Partido Comunista de Cuba inclui Bitcoin em suas diretrizes econômicas

O Bitcoin não é completamente desconhecido pelos cubanos, mas é um ativo com adoção baixa em relação a outros países da América Latina.

Siga no

De acordo com o mais recente anúncio da alta direção do Partido Comunista de Cuba (PCC), o Bitcoin vai passar a ser um dos pontos de interesse e de estudo para as diretrizes econômicas do país para o período de 2021-2026.

A divulgação dos novos planos foram feitos durante o VIII Congresso do Partido Comunista de Cuba, realizado em Havana entre os dias 16 e 19 de abril de 2021.

O anúncio foi feito por Mercedez López Acea, membro do órgão máximo da alta direção do PCC. De acordo com o portal oficial, as novas orientações indicam que o partido vai passar a “a avançar no estudo das criptomoedas nas atuais condições da econômia”. 

Cuba é conhecido mundialmente por uma crise econômica que dura várias décadas, desde que os EUA iniciaram um embargo econômico, que acabou piorando ainda mais a situação do país depois do fim da União Soviética (que tinha laços estreitos com o governo de Fidel Castro).

Sendo assim, é bem possível que o Bitcoin e outras criptomoedas sejam estudadas e no futuro possam ser utilizadas como uma forma de driblar o problema com a soberania internacional do dólar e o soft power que a moeda possui dentro do mercado cubano.

Nenhum outro detalhe foi oferecido além do anúncio de que a moeda digital vai entrar nas diretrizes econômicas do Partido Comunista de Cuba, mas é um primeiro passo importante para uma adoção do ativo no contexto de soberania econômica.

Apesar de não ter utilizado uma criptomoeda, a China chegou a ir para o mesmo caminho, estudando e desenvolvendo uma Moeda Digital de Banco Central (CBDC), que para alguns até mesmo ameaça a soberania do dólar.

No entanto, vale mencionar que a Venezuela tentou fazer a mesma coisa, com um resultado bem menos expressivo do que o país asiático, mas o processo de digitalização econômica continua por lá. 

Cuba ainda é uma região nova para o Bitcoin

O Bitcoin não é completamente desconhecido pelos cubanos, mas ainda assim é um ativo com adoção baixa em relação a outros países da América Latina. Há apenas duas corretoras no país, com volume relativamente baixo.

A “fraca” presença do interesse na moeda pode ser sentida também nas redes sociais. O maior grupo de Bitcoin no Facebook em Cuba tem pouco mais de 6 mil membros. 

A decisão do governo de falar abertamente sobre o Bicoin pode também mudar essa questão, aumentando o interesse da população pela maior criptomoeda do mundo.

Compre Bitcoin na Coinext

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br.



Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Matheus Henrique
Fã do Bitcoin e defensor de um futuro descentralizado. Cursou Ciência da Computação, formado em Técnico de Computação e nunca deixou de acompanhar as novas tecnologias disponíveis no mercado. Interessado no Bitcoin, na blockchain e nos avanços da descentralização e seus casos de uso.
Símbolo da Binance Coin BNB

Projeto “DeFi” que promete multiplicar criptomoeda da Binance é desmascarado

Um novo DeFi que surgiu no mercado de criptomoedas está prometendo 5% ao dia com a moeda BNB, sendo desmascarado como um possível golpe...
Pessoa com celular no YouTube

YouTube enaltece criptomoedas e quer aproveitar seus casos de uso

Em nota publicada nesta terça-feira (25), Susan Wojcicki, CEO do YouTube, afirmou que a empresa está olhando com atenção para o setor das criptomoedas....
Daniel Fraga comendo maça

Pioneiro do Bitcoin no Brasil, Daniel Fraga vira notícia em tabloide inglês

Embora Daniel Fraga seja uma figura conhecida por muitos brasileiros que investem em Bitcoin, sua história também está ganhando reconhecimento em outros países. Desta...
.

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias