Senador defende a criação do Real digital no Brasil

Assunto da moeda digital segue ganhando força entre autoridades.

Panorama das Comissões do TV Senado
Panorama das Comissões do TV Senado /Reprodução

O senador Rodrigo Cunha (PSDB-AL) defendeu a criação do Real digital no Brasil, moeda que deverá ocupar o lugar da moeda física. Os assuntos abordados pelo senador foram esclarecidos no programa Balanço das Comissões, na TV Senado.

Rodrigo é o atual presidente da Comissão de Ciência e Tecnologia do Senado Federal e tem participado de várias discussões.

Recentemente, a comissão conversou sobre o Real digital em uma audiência pública, tema que deverá crescer em 2022.

Senador defendeu a criação do Real digital

Em sua participação ao “Panorama das Comissões”, Rodrigo Cunha lembrou que o senado organizou uma audiência pública em 2021 para esclarecer os pontos sobre a moeda digital brasileira.

A tecnologia vem sendo estudada pelo Banco Central do Brasil como uma inovação no dinheiro nacional, que passará a ser em um futuro próximo totalmente digital. A intenção principal da autarquia é reduzir os custos da emissão, custódia e proteção das moedas, além de facilitar a distribuição do dinheiro entre instituições de pagamento.

Dessa forma, o senador presidente da Comissão de Ciência e Tecnologia lembrou que muitos países já estudam a digitalização de sua moeda. Ele destacou que a audiência pública foi importante para entender mais sobre a inovação, que tem a expectativa de chegar em 2024 no Brasil.

“Há uma expectativa de que nos próximos anos nós tenhamos uma moeda digital. Essa dá mais celeridade, uma rastreabilidade, ou seja, você consegue acompanhar por onde essa moeda passou, e com isso, diminuir a corrupção, evasão de divisas. Permite também que o Brasil consiga negociar mais rápido com outros países de maneira eletrônica. O Brasil está atrasado, mas o banco central está avaliando”.

O parlamentar disse que é importante o legislativo contribuir com esse processo de inovação, que já viu o PIX tornar o meio de pagamento digital se tornar comum entre as pessoas no Brasil.

Com relação às criptomoedas, ele disse que está atuando fortemente sobre os investimentos em criptomoedas, mas que isso é um assunto a parte hoje sob avaliação dos senadores. Vale lembrar que o Senado Federal espera retomar a discussão das criptomoedas agora em fevereiro de 2022.

5G, carros elétricos e dados pessoais da população

Outras tecnologias que o senador afirmou que o legislativo está de olho são a do 5G e aquelas que envolvem o uso de dados pessoais da população.

Segundo Rodrigo, o 5G é atual foco do setor produtivo brasileiro, seja na saúde, educação, agro, entre outros mais. Essa rede é esperada para levar mais internet a mais pessoas, ampliando o acesso das pessoas ao ambiente.

Ele lembrou que a LGPD também entrou em vigor, ao passo que vazamentos de dados também foram confirmados até por órgãos do governo. O senador disse que o Congresso Nacional criou uma autoridade de proteção de dados e vai fiscalizar ainda mais esse assunto.

Outro assunto explicado pelo senador é que o combustível fóssil está se tornando um artigo de luxo no Brasil, com os seus preços cada vez mais altos. Dessa forma, ele entende que a chegada de carros elétricos, assim como países evoluídos, será natural no Brasil e as discussões sobre isso deverão evoluir ainda mais.

O senador ainda defendeu que o Brasil invista mais em Ciência e Tecnologia, principalmente agora em que esse setor se mostrou essencial ao país.

Compre Bitcoin na Coinext

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br.



Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.

Últimas notícias