Setor de mineração é a próxima preocupação para investidores de Bitcoin, aponta estudo

Um estudo realizado pela CryptoSlate e pela Glassnode aponta que a indústria de mineração é a próxima preocupação aos investidores de Bitcoin. O motivo está relacionado a redução de suas receitas devido ao aumento dos custos de produção e a queda de preço do BTC no último ano.

No momento, tais mineradores possuem R$ 6,8 bilhões em bitcoin em caixa, e estes podem ser despejados no mercado a qualquer momento para que tais empresas se mantenham vivas.

Tal despejo já teria começado conforme cerca de 6.680 bitcoins (R$ 580 milhões) já foram vendidos neste mês de novembro. Portanto, cabe observar se o movimento de venda continuará enquanto o BTC luta para manter-se acima dos US$ 15.000 após o fiasco da FTX afastar a confiança dos investidores.

Mineração, um investimento mais volátil que o próprio Bitcoin

Enquanto a variação de preço do Bitcoin pode afugentar investidores mais conservadores, a oscilação no preço de ações de grandes mineradoras listadas em bolsas consegue ser ainda maior. Afinal, a concorrência é outro fator a ser considerado.

Como destaque, a Glassnode aponta que o setor de mineração já passou por duas capitulações, além da migração de 2021 após o banimento pela China. Já no ano de 2022, um novo fenômeno está tomando conta do mercado, o aumento do hash rate para novas máximas, enquanto o preço do BTC registra o menor nível dos últimos dois anos.

Setor de mineração já passou por dificuldades, mas enfrenta novo desafio. Fonte: Glassnode.

Seguindo, o relatório aponta que a renda dos mineradores caiu 68% nos últimos doze meses, sem nem mesmo considerar a queda de 76,9% do preço do Bitcoin, o que piora ainda mais estes números.

Mineradores podem vender bilhões em Bitcoin

Outro ponto mencionado pelo estudo é a possibilidade de venda de bilhões de reais em bitcoin. Afinal, algumas mineradoras já venderam boa parte de suas reservas para equilibrar seus caixas, mas ainda há muitas moedas em seus bolsos.

Após vendas de R$ 580 milhões (6.680 BTC) em novembro, mineradoras ainda possuem 78.000 bitcoins (R$ 6,8 bilhões) em caixa. Portanto, uma venda de tal tamanho poderia ter grande impacto no preço do bitcoin, resultando em mais quedas.

“Embora seja improvável que a totalidade dessas reservas seja distribuída, ela fornece uma medida do risco potencial”, aponta o portal CryptoSlate. “Até que os preços do BTC tenham ultrapassado o nível de custo estimado de produção em US$ 17.000, é provável que os mineradores estejam sob forte estresse financeiro.”

Saldo de mineradores mostra que setor pode impactar preço do bitcoin com grandes vendas. Fonte: Glassnode.

Por fim, tais vendas representariam ainda mais pressão para os próprios mineradores. Afinal, estes teriam uma receita ainda menos com o bitcoin cotado a um preço menor que o atual. Portanto, tais vendas não seriam uma opção, mas sim uma obrigação, caso ocorram.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na maior corretora de criptomoedas do mundo e ganhe até 100 USDT em cashback. Acesse Binance.com

Siga o Livecoins no Google News.

Curta no Facebook, TwitterInstagram.

Entre no nosso grupo exclusivo do WhatsApp | Siga também no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Henrique HK
Henrique HKhttps://github.com/sabotag3x
Formado em desenvolvimento web há mais de 20 anos, Henrique Kalashnikov encontrou-se com o Bitcoin em 2016 e desde então está desvendando seus pormenores. Tradutor de mais de 100 documentos sobre criptomoedas alternativas, também já teve uma pequena fazenda de mineração com mais de 50 placas de vídeo. Atualmente segue acompanhando as tendências do setor, usando seu conhecimento para entregar bons conteúdos aos leitores do Livecoins.

Últimas notícias

Bitcoin 2024

Últimas notícias