4 coisas que podem derrubar o Bitcoin pra US $ 5.000

Resumindo, o risco no caso do Bitcoin está fora da moeda

Siga no
Gráfico de Preço do Bitcoin
Gráfico de Preço do Bitcoin

Ataque 51%, óbvio!

Por incrível que pareça, o ataque 51% não é o maior fator de risco para o Bitcoin. O Core Dev Greg Maxwell, salvo-engano o mais antigo ainda atuando, escreveu um belíssimo texto explicando tais razões no Reddit, o qual já resumi na newsletter do RadarBTC (link).

Bug causando hard fork?

Já ocorreu um hard fork inesperado em Mar/2013 causado por uma incompatibilidade (bug) no upgrade da versão 0.8, mas rapidamente o consenso se ajustou e retornaram a versão anterior do software.

Mais recentemente, em Set/2018, foi descoberto um bug que poderia ter duplicado algumas moedas, ou no mínimo derrubado a maioria dos nodes. O ataque não chegou a ser realizado, mas a rede ficou exposta por um bom tempo.

Banimento nos EUA e Zona do Euro?

Em Set/2017 a China baniu as exchanges, embora permitindo negociações p2p. O Bitcoin cedeu de USD 4.300 para USD 3.000 (-30%) em 3 dias, mas recuperou tudo em menos de 2 semanas.

Banimentos criam atravessadores, atrasam a adoção e aumentam o preço no mercado local, mas de forma alguma são motivo pra um crash generalizado. O Bitcoin foi criado justamente pra dar uma alternativa pro povo transacionar sem necessidade de autorização de governos.

Onde está a fragilidade?

Fora da rede Bitcoin, no caso nas exchanges, custodiantes e stablecoins. Isto já ocorreu no passado, sendo o caso mais notável a quebra da Mt Gox sumindo com 750 mil BTCs no final de 2013. Abaixo segue o gráfico da moeda no período:

Quebra de exchanges e custodiantes

Além de causar pânico nos investidores e imagem ruim na mídia acaba fazendo com que muitos participantes do mercado desistam. Isso derruba volumes e consequentemente impacta no preço. Um resultado semelhante ocorreria num eventual hack de grandes custodiantes: Xapo, BitGo, Coinbase Custody, etc.

Multas e prisão

Grande multas, e até mesmo prisão, de figuras públicas nas criptos desanimam o mercado, além de trazer uma imagem péssima pra criptos. No início de 2019 o FinCEN dos EUA começou a processar traders P2P que facilitavam transações pra vendedores de artigos ilícitos no Silk Road.

O risco das Stablecoins

No momento a Tether (USDT) é a maior, com capitalização de mercado superior a USD 4 bilhões. Infelizmente é justamente a menos transparente em relação a seu lastro, inclusive admitiram ter perdido aproximadamente USD 850 milhões. É difícil estimar o impacto no mercado, mas certamente colocaria em risco algumas 

Resumindo

O risco no caso do Bitcoin está fora da moeda, assim por dizer:

  1. Quebra de exchanges;
  2. Hack em custodiantes;
  3. Multas e prisão pra figuras públicas;
  4. Fraude em stablecoins.
Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Leia mais sobre:
Marcel Pechman
Marcel Pechman é trader e analista de criptomoedas desde 2017. Atuou como trader por 18 anos nos bancos UBS, Deutsche e Safra. Além de YouTuber em seu canal RadarBTC, foi reconhecido em diversas premiações como um dos maiores interlocutores do Bitcoin do país. Maximalista convicto, acredita na falência da moeda fiduciária, aquela emitida por governos.
Baleia Bitcoin. (Imagem: Adobe Stock)

Baleias movem R$10 bilhões em duas transações após correção do Bitcoin

Após o preço do Bitcoin voltar para a região dos 60 mil dólares depois de ter quebrado sua alta máxima de 66 mil, duas...

Cazaquistão sofre crise de energia devido à mineração de Bitcoin

Devido a proibição da atividade de mineração na China, o segundo país que recebeu mais mineradores foi o Cazaquistão, ficando atrás apenas dos EUA,...
Homem segurando criptomoedas em mão

Secretários de Macaé são acusados de enriquecimento ilícito e investimentos “elevados” em criptomoedas

Alguns secretários municipais de Macaé foram acusados em redes sociais de obter enriquecimento ilícito e negociar criptomoedas, obtendo para si vantagens indevidas. A negociação de...
.

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias