Diretor da PepsiCo diz que empresa não investirá em Bitcoin

A Pepsico é líder na venda de alimentos em todo o mundo. A empresa tem um valor de mercado de cerca de US $ 194 bilhões.

Siga no
Produtos Pepsico. Imagem: Pepsico
Produtos Pepsico. Imagem: Pepsico

O CFO da PepsiCo, Hugh Johnston, revelou em uma entrevista para a CNBC que a empresa “teve uma conversa” sobre a compra de bitcoin e que a diretoria chegou a conclusão que “a criptomoeda é um ativo muito especulativo para a forma como ela gerencia o portfólio de caixa”.

A empresa, que é uma das principais fornecedoras de produtos do mundo, com muitas das marcas registradas mais importantes e valiosas da história, não pretende seguir a moda atual de alocação de bitcoin como reserva de valor.

O investimento de 1.5 bilhão de dólares que a Tesla realizou em bitcoin aparentemente está causando um rebuliço na diretoria de diversas instituições em todo o mundo. Depois que a montadora de carros elétricos tornou público seu investimento na criptomoeda, diversas outras instituições têm se manifestado em relação ao ativo digital.

A PepsiCo é líder na venda de alimentos em todo o mundo. A empresa tem um valor de mercado de cerca de US $ 194 bilhões. Se ela decidisse investir pelo menos 1% do seu balanço em bitcoin, cerca de 1.94 bilhão de dólares seriam alocados no ativo digital, cerca de 40 mil bitcoins na cotação atual.

O valor seria superior ao investimento realizado pela Tesla, de Elon Musk.

Outra grande empresa que também revelou algum interesse no Bitcoin foi o Uber. O CEO da empresa revelou ter reunido a diretoria da empresa para discutir a possibilidade de transformar parte dos seus ativos em bitcoin, mas a ideia foi logo descartada, justamente por considerarem a criptomoeda um ativo especulativo.

“Bitcoin não é um ativo especulativo”

Recentemente o CEO da MicroStrategy, Michael Saylor, declarou que o bitcoin não é um ativo especulativo, para ele, a criptomoeda é uma rede monetária digital.

Saylor, que investiu mais de 1 bilhão de dólares da sua empresa em bitcoin, falou em uma entrevista publicada no Youtube sobre os motivos que o levaram a investir e se tornar um dos maiores defensores da moeda digital.

Ele disse que 2025, devido as medidas adotadas pelo governo para proteger a economia contra os efeitos da pandemia, a inflação será de 15% ao ano, em vez de 5% como os analistas acreditam. De acordo com ele, com uma taxa de inflação em torno de 15% ao ano, a cada 4 anos as empresas perderão “metade de seus balanços”.

Saylor também comentou sobre o ouro ser uma proteção para a desvalorização causada pela inflação. Para ele, o século 21 precisa de algo mais rápido e o ouro é muito lento, portanto, o Bitcoin é a evolução do ouro e se move na velocidade da luz.

Nesse sentido, ele explicou que o Bitcoin não é um ativo especulativo, para ele a criptomoeda é uma rede monetária digital que é um milhão de vezes melhor que as redes monetárias físicas e o sistema monetário de papel que será substituído.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Diego Marques
Começou em 2016 como um dos primeiros redatores do Guia do Bitcoin. Diego tem preferência por notícias que podem influenciar o preço das criptomoedas, mas também gosta de escrever curiosidades do cripto-universo.
Gráfico de preço da Cardano em alta

Cardano líder em número de desenvolvedores? Não caia nessa!

Um estudo de atividades no GitHub, principal repositório do código-fonte das criptomoedas, mostrou a Cardano na liderança nos últimos 12 meses. Os dados foram...

DeFi: três setores de grande potencial

De acordo com dados da Messari, o volume trimestral das Corretoras Descentralizadas (DEXs) no final do segundo trimestre de 2021 foi de R$ 2...
Criptomoeda Tether com sinais vermelhos

Michael Burry faz alerta sobre criptomoeda Tether

O lendário trader Michael Burry compartilhou em seu Twitter que a criptomoeda Tether pode estar no meio da confusão da Evergrande na China. Vale notar...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias