Receita Federal registra queda nas declarações de bitcoin

Queda do mercado levou menos declarações a autarquia.

Aplicativo da Receita Federal do Brasil RFB ao lado de criptomoedas Bitcoin Ethereum e Solana
Aplicativo da Receita Federal do Brasil ao lado de criptomoedas

A Receita Federal divulgou nos últimos dias as declarações de criptomoedas do primeiro quadrimestre, período marcado pela baixa no bitcoin e em todo mercado. Com isso, houve uma queda no número de prestação de informações dos traders relatadas a autarquia.

Desde 2019, o Brasil viu a chegada da Receita Federal no setor, visto que a autarquia começou a recolher informações dos negociantes de criptomoedas. Além disso, exchanges passaram a declarar valores de clientes, tudo regido pela Instrução Normativa n.º 1888/2019.

Com essas informações prestadas, por exemplo, um auditor da Receita Federal apresentou que os volumes de negociações haviam dobrado em 2021, na comparação com 2020. Dessa forma, o mercado é acompanhado de perto, embora a fase não seja nada boa.

Receita Federal divulga dados do 1.º quadrimestre de 2022 e baixa do bitcoin pode ter afetado declarações

Nos últimos anos o mercado de criptomoedas passou por uma fase de altas consecutivas, alcançando recordes de mercado e atraindo novos investidores para o setor.

Muitas empresas passaram a trabalhar com a tecnologia como meio de pagamento e reserva de valor, além de países que aprovaram o bitcoin como moeda de curso legal.

Com todo esse movimento promissor, o preço do bitcoin valorizou muito, mas em 2022 o cenário mudou. E isso acabou afetando os projetos de criptomoedas alternativas, que dependem da estabilidade da maior moeda para existir.

De acordo com dados da Receita Federal, o primeiro quadrimestre de 2022 mostra bem que a queda do bitcoin afetou até o número de declarações feitas por traders do país.

Isso porque, de 2020 para 2021, o número em milhões de declarações de contribuintes havia subido 63% entre janeiro e abril. Contudo, na comparação de 2021 para 2022 o número cai 33% no mesmo período.

Essa realidade mostra que a queda no bitcoin dos últimos meses afeta até o número de declarações entregues a autarquia brasileira, que monitora principalmente pessoas que registraram lucros acima de R$ 30 mil ao mês.

Operações com bitcoin caem pela metade no Brasil

Outro dado que chama atenção revelado pela Receita Federal é o de número de operações com bitcoin, que caiu 58% do primeiro quadrimestre de 2021 para 2022.

Isso mostra que os negociantes estão optando por não trocar suas moedas, visto que esse número revelam tanto operações de compra quanto de venda.

O dado mais alarmante demonstrado pela RFB em relação às negociações de bitcoin é ainda o do valor total das operações, que caíram 75% de janeiro a abril de 2021 para o mesmo período em 2022. Ou seja, mesmo quem continua operando no mercado, diminuiu o valor de suas operações consideravelmente.

Vale lembrar que o mercado de criptomoedas viu no Brasil e no mundo várias corretoras de criptomoedas demitirem funcionários com a baixa do bitcoin. Ou seja, os dados da Receita Federal são apenas mais uma comprovação que o setor passa por uma baixa forte nos últimos meses, com o bitcoin perdendo 34% de seu valor frente ao Dólar no consolidado do ano.

Compre Bitcoin na Coinext

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br.



Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.

Últimas notícias