PF prende mais duas pessoas ligadas ao “Faraó dos bitcoins”

Ação é a quarta fase da Operação Kryptos e acontece após corretora de criptomoedas ser alvo na terceira.

Viatura da Polícia Federal - Divulgação
Viatura da Polícia Federal. Divulgação

A Polícia Federal (PF) anunciou nesta segunda-feira (14) que prendeu mais duas pessoas ligadas a Glaidson Acácio dos Santos, o “Faraó dos Bitcoins”, e sua empresa GAS Consultoria.

As pessoas ligadas a empresa são investigadas desde agosto de 2021, após a deflagração da Operação Kryptos, no estado do Rio de Janeiro. Glaidson foi preso na capital do estado, enquanto outros líderes que estavam em Cabo Frio e região também foram levados para penitenciárias locais.

Após denúncias feitas pelo Fantástico de que Cabo Frio tinha várias empresas suspeitas de operar um esquema de pirâmide financeira, a GAS foi identificada como a principal. E tudo isso veio ao público após um assassinato a sangue-frio de um suposto trader de criptomoedas na Região dos Lagos.

Após a repercussão dos problemas da região, a operação mirou os líderes da maior empresa, e uma força tarefa do Ministério Público do Rio de Janeiro investigou os outros possíveis esquemas.

De qualquer forma, as operações continuam após a terceira fase, com a Operação Valeta, indicar um esquema em uma corretora de criptomoedas.

Nova operação da PF prende mais duas pessoas ligadas ao “Faraó dos Bitcoins”

A Polícia Federal deflagrou nesta segunda-feira (14) a quarta fase da operação Kryptos, que foi batizada operação Betka. Segundo a PF, o nome da operação tem relação com o banco de pagamentos T-28 e ao tanque russo, de mesmo nome e considerado um dos primeiros tanques médios.

Na nota divulgada pela autoridade policial, a nova operação tem como objetivo desarticular organização criminosa responsável por fraudes bilionárias envolvendo criptomoedas no Brasil.

E para cumprir as ações desta segunda, foram mobilizados 15 agentes federais, após a 3.ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro expedir os mandados de prisão contra duas pessoas ligadas ao “Faraó dos Bitcoins”.

Foram cumpridos os dois mandados de prisão, mas a PF não revelou nomes dos suspeitos e nem onde foram presas essas pessoas.

No entanto, a nova operação ocorre cerca de 1 mês após a terceira fase, que mirou uma corretora de criptomoedas e sua líder, que acabou presa no Mato Grosso do Sul por suspeitas de lavagem de dinheiro para o esquema.

Com o material obtido com a terceira fase, foi possível identificar esses dois suspeitos e a investigação segue evoluindo para esclarecer o mecanismo da fraude que deixou o Estado do Rio de Janeiro famoso pelo mundo.

O rastro de prejuízo deixado pelo suposto “Faraó dos Bitcoins” pode ultrapassar os bilhões, com estimativas das investigações indicando que supera os R$ 38 bi.

Compre Bitcoin na Coinext

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br.



Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.

Últimas notícias