Anúncio
Início Apple Apple mira na tecnologia blockchain para combater o trabalho infantil

Apple mira na tecnologia blockchain para combater o trabalho infantil

A gigante da tecnologia submeteu um documento à Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC), se comprometendo com a defesa dos direitos humanos e combate ao trabalho infantil e degradante.

-

(Foto: Anistia.org)

Paul* tem 14 anos e sofre de bronquite crônica por inalar cobalto em uma mina na República Democrática do Congo. Ele trabalha 12 horas por dia se esgueirando por túneis e transportando sacos extremamente pesados. Mas o que é que um garotinho do outro lado do oceano tem a ver comigo, você pergunta? Tudo. Porque muito provavelmente o smartphone ou notebook que você está utilizando para ler esta matéria foi construído a partir do trabalho degradante de meninos como Paul. A nova aposta da Apple, apontada por fazer “vista grossa” a situações como a descrita acima,  é investir na tecnologia blockchain para promover uma cadeia de suprimentos mais ética e decente para seus atores.

De acordo com o CoinDesk, na última sexta-feira (15) a empresa da maçã submeteu um relatório à Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC), no qual destaca seus esforços e compromisso com a defesa “dos direitos humanos em toda a sua rede global de fornecedores”.

No documento, a empresa informa que está trabalhando no desenvolvimento das diretrizes do projeto Responsibles Minerals Initiative (RMI), que tem como objetivo implementar a tecnologia blockchain para rastrear o processo de extração de minérios e proteger os trabalhadores envolvidos nessa atividade.

Escândalo

Vale ressaltar que o recente engajamento da Apple surge após uma reportagem  da Fortune, em agosto do ano passado, e de denúnciasda Anistia Internacional, em 2016, que acusou a empresa de ser conivente com o trabalho infantil e degradante na produção dos minérios, incluindo o cobalto, utilizados em seus aparelhos.

O cobalto é um mineral abundante no Congo e matéria-prima das baterias usados em smartphones, notebooks e tablets. Na época, a investigação da Anistia Internacional expôs a negligência generalizada partindo não apenas da Apple, mas também da Samsung e da Sony, dentre outras multinacionais.

A partir de então, adotar um padrão de auditoria na cadeia de suprimentos tem se tornado mais importante nos últimos tempos, e a tecnologia blockchain vem se fortalecendo com a promessa de que trará melhorias, eficiência e mais transparência para a gestão dessa indústria. Empresas como a IBM e Ford são alguns dos exemplos que se renderam as possibilidades da tecnologia e também anunciaram iniciativas com blockchain na região do Congo.

Soluções blockchain

O documento foca nos esforços e diretrizes adotados pela Apple para combater o trabalho degradante e, dessa forma, não deixa claro se desenvolverá algum tipo de solução relacionada à blockchain ou produtos derivados da tecnologia.

No entanto, com o investimento dos concorrentes, como Samsunge Microsoft, e o documento recente apresentado à SEC, há especulaçõesde que a empresa esteja trabalhando na tecnologia blockchain nos bastidores.

Como destaca o CoinDesk, a adesão efetiva da companhia poderá incentivar a adoção da tecnologia em massa. Citando Jeff John Roberts, da Fortune, destaca que “será necessário um gigante da tecnologia como a Apple para fazer os pagamentos de blockchain funcionarem em escala”.

*Paul é um personagem real retirado da reportagem da Anistia.org. Para o texto completo, acesse aqui.

Curta nossa página no Facebook e também no Twitterpara começar e terminar o dia bem informado. Cadastra-se também na Newsletter para receber em seu e-mail.
Camila Marinho
Camila Marinho
Camila Marinho é jornalista, com passagem por jornais impressos e outros portais com foco em criptomoedas. Acredita que a tecnologia blockchain é como o fogo dado por Prometeu à humanidade. Cresceu sob o sol da Bahia e hoje vive no frenesi do centro de São Paulo.

MAIS LIDOS

5 motivos mostram que Bitcoin viverá o melhor ano de sua história em 2020

O bitcoin deverá vivenciar um momento histórico em 2020. Para alguns analistas, o próximo ano deverá elevar o preço da criptomoeda para valores jamais...

Rumor: Unick Academy sofreu fraude, Restart para Unick 2.0

Atualizado 16/08. Rumor não confirmado pela Unick:https://www.youtube.com/watch?v=N2kTrvh8mX4Circula em grupos de Whatsapp da Unick Academy (conhecida anteriormente como Unick Forex) rumores sobre um suposto golpe...

Atlas Quantum recebe reclamações sobre atrasos em saques de bitcoin

O Atlas Quantum recebeu 20 reclamações sobre atraso em saques de bitcoins recentemente. Essas reclamações foram publicadas no site Reclame Aqui, nos últimos quatro...

CEO da Anubis Trade prevê futuro “pesado” para criptomoedas no Brasil caso regulamentação não seja mais branda

Em entrevista sincera e reflexiva sobre o mercado brasileiro de criptoativos, Matheus Grijó, CEO da Anubis Trade, afirma que empreendedores brasileiros têm alto potencial...

Hardware Wallet: Vale a pena comprar uma?

Armazenar bitcoins com segurança é um assunto delicado. A natureza descentralizada do Bitcoin tem impactos importantes no seu armazenamento e manuseio, de forma que...

Mike Tyson divulga plataforma blockchain para ajudar lutadores

O famoso lutador de boxe Mike Tyson está de olho em uma nova plataforma blockchain chamada Fight2Fame. A ideia é ajudar novos lutadores a...

Escreva seu comentário:

1Xbit

5 motivos mostram que Bitcoin viverá o melhor ano de sua história em 2020

O bitcoin deverá vivenciar um momento histórico em 2020. Para alguns analistas, o próximo ano deverá elevar o preço da criptomoeda para valores jamais...

Rumor: Unick Academy sofreu fraude, Restart para Unick 2.0

Atualizado 16/08. Rumor não confirmado pela Unick:https://www.youtube.com/watch?v=N2kTrvh8mX4Circula em grupos de Whatsapp da Unick Academy (conhecida anteriormente como Unick Forex) rumores sobre um suposto golpe...