Santander recorre de decisão a favor de corretora de criptomoedas

Banco perde novamente em ação que envolve sumiço de dinheiro das contas de cliente para compra de criptomoedas.

Siga no
Símbolo do Santander próximo de bandeira do Brasil e outros países
Símbolo do Santander próximo de bandeira do Brasil e outros países

Nos últimos dias, o banco Santander levou a pior na justiça contra uma corretora de criptomoedas e recorreu da decisão. Conforme divulgado pelo Livecoins, o caso envolve uma quantia de quase R$ 700 mil.

Tudo começou quando um cliente recebeu um telefonema de um gerente da instituição para ir até a uma agência. Com a conta no aplicativo bloqueada instantes antes da ligação, o cliente concordou em ir até a agência para resolver o problema.

Contudo, ao chegar até o local, ele digitou a senha no computador do gerente de sua conta e após isso, sua conta foi restaurada. Após isso, ele teve extraviado de sua conta um valor de R$ 680 mil, enviado para uma corretora de criptomoedas.

Toda a quantia acabou sendo convertida em Tether e sacada para carteiras em posse do cliente. No processo movido pelo Santander contra a corretora, o juiz que analisou o caso suspeitou que o gerente do Santander era o culpado, dando ganho de causa a corretora.

Santander recorreu contra corretora de criptomoedas, perdendo novamente

Após a decisão do juiz contra o Santander, entendendo que a corretora não tinha culpa pelo sumiço de R$ 680 mil que viraram criptomoedas, o banco foi condenado a pagar as custas do processo.

Além disso, o valor que havia sido bloqueado via SISBAJUD das contas da corretora, o juiz do caso mandou liberar para a empresa de criptomoedas, o que revoltou a defesa do Santander.

Assim, o banco entrou com uma ação na justiça de São Paulo de Efeito Suspensivo à Apelação. Ou seja, o banco requereu que o valor arrestado permanecesse assim até que fosse finalizado todas as apelações no caso.

“Requer seja deferido o efeito suspensivo à apelação paradeterminar a suspensão da ordem de desbloqueio da quantia arrestada viaSisbajud, até o julgamento da apelação.”

Mas ao analisar o caso, o juiz relator do TJSP disse que não concordava com o que o banco disse em seu pedido liminar. Isso porque, o Santander argumentou que o arresto só poderia ser liberado após o julgamento da apelação, mas a defesa do banco nem protocolou ação de apelação no processo.

“No caso em questão, não foi ainda interposto recurso de apelação o que impossibilita o conhecimento do pedido. Pelo exposto, NÃO CONHEÇO do presente pedido”.

O caso mostra que o banco perdeu novamente para uma corretora de criptomoedas desconhecida e dificultou a resolução do problema, visto que acusa a empresa ré de ser parte do esquema que levou R$ 680 mil de um dos clientes do banco.

Apesar do novo revés, é possível que o Santander prepare mais processos contra a corretora, em forma de apelação contra as decisões negativas para o banco.

Compre Bitcoin na Coinext

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br.



Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.

Últimas notícias