,2 bi voltaram...

Na quarta-feira passada, dia 15 de setembro, cerca de 363.240 ETH foram sacados de exchanges centralizadas, ontem, no entanto, 258.050 ether voltaram para endereços...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias