Pandemia do coronavírus faz PIB brasileiro cair 1,5% no 1º trimestre

Resultado é o pior desde o segundo trimestre de 2015, período em que o Brasil entrou em “recessão técnica”

Siga no
Foto: José Paulo Lacerda/Agência Brasil

Os efeitos negativos da pandemia do coronavírus na economia brasileira já podem ser vistos em números oficiais.

Na manhã desta sexta-feira (29), o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) informou que o PIB (Produto Interno Bruto) do Brasil caiu 1,5% no primeiro trimestre deste ano, na comparação com os últimos quatro meses de 2019.

É a pior retração desde o segundo trimestre de 2015. Naquele ano, o país estava no meio de uma “recessão técnica”, que ocorre quando a economia cai por dois trimestres consecutivos.

Setor de serviços foi o principal responsável pela retração

Indústria (-1,4%) e Serviços (-1,6%) foram os setores que registaram maior recuo no primeiro trimestre de 2020. O único segmento que apresentou crescimento foi o da agropecuária (0,6%), que é o mais beneficiado pela alta do dólar.

De acordo com a coordenadora de Contas Nacionais do IBGE, Rebeca Palis, a queda dos serviços teve maior peso na retração da economia brasileira, pois o setor representa 74% do PIB nacional.

“Aconteceu no Brasil o mesmo que ocorreu em outros países afetados pela pandemia, que foi o recuo nos serviços direcionados às famílias devido ao fechamento dos estabelecimentos. Bens duráveis, veículos, vestuário, salões de beleza, academia, alojamento, alimentação sofreram bastante com o isolamento social”, disse Rebeca.

Nos serviços, a queda foi puxada por Outros serviços (-4,6%), Transporte, armazenagem e correio (-2,4%), Informação e comunicação (-1,9%), Comércio (-0,8%), Administração, saúde e educação pública (-0,5%), Intermediação financeira e seguros (-0,1%). A única variação positiva foi registrada no setor de Atividades imobiliárias (0,4%).

Setor extrativo e construção civil lideraram queda no setor industrial

Na Indústria, o setor extrativo (-3,2%) foi o que mais recuou, seguido por construção (-2,4%), indústrias de transformação (-1,4%) e atividade de eletricidade e gás, água, esgoto e gestão de resíduos (-0,1%).

Além da indústria, a despesa de consumo das famílias brasileiras (-2%) e as exportações de bens e serviços (-0,9%) também tiveram queda por causa da pandemia do coronavírus.

Lucas Gabriel Marins
Lucas Gabriel Marins
Jornalista desde 2010. Escreve para Livecoins e UOL. Já foi repórter da Gazeta do Povo e da Agência Estadual de Notícias (AEN).

Comércio de Bitcoin na China aumenta, apesar de ser banido

Em 2017, a China fechou corretoras locais de criptomoedas, sufocando um mercado especulativo que era responsável por grande parte do comércio global de criptomoedas....
Divulgação/Goldman Sachs

Goldman Sachs reabre mesa de negociação de Bitcoin

A recente alta do Bitcoin reacendeu o interesse de diferentes players no criptomercado, com fontes afirmando que a Goldman Sachs, um dos nomes mais...
Bitcoin em fevereiro de 2021

Bitcoin foi o ativo com melhor desempenho em fevereiro, ouro e B3 em queda

O preço do Bitcoin teve alta de 42% em fevereiro, sendo o melhor ativo do mês. Ao contrário do desempenho da moeda digital, ativos...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias

Goldman Sachs reabre mesa de negociação de Bitcoin

A recente alta do Bitcoin reacendeu o interesse de diferentes players no criptomercado, com fontes afirmando que a Goldman Sachs, um dos nomes mais...

Bitcoin foi o ativo com melhor desempenho em fevereiro, ouro e B3 em queda

O preço do Bitcoin teve alta de 42% em fevereiro, sendo o melhor ativo do mês. Ao contrário do desempenho da moeda digital, ativos...

Província da China vai banir mineração de Bitcoin por causa do impacto ambiental

A emissão de gases de carbono é uma grande preocupação atualmente, sendo classificado como o principal causador do efeito estufa e um dos motivos...

Desenvolvedores voltam a atualizar Dogecoin

No meio da alta recorde das criptomoedas no ano passado, a Dogecoin (DOGE) se destacou como uma ovelha negra. Ela valorizou 2100% no intervalo...

Citibank: Bitcoin pode se tornar uma moeda de comércio global

O Bitcoin está em um "ponto de inflexão" e pode se tornar a moeda preferida para o comércio internacional, disseram analistas do gigante bancário...