Bitcoin é a Amazon no ano 2000, diz ex-diretor de comunicação da Casa Branca

Portanto, hoje quem está estocando bitcoin em suas carteiras, pode estar acumulando o ativo que será uma das moedas mais utilizadas no futuro, isso se não for a mais usada.

Monte de Bitcoin e ao fundo painel de blockchain
Monte de Bitcoin e ao fundo painel de blockchain /Imagem de Tamim Tarin por Pixabay

Anthony Scaramucci, fundador da SkyBridge Capital e ex-diretor de comunicação da Casa Branca, mostrou seu ponto de vista sobre a atual queda do Bitcoin em conversa com Andrew Sorkin no programa Squawk Box da CNBC.

Segundo Scaramucci, o Bitcoin é como a Amazon no ano 2000 porque há muito espaço para crescer e essas quedas de preço apenas revelam que o bitcoin ainda não está em seu ápice, tanto em número de usuários quanto de preço.

Embora outras criptomoedas já tenham conseguido infiltrar-se em outros setores, como da arte e dos jogos eletrônicos, o Bitcoin ainda tem muitas batalhas pela frente. Seu objetivo final é livrar o indivíduo de políticos que, por desvalorizarem as suas próprias moedas, tentarão banir o BTC a qualquer custo.

Bitcoin será proteção quando atingir bilhões de usuários

Com o passar da última década percebemos que o Bitcoin está cada vez mais próximo de realizar o seu propósito, servir como uma alternativa às moedas fiduciárias que, ano a ano, perdem o seu poder de compra. Sendo adotado tanto por indivíduos quanto por instituições e até mesmo governos.

Embora Scaramucci afirme que o Bitcoin ainda não é uma proteção contra a inflação, ele também explica que isso será possível quando o BTC for usado por bilhões de pessoas e que estamos no caminho.

“Eu não acho que é uma proteção contra a inflação neste momento, eu acho que será no longo prazo, quando atingirmos um bilhão, dois bilhões de carteiras, e o Bitcoin estiver em uma zona estável de negociação. Pense na Amazon nos anos 2000, [o Bitcoin] é como a Amazon no ano 2000. Isso gera volatilidade, muito medo e incerteza, e essa é a razão pela qual [o BTC] caiu hoje”

Portanto, hoje quem está estocando bitcoin em suas carteiras, pode estar acumulando o ativo que será uma das moedas mais utilizadas no futuro, isso se não for a mais usada.

O papel do Bitcoin é gigante

Hoje as criptomoedas já estão pressionando indústrias em vários setores. O maior exemplo é a indústria de jogos eletrônicos — maior que as indústrias do cinema e música somadas —, onde grandes empresas como EA, Ubisoft e Square Enix reconheçam que precisam mudar.

Já o Bitcoin vai muito além de concorrer com empresas privadas. O principal concorrente do Bitcoin são as moedas fiduciárias como real e dólar, além disso o BTC também está travando uma batalha com o ouro conforme sua divisibilidade, liquidez, fácil transporte e transferência, e escassez comprovada são fortes atrativos.

Por conta disso, embora o Bitcoin tenha feito bastante progresso no último ano, sendo usado pela primeira vez como moeda legal em um país, negociado através de ETFs em bolsas dos EUA e provado que não depende da China — anteriormente o país com maior concentração de mineradores —, a sua batalha ainda está no começo.

Para atingirmos bilhões de usuários, como Scaramucci afirma, o Bitcoin ainda tem um longo caminho pela frente, principalmente contra legisladores e Bancos Centrais que tentam proteger as suas moedas ao proibir que indivíduos tenham liberdade de escolha.

Compre Bitcoin na Coinext

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br.



Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Henrique Kalashnikov
Formado em desenvolvimento web há mais de 20 anos, Henrique Kalashnikov encontrou-se com o Bitcoin em 2016 e desde então está desvendando seus pormenores. Tradutor de mais de 100 documentos sobre criptomoedas alternativas, também já teve uma pequena fazenda de mineração com mais de 50 placas de vídeo. Atualmente segue acompanhando as tendências do setor, usando seu conhecimento para entregar bons conteúdos aos leitores do Livecoins.

Últimas notícias