Universidade de Stanford quer devolver milhões que recebeu da FTX

A intenção aparece um dia após a FTX processar os pais de Sam Bankman-Fried, ambos professores da Universidade de Stanford.

Em conversa com a Bloomberg nesta terça-feira (19), um porta-voz da Universidade de Stanford afirmou que a instituição está conversando com os advogados da falida corretora FTX para devolver os milhões que recebeu em forma de doações.

A intenção aparece um dia após a FTX processar os pais de Sam Bankman-Fried, ambos professores da Universidade de Stanford. Segundo o processo, Joseph Bankman e Barbara Fried desviaram milhões da FTX para seu próprio benefício e para as causas que escolheram.

No total, a Universidade teria recebido US$ 5,5 milhões (R$ 26,6 milhões) entre novembro de 2021, data em que o Bitcoin atingiu seu topo histórico, e maio de 2022. Desde sua falência, em novembro do ano passado, a nova gerência da corretora está tentando juntar dinheiro para reembolsar os clientes lesados pelo golpe.

Universidade de Stanford está disposta a devolver US$ 5,5 milhões que recebeu da FTX

No processo contra os pais de Sam Bankman-Fried, os credores da FTX citam diversas doações suspeitas da corretora. Como exemplo, apontam que um ex-aluno de Direito da Universidade de Stanford recebeu uma “viagem de graça para a França”, incluindo ingressos para uma corrida de Fórmula 1 no valor de milhares de dólares.

De qualquer forma, tal viagem não chega nem perto de outras transações. Em outro trecho, os credores apontam que Joseph Bankman recebeu US$ 10 milhões diretamente da Alameda Research, outra empresa controlada por seu filho.

Enquanto isso, a universidade onde os pais de Sam Bankman-Fried trabalhavam também teria sido uma grande beneficiada do esquema. Segundo o documento, a Universidade de Stanford recebeu US$ 5,5 milhões.

“Como resultado direto das violações dos deveres fiduciários por parte de Bankman, o Grupo FTX sofreu danos financeiros de pelo menos US$ 5,5 milhões.”

Conforme a corretora estava insolvente, o processo alega que esses milhões pertenceriam aos clientes da corretora.

Em conversa com a Bloomberg, um porta-voz da Universidade afirmou que eles já estão dialogando com os advogados da falida corretora e que estão dispostos a devolver o montante por completo.

“Estamos conversando com os advogados dos credores da FTX para recuperar esses presentes e devolveremos os fundos na sua totalidade.”

Pai de Sam Bankman-Fried quis manter as doações fora do radar

Enquanto isso, Joseph Bankman quis distanciar-se das acusações. No mesmo processo, o pai do fundador da FTX tentou se esquivar das acusações, afirmando que as doações estavam “muito perto de casa”.

De qualquer forma, o processo nota que “Bankman e sua família recebiam crédito da Universidade de Stanford pelas doações do Grupo FTX”.

Na sequência, também destaca que um funcionário da Universidade questionou se uma doação de US$ 4 milhões partida da Alameda Research deveria ser tratada como as outras, ou seja, vindo da família Bankman-Fried.

Em nota ao CoinDesk, os advogados da família afirmaram que o processo “é uma tentativa perigosa de intimidar Joe e Barbara e minar o processo do júri poucos dias antes do início do julgamento de seu filho”. Sam Bankman-Fried segue preso em uma cadeia nos EUA.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na melhor corretora de criptomoedas do mercado ganhe até 100 USDT em cashback. Cadastre-se

Siga o Livecoins no Google News.

Curta no Facebook, TwitterInstagram.

Entre no nosso grupo exclusivo do WhatsApp | Siga também no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Henrique HK
Henrique HKhttps://github.com/sabotag3x
Formado em desenvolvimento web há mais de 20 anos, Henrique Kalashnikov encontrou-se com o Bitcoin em 2016 e desde então está desvendando seus pormenores. Tradutor de mais de 100 documentos sobre criptomoedas alternativas, também já teve uma pequena fazenda de mineração com mais de 50 placas de vídeo. Atualmente segue acompanhando as tendências do setor, usando seu conhecimento para entregar bons conteúdos aos leitores do Livecoins.

Últimas notícias

Últimas notícias