Aave Arc: estratégia para atrair o setor institucional

O objetivo do Aave Arc é fornecer aos investidores institucionais, que enfrentam requisitos regulamentares rigorosos acesso a esses protocolos, capacidade de usabilidade.

Siga no
AAVE
AAVE

O setor DeFi viveu seu hype em 2020. Em fevereiro, o valor total bloqueado (TLV) chegou a US $ 1 bilhão. Mediante a tanto volume de negociação, a pressão externa para o processo de regulação do mercado Finanças Descentralizadas (DeFi) está começando.

Semanas atrás, Gary Gensler, o atual presidente da SEC (CVM norte-americana) afirmou que irá regular tanto o mercado financeiro centralizado quanto o descentralizado que estiverem negociando valores mobiliários.

Esse posicionamento criou dois cenários distintos:

1 – Risco regulatório para projetos que não possuem este foco

2 – Uma grande oportunidade para projetos que estão buscando desenvolver produtos segundo as novas regras

Neste contexto, a Aave, principal plataforma de lending (empréstimos) do mercado, destaca-se de forma significativa, como veremos ao longo deste artigo.

O QUE É A AAVE?

AAVE, ou anteriormente ETHLend em 2017, é um dos protocolos de DeFi voltados para lending. Este mercado consiste, basicamente, em um modelo de empréstimos descentralizados.

O protocolo funciona permitindo que os detentores de tokens depositem fundos em pools de liquidez, recebendo recompensas ​​por meio de mineração de liquidez ou taxas de juros. Além disso, quem pede crédito na plataforma tem que dar garantia colateral, para evitar a inadimplência.

Atualmente, a Aave é o projeto que mais possui dólares apostados (TLV ou Total Value Locked) dentre todos os Aplicativos Descentralizados (Daaps).

Além disso, os preços dentro do projeto são definidos algoritmicamente levando em consideração a demanda e a oferta dos ativos.

Essa é uma ideia muito semelhante, por exemplo, àquela que podemos ver na Uniswap (UNI) e no Curve (CRV), com o qual ele compartilharia a mesma categoria de mercados monetários automatizados (Automated Market Money ou AMM).

Afinal, o que é a Aave Arc?

O objetivo do Aave Arc é fornecer aos investidores institucionais, que enfrentam requisitos regulamentares rigorosos acesso a esses protocolos, capacidade de usabilidade.

A Arc oferecerá pools privados de fundos onde apenas os participantes que passarem pelos procedimentos do tipo “know-your-customer” (KYC ou Conheça Seu Cliente, em português) poderão entrar.

É importante dizer que, em termos de rendimentos, os pools privados poderão obter diferentes rendimentos dos pools do tipo públicos, o que, de certo modo, não fará com que os pools acessíveis para investidores comuns, como eu e você, sofra queda nos ganhos sobre as taxas de juros pagas pelo protocolo.

Em essência, a mudança está empenhada em fornecer às grandes corporações financeiras do setor tradicional acesso ininterrupto à indústria DeFi, sem que eles estejam sujeitos a requisitos regulamentares rigorosos.

Para o CEO do projeto, Stani Kulechov, a Aave Arc, que possui algumas outras funcionalidades em relação ao protocolo original, como processos de permissão (KYC/AML),é o próximo passo do mercado de criptomoedas.

A decisão foi tomada para representar seu propósito como uma porta de entrada para trazer instituições para o setor financeiro descentralizado.

Segundo a própria palavra que o CEO deu ao The Block:

“Acho que o objetivo da Aave Arc é criar um ambiente com um risco mais confortável para as instituições participarem de finanças descentralizadas antes de, por exemplo, ter o apetite de risco de participar de finanças descentralizadas sem permissão (sem processo de KYC/AML), que é o objetivo final deste mercado.”

Podemos resumir, então, que a decisão de implementar a Aave Arc representa seu propósito em ser uma ponte que traz instituições à indústria DeFi.

 

Conclusão:

O mercado DeFi necessita passar pelo processo de regulação primeiro, para se integrar ao mercado tradicional e ser compreensível para os investidores institucionais (tornando-se mainstream), para depois evoluir para um processo mais descentralizado.

De acordo com fontes próximas ao assunto, a reformulação do protocolo foi amplamente feita para transmitir o propósito de que o Aave funciona como uma porta de entrada para trazer as instituições para o cenário de DeFi em rápido crescimento.

Para a tristeza de uns e alegria de outros, a regulação é o primeiro passo para o mercado das Finanças Descentralizadas conseguir atrair o setor mais conservador (mercado tradicional, centralizado, com maior capital financeiro) com o disruptivo (descentralizado) do qual estamos escrevendo história.

Sendo assim, acredito que estar posicionado em ativos que possuem esta visão mais ampla, como a Aave, pode ser um grande ponto positivo para o seu portfólio.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Mayara Souza
Devoradora de livros e amante do conhecimento. Aqui tem economia, empreendedorismo, tecnologia, investimentos, liberdade e um pouco besteiras: séria mas nem tanto!
Praia do Forte em Cabo Frio pirâmide com Bitcoin

Eagle Eyes, empresa do “Pastor do Bitcoin” em Cabo Frio suspende saques

A empresa Eagle Eyes, que operava com sede na cidade de Cabo Frio (RJ), é mais uma possível pirâmide usando a imagem das criptomoedas...

Segunda maior pool de Ethereum encerra atividades devido a restrições na China

A SparkPool, segunda maior pool de mineração de Ethereum, anunciou que encerrará suas atividades no dia 30 deste mês. Hoje a pool é responsável...

Empreendedores vs investidores, quem ganhou mais dinheiro com criptomoedas?

Qual será a melhor estratégia para ganhar dinheiro, investir direto em criptomoedas ou empreender em setores essenciais relacionados a elas? Neste artigo faremos um comparativo...
.

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias