Sócio da GENBIT desaparece e não é encontrado pela justiça

Sócio da Genbit tem 15 dias para se apresentar ao judiciário brasileiro.

Um sócio da GENBIT desapareceu e não foi encontrado pela justiça brasileira. Agora, ele terá alguns dias para se apresentar. A empresa é acusada de operar um esquema de pirâmide financeira na cidade de Campinas e região.

Ao captar investidores para o negócio, a GENBIT se apresentava como uma corretora de Bitcoin. No entanto, oferecia também rendimentos fixos mensais aos investidores e bonificações com marketing multinível.

Em sua defesa, a empresa alega já ter pago os investidores com o chamado TREEP Token. Ao criar uma moeda sem valor de mercado, muitos investidores não têm aceitado muito bem a história.

Na justiça, vários processos correm contra a empresa e seus sócios.

Sócio da GENBIT desaparece e não é encontrado pela justiça: Tem 15 dias para se apresentar

No Tribunal de Justiça de São Paulo, dezenas de processos correm atualmente contra a GENBIT. A empresa é apenas uma do grupo econômico criado por Nivaldo Gonzaga Dos Santos e Gabriel Tomaz Barbosa.

O grupo ainda tem as empresas Hdn Partipações S/A, I da Silva Assessoria Contábil, Gensa Serviços Digitais e Arbor Brasil Serviços de Gestão Financeira Ltda. Algumas destas empresas tem outros sócios, mas sempre com Nivaldo e Gabriel no quadro.

Citado em um processo recente, Gabriel Tomaz Barbosa não foi encontrado pela justiça brasileira. De acordo com o Diário de Justiça do Estado de São Paulo em 23 de novembro de 2020, Gabriel terá um prazo de 15 dias para se apresentar.

“Encontrando-se o réu em lugar incerto e não sabido, foi determinada a sua CITAÇÃO, por EDITAL, para os atos e termos da ação proposta e para que, no prazo de 15 dias, que fluirá após o decurso do prazo do presente edital, apresente resposta. Não sendo contestada a ação, o réu será considerado revel, caso em que será nomeado curador especial. Será o presente edital, por extrato, afixado e publicado na forma da lei. NADA MAIS.”, trecho do DJSP

O processo que Gabriel foi citado seria de rescisão contratual de investimentos em criptomoedas. Ao não cumprir com o contrato, Gabriel é procurado pela justiça para responder sobre o caso. Caso não se apresente no prazo estipulado, não terá direito de se defender na ação.

A citação foi pedida pelo juiz Ricardo Hoffmann, da 3.ª Vara Cível de Direito do Foro de Campinas.

Problemas continuam para investidores da GENBIT

No último ano, o caso GENBIT foi um dos mais notórios no Brasil. Antiga Zero10 Club, a empresa prometeu muito aos investidores, que agora amargam prejuízos.

Recentemente, uma cliente não aguentou o caso e foi até um jornal local denunciar o golpe. Vendedora em Minas Gerais, Adriana afirmou que perdeu toda a herança deixada pelo pai em uma pirâmide financeira.

Os problemas da empresa começaram principalmente no final de 2019. Na época, o MP entrou com ação civil pública contra a Genbit e pediu bloqueio de R$ 1 bilhão da empresa.

De lá para cá, mais clientes procuram maneiras de reaver os investimentos feitos na empresa. Na justiça, principalmente de São Paulo, os sócios da Genbit e as empresas do grupo acumulam processos, no entanto, a resolução não tem sido fácil.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na maior corretora de criptomoedas do mundo e ganhe até 100 USDT em cashback. Acesse Binance.com

Entre no nosso grupo exclusivo do WhatsApp | Siga também no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Leia mais sobre:
Gustavo Bertolucci
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.

Últimas notícias