“Bitcoin motivou surgimento do DREX, o Real digital”, diz coordenador da Fazenda no Brasil

Representante do Ministério da Fazenda no evento diz que as moedas digitais de banco central servem como meio-termo, aliando o poder regulatório das autoridades com a força dos meios digitais.

Durante a audiência pública no Senado Federal na última terça-feira (9), o Coordenador-Geral de Regulação do Sistema Financeiro da Secretaria de Reformas Econômicas do Ministério da Fazenda, Emmanuel Sousa de Abreu, declarou entender que o bitcoin foi um dos principais motivadores do surgimento do DREX.

Anteriormente chamado “Real digital” pelo Banco Central do Brasil, o projeto está em fase de testes pelas instituições financeiras brasileiras. O projeto pretende complementar o que já existe no PIX, o sistema de pagamentos instantâneos do país.

Contudo, o DREX pretende dar novos casos de uso a moeda fiduciária brasileira ao implementar sua versão em formato digital e com contratos inteligentes.

Como noticiado pelo Livecoins, a audiência pública ocorreu para explicar mais sobre o projeto do BCB para a população, que ainda tem dúvidas sobre como deverá funcionar a nova moeda soberana.

“Bitcoin motivou a chegada do DREX”, diz coordenador do Ministério da Fazenda

Durante a audiência na Comissão de Comunicação e Direito Digital do Senado, Emmanuel se mostrou atento ao tema das criptomoedas. De acordo com ele, que também é professor da UnB, o bitcoin é um dos motivadores da chegada do DREX.

“A meu ver, não se confunde muito com a discussão de moeda digital, então ativos virtuais conhecidos como bitcoins, criptomoedas em geral é um modelo que inclusive é dado como um dos fatores que motivaram internacionalmente essa discussão que temos hoje de moeda digital, ou seja, nós queremos alinhar, eu acho que esse o objetivo principal do DREX, da CBDC, é alinhar o poder liberatório, o poder de custo forçado que as moedas fiduciárias têm com o meio digital.”

Ele lembra que as criptomoedas são chamadas pela legislação de ativos virtuais, que possuem muitas vantagens em meios de pagamentos digitais.

Já o poder do governo, que vem da emissão da moeda soberana, precisa dessas vantagens para continuar evoluindo em sua agenda.

O coordenador do Ministério da Fazenda, hoje sob o comando do Ministro Fernando Haddad, também destacou que o DREX tem o poder de ajudar a melhorar cartórios, colocar fim a boletos e cheques bancários, entre outras iniciativas.

“Ministério da Fazenda tem acompanhado desenvolvimento de perto, mas ainda há pontos políticos e não apenas técnicos que precisam de melhor discussão”

Ao final da sua fala, Emmanuel ainda lembrou que o Ministério da Fazenda está atento aos desenvolvimentos do DREX, e que está à disposição para colaborar.

Contudo, ele entende que ainda há pontos de divergência políticos no projeto, não apenas os técnicos, que precisam de uma melhor explicação por parte do Banco Central do Brasil.

“O Ministério da Fazenda tem acompanhado o tema, acha importantíssimo o debate, mas precisa realmente de alguns pontos serem discutidos abertamente porque são decisões muitas vezes políticas e não apenas técnicas tá.”

Assista abaixo à audiência pública sobre a emissão da moeda digital, conduzida pelo Senado Federal.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na maior corretora de criptomoedas do mundo e ganhe até 100 USDT em cashback. Acesse Binance.com

Siga o Livecoins no Google News.

Curta no Facebook, TwitterInstagram.

Entre no nosso grupo exclusivo do WhatsApp | Siga também no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Gustavo Bertolucci
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.

Últimas notícias

Bitcoin 2024

Últimas notícias