TSE anula 37 mil votos do faraó dos bitcoins

Chegou ao fim o sonho de Glaidson Acácio de ocupar um cargo no Congresso Nacional.

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgou que os 37 mil votos recebidos pelo faraó dos bitcoins foram todos anulados, após ele concorrer com temor de que isso era uma situação iminente.

De fato, vários ex-clientes da GAS Consultoria votaram em Glaidson Acácio dos Santos no último domingo (2), no primeiro turno das eleições 2022.

Isso certamente contribui para que sua defesa tenha uma noção do tamanho do apoio que ainda pode contar, ou seja, mesmo não eleito, o “faraó” pode medir como anda os ânimos da população de Cabo Frio, que ainda aguardam para reaver seu dinheiro.

O voto em Glaidson representa para muitas pessoas uma esperança de que ele seja colocado em liberdade e pague o que deve aos clientes, ainda que sua empresa não tenha conseguido acertar valores com há mais de um ano.

TSE divulga que 37 mil votos no faraó dos bitcoins foram anulados

Foram exatamente 37.935 votos dados por eleitores de todo o estado do Rio de Janeiro em Glaidson Acácio, que concorreu pelo partido Democracia Cristã.

Ex-pastor, ele usou a religião para levar adiante uma busca pela primeira vez a uma cadeira da Câmara dos Deputados em Brasília.

Só em Cabo Frio, reduto da GAS Consultoria, Glaidson obteve 6.883 votos. Na região dos Lagos ele ainda recebeu apoio nas cidades de Armação de Búzios (2.181), Arraial do Cabo (1.181), São Pedro da Aldeia (2.501), entre outros.

Com os votos de Glaidson anulados agora, de acordo com informações do próprio TSE, seu partido perde os votos e não pode utilizar para contagem do quociente eleitoral. Aos eleitores, cabe entender que seus votos para o cargo de deputado federal foram perdidos.

Faraó dos bitcoins tem votos anulados sub judice, diz TSE
Faraó dos bitcoins tem votos anulados sub judice, diz TSE. Reprodução.

O cúmplice de Glaidson e candidato a deputado estadual, Vicente Gadelha que recebeu 5.018 votos também teve sua candidatura anulada sub judice e está fora das eleições 2022.

MPF denuncia Glaidson por organização criminosa e lavagem de dinheiro

Passadas as eleições, a anulação dos votos não é a única má notícia que o faraó dos bitcoins recebe. Atualmente preso em Bangu, no Rio de Janeiro, Glaidson foi denunciado pelo Ministério Público Federal nesta terça-feira (4).

Os crimes que ele é acusado de cometer é organização criminosa, lavagem de dinheiro, falsidade ideológica e uso de documentos falsos.

Apresentada na 3.ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro pelo MPF, de acordo com o G1, a denúncia ainda cita mais quatro pessoas, inclusive sua esposa, venezuelana Mirelis Zerpa, e o ex-piloto de Pablo Escobar, alvo da PF em uma operação recente.

Fora Glaidson, todos os outros suspeitos denunciados estão foragidos e procurados pela Interpol.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na maior corretora de criptomoedas do mundo e ganhe até 100 USDT em cashback. Acesse Binance.com

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Gustavo Bertolucci
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.

Últimas notícias