Argentina abre caminho para aluguéis com pagamento em Bitcoin

Sob a nova legislação, os contratos de aluguel na Argentina podem ser celebrados em moeda corrente ou estrangeira, a critério das partes envolvidas.

O proprietário de um apartamento em Rosário, na Argentina, firmou o primeiro contrato de aluguel cujo pagamento será realizado em Bitcoin. A novidade segue a recente revogação da Lei do Aluguel pelo presidente Javier Milei, efetuada através de um extenso Decreto de Necessidade e Urgência (DNU) contendo mais de 300 páginas, em vigor desde 30 de dezembro.

O contrato, que é o primeiro do tipo no país, será administrado pela empresa argentina Fiwind, especializada em transações com criptomoedas. “Esta é a primeira vez na Argentina que um contrato é celebrado em Bitcoin. É uma novidade para nós”, afirmou um representante da empresa ao jornal local Página|12.

De acordo com informações publicadas pelo jornal, o acordo especifica que o valor do aluguel será o equivalente em bitcoins a 100 USDT, stablecoin que mantém paridade com o dólar americano.

Na prática, isso significa que o inquilino deve transferir mensalmente aproximadamente 100 dólares, ou 0,0021 BTC na cotação atual, para o proprietário. Para facilitar o processo, ambas as partes, que já são usuárias ativas da plataforma Fiwind, acordaram em usar exclusivamente a empresa para todas as operações relacionadas ao contrato.

Argentina permite Bitcoin em contratos e comércio internacional

Sob a nova legislação, os contratos de aluguel na Argentina podem ser celebrados em moeda corrente ou estrangeira, a critério das partes envolvidas. A mudança reflete uma tendência global de digitalização e inovação no setor financeiro e imobiliário. Além disso, abre novas possibilidades para o uso de criptomoedas em transações cotidianas.

O procedimento para o pagamento do aluguel envolve a conversão dos pesos argentinos, que estão na conta bancária ou carteira virtual do inquilino, em bitcoins na plataforma Fiwind.

Além de demonstrar a adaptabilidade do mercado imobiliário à inovação tecnológica, o contrato também destaca a crescente confiança no Bitcoin como uma forma legítima de pagamento. Isso pode estimular um aumento na adoção de pagamentos digitais em outras áreas da economia argentina.

O interesse em criptomoedas na Argentina tem crescido nos últimos anos, especialmente como um meio de contornar a inflação elevada e as restrições cambiais.

Com o governo adotando uma postura mais liberal em relação às criptomoedas, espera-se que mais transações semelhantes surjam no futuro, potencialmente transformando o setor imobiliário e financeiro do país.

O contrato coloca a Argentina na vanguarda da inovação em criptomoedas na América Latina. A decisão de permitir pagamentos de aluguel em Bitcoin reflete uma abordagem progressista e adaptativa às mudanças econômicas globais e pode servir de modelo para outras nações explorarem a integração de criptomoedas em suas economias.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na maior corretora de criptomoedas do mundo e ganhe até 100 USDT em cashback. Acesse Binance.com

Entre no nosso grupo exclusivo do WhatsApp | Siga também no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Vinicius Golveia
Vinicius Golveia
Formado em sistema da informação pela PUC-RJ e Pós-graduado em Jornalismo Digital. Conhece o Bitcoin desde 2014, atuando como desenvolvedor de blockchain em diversas empresas. Atualmente escreve para o Livecoins sobre assuntos de criptomoedas. Gosta de cultura POP / Geek. Se não estiver escrevendo notícias relevantes, provavelmente está assistindo alguma série.

Últimas notícias