Unicef está investindo em blockchain

Direitos das crianças e adolescentes na blockchain!

Siga no

O Fundo Internacional de Emergência para a Infância das Nações Unidas (Unicef), é um órgão das Nações Unidas que pretende ajudar crianças a ter seus direitos garantidos, e está a pesquisar e investir em blockchain.

No site oficial da entidade foi noticiado no último dia 10 de dezembro, que será investido U$ 100.000 em 6 startups de blockchain.

As empresas escolhidas deverão entregar em até 12 meses os protótipos de aplicações blockchain de forma open-source, sendo elas: Atix Labs, Onesmart, Prescrypto, Statwig, Utopixar e W3 Engineers.

As seis empresas foram escolhidas entre 100 propostas de aplicativos de mais de 50 países. Das aprovadas destaca-se: uma Argentina, duas Mexicanas, uma da Índia, Tunísia e Bangladesh.

As iniciativas são de diferentes setores, como área médica, auxílio a refugiados, conectividade de telefonia móvel, IOT, além de outras mais.

As empresas se juntam a 20 outras startups da Unicef que já pesquisam temas como: data science, machine learning, drones e realidade virtual.

Chris Fabian, conselheiro principal de inovação da entidade disse que “A tecnologia Blockchain ainda está em um estágio inicial e há muita experimentação, falha e aprendizado em nosso caminho, enquanto analisamos como e onde podemos usar essa tecnologia para criar um mundo melhor”.

O Fundo de Inovação da Unicef, que é o órgão interno responsável por gerir esses projetos, irá prover assistência técnica e de produtos, apoio para o crescimento dos negócios e acesso a uma rede de especialistas e parceiros.

De acordo com o portal Coindesk, desde 2016 a Unicef havia investido em uma ferramenta de blockchain para identidade digital produzida por uma startup sul-africana.

As crianças e adolecentes brasileiras de comunidades carentes podem, pelo menos em grandes capitais até os dias da escrita deste, procurar a iniciativa SocialBlocks_ para buscar ensino sobre programação em blockchain de forma gratuita.

Além disso, o ensino de blockchain e de criptoeconomia para crianças se torna fundamental para o futuro descentralizado que se vislumbra no horizonte. Por isso, a Unicef dá um passo de peso alinhado a essa visão de mundo.

Leia mais sobre:
Gustavo Bertolucci
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.

Miami pode ser a primeira cidade a ter reservas em Bitcoin

O prefeito de Miami, Francis Suarez, vem, desde dezembro de 2020, considerando apostar no Bitcoin para fazer parte das reservas da cidade. Segundo Suarez,...
PayPal e Bitcoin criptomoedas blockchain

Ações do PayPal podem valorizar 46% “graças ao Bitcoin”, diz analista

Por causa do Bitcoin, o PayPal pode alcançar uma incrível valorização no preço das suas ações. Um analista da Mizuho Securities elevou sua estimativa...

Irã sofre com apagões, governo culpa mineração de Bitcoin

O governo do Irã tem apontado que os recentes apagões ocorridos no país têm sido causados pelo alto consumo das fazendas de mineração de...

Cotações por TradingView

Últimas notícias

Ações do PayPal podem valorizar 46% “graças ao Bitcoin”, diz analista

Por causa do Bitcoin, o PayPal pode alcançar uma incrível valorização no preço das suas ações. Um analista da Mizuho Securities elevou sua estimativa...

Irã sofre com apagões, governo culpa mineração de Bitcoin

O governo do Irã tem apontado que os recentes apagões ocorridos no país têm sido causados pelo alto consumo das fazendas de mineração de...

Banco Central da Nova Zelândia é hackeado

Há uma semana, no domingo (10), o Banco Central da Nova Zelândia foi alvo de um ataque hacker que deixou graves consequências. As autoridades...

Binance abre inscrições para voluntários no Brasil

Quem busca empreender com criptomoedas ou mesmo ingressar nas comunidades brasileiras, uma oportunidade de aprendizado surgiu nos últimos dias. A Binance, a maior maior...

Uganda desliga internet, comércio de bitcoins para de funcionar

Na véspera das eleições presidenciais, o governo da Uganda bloqueou, sem avisar, a Internet de toda população. Isso ocorreu depois de os ugandeses contornarem...