O que é Análise Técnica - Criptomoedas

O que é Análise Técnica - Criptomoedas

O que é Análise Técnica – Criptomoedas ? Análise Técnica não é uma novidade para as criptomoedas, na verdade tudo isso começou a muitos anos atrás com vários estudiosos e matemáticos tentando encontrar previsões estatísticas sobre preços. Confira aqui o que é Análise Técnica para Criptomoedas.

A análise técnica então, nada mais é do que um conjunto de vários estudos para se tentar prever um comportamento dos preços, utilizando a probabilidade que então pode auxiliar na visão do comportamento futuro de preços.

Para se realizar análise técnica vários fatores devem ser levados em consideração: volatilidade, oferta e demanda, padrão de repetição, entre outros. Ou seja, se analisa fatores e comportamentos de preços para se realizar uma melhor compra ou venda de um determinado ativo.

A probabilidade de subir o preço ou cair é um evento que não conhecemos. Pode ser afetada por uma notícia ruim, medo ou incerteza ou dúvida (FUD) ou mesmo pânico/euforia, medo de ficar de fora (FOMO), entre outros fatores. Como não é certo que o comportamento do preço será X ou Y, acompanha-se com ferramentas para tentar obter maior probabilidade de ocorrência dos fatores, seja queda ou subida.

Considere que os primeiros históricos de análise técnica iniciaram no Japão Feudal e o seu ponto de principal na história dos investimentos data após o crash mundial de 1929. Hoje, com a informatização das bolsas de valores, globalização dos mercados a análise técnica se mostra mais consolidada, pois uma notícia ruim em qualquer local do mundo é rapidamente incorporada ao preços dos ativos de todas as bolsas.

A sim, onde encaixamos as criptomoedas? Como toda a até história mostrou uma evolução do ser humano como espécie dominante e ser pensante, chegamos em 2009 ao ato de conseguir criar uma moeda que não tem fronteiras como o Bitcoin, não pertence a nenhum país e possui uma rede segura e confiável.

Quando Satoshi Nakamoto, criador do Bitcoin concebeu a mesma e iniciou o processo de mineração ele pensou em uma nova economia, pensamento esse que não temos noção se foi praticado ao pé da letra, porém de qualquer forma ouve uma mudança nas relações econômicas de vários países, e cada dia mais vemos que o Bitcoin estremeceu estruturas que se achavam sólidas.

Como a moeda era desenhada para ser P2P (pessoa a pessoa), não haveria a necessidade de haver a criação de agências de centralização para os ativos, pois as pessoas se encarregariam de difundir e compartilhar os bitcoins gerados por conta própria. Porém aconteceu o fato de algumas pessoas, vendo que a união dos compradores com os vendedores não era uma forma fácil e nem segura, resolveu criar plataformas de trocas (trades), ou seja, as Exchanges.

Com a criação das exchanges como um marketplace para trocas de criptomoedas, ficou mais fácil localizar um comprador e vendedor e consequentemente analisar o preço do bitcoin no tempo, com as análises de ofertas dadas pelo próprio mercado. E foi nesse momento, que as plataformas perceberam que poderiam criar ambientes de análises técnicas e fomentar aos seus usuários a realização de trades, pois isso acarretaria em mais taxas de compras e vendas com certeza.

Nesse momento a análise técnica ainda era falha para criptomoedas, pois havia pouco histórico de preços para se analisar e chegar a probabilidades mais exatas. Isso não deixou as exchanges desanimadas e os ambientes de trades e histórico de preços passou por uma série de evoluções até chegar no ponto que estamos nos dias de hoje.

Ao acessar o site da Binance que é uma exchange (se não possui cadastro clique aqui), pode-se verificar que há duas opções de trades: básica ou mesmo avançada. Várias outras plataformas possuem vários indicadores técnicos e formatos de gráficos também, de forma que quem procura realizar o trade (ato de trocar ativos) , pode realizar análise técnica nesse ambiente das exchanges com as criptomoedas.

Não é uma fórmula mágica como muitos pregam, porém não é uma fórmula falida também não. Com certeza saber o mínimo é algo saudável e aconselhamos que ao iniciar seus estudos sobre criptomoedas procure esse conhecimento, mesmo que seja um tópico a mais para os seus estudos, pois mesmo que não queira ser um trader excepcional acabará realizando um trade em algum momento.

Cada operação de análise é chamada de Setup, que nada mais é do que uma configuração de ferramentas probabilísticas para se tentar obter um cenário futuro mais real, analisando gráficos e indicadores técnicos.

Há vários tipos de gráficos, o mais comum é o gráfico de velas (candlesticks). Há vários indicadores que foram criados por vários matemáticos e estudiosos, que são utilizados nas bolsas de valores tradicionais e também nas criptomoedas. São criados novas ferramentas todos os dias, logo se manter atualizado compete a cada um.

Para isso, aqui no Livecoins nós criamos uma série para ensinar o básico sobre trade a quem se interessar, conteúdo é livre para todos. Para acessar a série sobre Trades clique aqui.

Nós estamos com um sorteio de um ingresso para o Maior Evento de Criptomoedas do Brasil: Bitconf 2018. Clique aqui e saiba mais sobre o evento e como participar do sorteio!