MicroStrategy poderia ter lucrado R$ 9,2 bilhões se investisse em Ethereum

A MicroStrategy pode ter perdido bilhões ao escolher BTC em vez de ETH, mas isso não quer dizer que Michael Saylor estava errado em sua decisão.

Detentora de 130.000 bitcoins, hoje a MicroStrategy está com um prejuízo de US$ 1,25 bilhão (R$ 6,3 bi) em seu investimento de US$ 4 bilhões em Bitcoin. Entretanto, uma afirmação polêmica mostra que a empresa de Michael Saylor poderia estar no lucro caso tivesse investido em Ethereum.

Para zombar ainda mais de Saylor, os criadores da comparação utilizam um vídeo em que o bilionário afirma que não existe uma segunda opção.

“Qual é o melhor criptoativo? Bitcoin é o melhor criptoativo. Qual é o segundo melhor? Não há segundo melhor.”

Estudo mostra que Ethereum seria uma melhor opção para a MicroStrategy

Antes de analisarmos a comparação, é necessário lembrar que Michael Saylor nunca investirá em Ethereum. Afinal, o fundador da MicroStrategy acredita que o Ethereum seja um golpe, ou pelo menos uma security, principalmente pela pré-mineração que enriqueceu seus desenvolvedores.

Entretanto, a análise ignora tais pontos, focando apenas no dinheiro. Segundo o site Blockchain Center, a MicroStrategy estaria com um lucro de R$ 9,2 bilhões caso tivesse investido em Ethereum em vez de Bitcoin.

Para piorar, a MicroStrategy está com um deficit de US$ 1,25 bilhão (R$ 6,3 bi) em seu investimento de Bitcoin. Portanto, a diferença total entre os investimentos seria de US$ 3 bilhões (R$ 15 bilhões).

“130.000 bitcoins valem R$ 14 bilhões, mas 3542000 ETH valeriam US$ 29 bilhões.”

Gráfico mostra quanto a MicroStrategy teria lucrado se investisse em ETH em vez de BTC. Fonte: Blockchain Center.

Em seu pico, o improvável investimento em ETH teria alcançado os US$ 16 bilhões (R$ 80 bi). Já em BTC este número fica bem abaixo, em US$ 7,7 bi, equivalente a R$ 39 bilhões.

Outro ponto mencionado é a renda passiva de Ethereum com a chegada do Proof-of-Stake. Segundo o site, a empresa de Saylor estaria ganhando quase R$ 2 bilhões em ETH por ano com staking.

Finalizando, o estudo aponta que Saylor ainda pode conseguir 1.669.383 ETH caso troque seus bitcoins hoje, e receber R$ 690 milhões por ano com o PoS do Ethereum.

Por que Saylor não investe em Ethereum?

Apesar de serem duas criptomoedas, Bitcoin e Ethereum são bem diferentes. Enquanto a proposta do Bitcoin é ser uma reserva de valor e dinheiro, o ETH serve principalmente como um combustível para pagar taxas de transações.

Além disso, sua maior diferença está na política monetária. Enquanto a emissão de bitcoins é, desde seu início, controlada pela matemática, a do Ethereum é controlada por seus desenvolvedores, algo muito menos confiável para um ativo a ser tratado como reserva de valor.

A comparação pode ir muito além, como o fato da pré-mineração do Ethereum contra a largada justa do Bitcoin e a falta de um limite máximo de ETH contra os 21 milhões de BTC. Além disso, o preço Ethereum é altamente dependente de projetos externos, como ICOs, DAOs, NFTs e todas as febres que aquecem o mercado, mas somem rapidamente.

Portanto, a MicroStrategy pode ter perdido bilhões ao escolher BTC em vez de ETH, mas isso não quer dizer que Michael Saylor estava errado em sua decisão.

Além disso, o Ethereum sempre pegou carona nas altas e baixas do Bitcoin, então é difícil saber como seus preços estariam caso Saylor não tivesse influenciado Elon Musk e outras empresas a investir em BTC, o que acabou ecoando até os ouvidos de outros gigantes.

Por fim, o bilionário também sempre cita que o Bitcoin é um investimento de longo prazo — para no mínimo quatro anos ou até mesmo para deixar para filhos e netos. Sendo assim, a comparação é interessante, mas merece ser acompanhada por mais tempo.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na maior corretora de criptomoedas do mundo e ganhe até 100 USDT em cashback. Acesse Binance.com

Siga o Livecoins no Google News.

Curta no Facebook, TwitterInstagram.

Entre no nosso grupo exclusivo do WhatsApp | Siga também no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Henrique HK
Henrique HKhttps://github.com/sabotag3x
Formado em desenvolvimento web há mais de 20 anos, Henrique Kalashnikov encontrou-se com o Bitcoin em 2016 e desde então está desvendando seus pormenores. Tradutor de mais de 100 documentos sobre criptomoedas alternativas, também já teve uma pequena fazenda de mineração com mais de 50 placas de vídeo. Atualmente segue acompanhando as tendências do setor, usando seu conhecimento para entregar bons conteúdos aos leitores do Livecoins.

Últimas notícias

Bitcoin 2024

Últimas notícias