Pernambuco quer passaporte de vacinação com tecnologia blockchain

Sistema armazenará dados da população que poderão ser facilmente acessados, como vacinas e testes contra doença.

Bitcoin e vacina contra Covid-19 blockchain
Bitcoin e vacina contra Covid-19

O Governo do Estado de Pernambuco anunciou que pretende construir um sistema com a tecnologia blockchain em um passaporte de vacinação contra Covid-19.

O programa foi anunciado nesta segunda-feira (23) e se chama “Selo Passe Seguro PE”. A intenção é criar uma base de dados acessível para pessoas que podem registrar dados da Covid-19 com segurança no ambiente.

“Convidamos empresas e startups de tecnologia a desenvolverem ferramentas que, de forma rápida e segura, verifiquem as informações sobre o esquema vacinal e testes de RT-PCR negativos.”

Assim, a retomada das atividades no estado passaria a ser melhor gerida, na visão do governo, com segurança. Empresas interessadas em criar essa solução para o estado devem participar de um processo.

Estado de Pernambuco quer criar sistema com blockchain para retomada das atividades com segurança

De acordo com dados do G1, mais de 2 milhões de pessoas já tomaram a segunda dose da vacina contra a Covid-19 em Pernambuco, estado do Nordeste do Brasil.

Com uma população estimada em 9 milhões de pessoas, o estado já prepara para voltar as suas atividades, buscando manter o controle da doença e levando segurança para sua população.

Assim, nesta segunda o governo do estado de Pernambuco anunciou a intenção de criar um sistema com a tecnologia blockchain para criação do “Passe Seguro PE“.

Devendo ser um sistema que funciona em iOS, Android e desktop, nos idiomas português, inglês e espanhol, é desejável que a “transação e autenticação de laudos e certificados seja feita via blockchain”.

“O Selo Passe Seguro PE é mais uma iniciativa do Governo do Estado no combate à Covid-19. Com ele, os pernambucanos vão poder ter acesso, com mais agilidade, a eventos, como shows, por exemplo. Para isso, convidamos empresas e startups de tecnologia a desenvolverem ferramentas que, de forma rápida e segura, verifiquem as informações sobre o esquema vacinal e testes de RT-PCR negativos.”

Para participar, as empresas deverão ter registro no CADFOR, cumprir com a LGPD, garantir o funcionamento do sistema online e offline, entre outras especificações.

No Brasil, a blockchain já é reconhecida pelo Governo Federal como uma tecnologia de confiança de dados, legalizada por um decreto em maio de 2020.

Assim, a intenção do governo de Pernambuco é disponibilizar uma aplicação que armazene os dados com segurança, sem a possibilidade de alteração dos registros, visto que a imutabilidade é uma característica dessa tecnologia.

Em julho de 2020, alguns brasileiros utilizaram a inteligência artificial e blockchain em um evento, ganhando prêmio ao criar uma solução inovadora e julgada até pelo criador do Ethereum, Vitalik Buterin.

No caso de Pernambuco, qual blockchain deverá ser utilizada não está especificada no edital de participação da nova ferramenta.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Gustavo Bertolucci
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.
[td_block_21 td_ajax_preloading="" ajax_pagination="load_more" m16f_title_font_size="25" m16f_title_font_weight="500" limit="3" tdc_css="eyJwaG9uZSI6eyJkaXNwbGF5Ijoibm9uZSJ9LCJwaG9uZV9tYXhfd2lkdGgiOjc2NywicG9ydHJhaXQiOnsibWFyZ2luLWxlZnQiOiItODAiLCJ3aWR0aCI6IjcwMCIsImRpc3BsYXkiOiIifSwicG9ydHJhaXRfbWF4X3dpZHRoIjoxMDE4LCJwb3J0cmFpdF9taW5fd2lkdGgiOjc2OH0="]

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias