O preço do bitcoin poderá explodir e a culpa será da China, entenda

Com guerra comercial, China terá mais de um trilhão de dólares para aplicar em qualquer investimento.

-

Siga no
Muralha da China e Bitcoin
Muralha da China e Bitcoin
Anúncio

O preço do bitcoin poderá explodir e a culpa será da economia chinesa. Mais uma vez, a China terá um importante papel na consolidação do mercado de criptomoedas. O bitcoin poderá ver seu preço explodir após uma guerra comercial ser travada entre a China e os Estados Unidos.

A China é uma das maiores potências econômicas em todo o mundo. O país, formado por vários territórios, como Hong Kong e Macau, por exemplo, pode oferecer riscos a economia norte-americana. Com mais de um trilhão de dólares em títulos do tesouro dos Estados Unidos, a China poderá vender os títulos após a guerra econômica travada entre os países.

País pode influenciar a valorização do bitcoin

A relação da China com criptomoedas é um pouco curiosa. O país já foi considerado um dos maiores mercados para os ativos digitais, mas em 2018 decidiu proibi-las. Após voltar atrás em relação a proibição, a China possui um posicionamento completamente variável no que diz respeito as criptomoedas.

Anúncio

Esse entendimento vale também para o bitcoin. A criptomoeda deverá experimentar valores inimagináveis com a entrada da China no mercado. Embora países ainda não invistam no bitcoin, a China poderá ser um dos primeiros.

O valor que a China possui em títulos norte-americanos ultrapassa um trilhão de dólares. Caso o país decida vender os títulos, o valor arrecadado será redirecionado supostamente para outro investimento. Nesse caso, a previsão é de que o bitcoin seja o escolhido da China, o que faria o preço da criptomoeda explodir no mercado. Com as tensões cada vez mais acirradas entre os países, a retirada de investimentos da China nos Estados Unidos deverá acontecer em breve.

China pode desestabilizar a economia norte-americana

A China é o país com mais investimentos diretos no tesouro norte-americano. Isso significa que ninguém, além do país asiático investe mais nos Estados Unidos. Mas os títulos da China configuram em dívida norte-americana, que poderá ser liquidada pela China. Com essa “carta na manga”, a China deve desestabilizar a economia dos EUA.

É 1,1 trilhão de dólares em títulos do Tesouro norte-americano. O desentendimento comercial entre os dois países suporta uma relação cada vez mais fragilizada. A venda dos títulos por parte da China deverá atingir diretamente a economia norte-americana, em uma “guerra” iniciada por Donald Trump.

Siga o Livecoins no Google News para receber nossas notícias em tempo real.
Curta nossa página no Facebook e também no Twitter.
Receba também no email se cadastrando em nossa Newsletter.
Paulo Carvalho
Paulo Carvalho
Jornalista em trânsito, escritor por acidente e apaixonado por criptomoedas. Entusiasta do mercado, ouviu falar em Bitcoin em 2013, mas era que nem caviar, "nunca vi, nem comi, só ouço falar".

Leia mais

Últimas notícias

Brasileiro é acusado de fraudar programa de recompensas de criptomoeda

Um brasileiro foi acusado de ter fraudado um programa de recompensas da criptomoeda Monero, na acusação, Everton Melo teria copiado a análise de outro...

Possível diretor da CVM destaca Bitcoin aquecido

Um possível novo diretor da CVM destaca que o Bitcoin atravessa um momento em 2020 bem aquecido e a autarquia está de olho. O...

PayPal entra no mercado de criptomoedas

O gigante dos pagamentos PayPal anunciou que vai entrar de vez no mercado de criptomoedas, a empresa vai permitir que seus clientes comprem, vendam...