Blockchain não vai nos salvar, diz Cornel Amariei

Siga no

A tecnologia Blockchain é utilizada para vários propósitos por pessoas e empresas, desde identidade digital até rastreio de produtos, além de inúmeros outros casos de sucesso que já estão em teste.

Para Cornel Amariei, um romeno que participou do evento MindChain no último dia 22 de fevereiro, a nova tecnologia não irá ajudar muito o mundo.

Cornel é um dos 30 jovens mais influentes do mundo abaixo dos 30 anos de idade, de acordo com a Forbes.

No evento, que foi voltado a tecnologia blockchain, Cornel disse ao público que “Eu odeio chavões porque eles dão uma falsa impressão sobre o que está acontecendo. Blockchain é uma palavra de ordem – eu não sou um grande fã, e também não sou contra isso – mas nada mais é do que uma tecnologia de criptografia e descentralização – não há muitas áreas em que realmente possam ser aplicadas bem”.

Para esse jovem inventor de apenas 22 anos “o Blockchain resolverá muitos problemas, mas isso não tornará o mundo um lugar melhor. Não é nosso salvador”.

Visão da Romênia sobre Blockchain

A Romênia, sede do evento Mindchain onde Cornel deu sua opinião, é um dos países que entraram mais recentemente na União Européia.

O país é bastante interessando em criar um ambiente positivo para tecnologias, com grandes empresas possuindo operações no território. Sua taxa de crescimento econômico inclusive tem superado a dos países vizinhos.

A blockchain no país é vista com bons olhos, seno já contabilizados mais de dezesseis startups ligadas ao setor de criptomoedas e blockchain no local.

Os incentivos à tecnologia no país é tanto que profissionais de TI e os que trabalham com Pesquisa e Desenvolvimento são isentos de Imposto de Renda.

É graças a políticas como essas que a Romênia registrou crescimento de 5,7% em relação ao ano anterior em 2017 – a taxa mais rápida de crescimento na União Europeia. O crescimento tecnológico da Romênia foi tanto que atraiu comparações com Berlim, enquanto o Techcrunch uma vez se referiu à nação como o “Vale do Silício da Transilvânia”.

Aplicações de blockchain

Apesar da visão crítica de Cornel Amariei, a blockchain tem tido uma grande adoção em países e empresas, de forma que projetos de cidades inteligentes tiveram grande avanço com a chegada dessa tecnologia.

No Brasil já é possível receber o diploma da faculdade em blockchain, sendo que o atual presidente do Banco Central está de acordo com a tecnologia, assim como o BNDES.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Leia mais sobre:
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.
CEFI vs DEFI

DeFi vs CeFi: Finanças Centralizadas vs Finanças Descentralizadas

Finanças descentralizadas (DeFi) são uma das fatias mais cobiçadas da indústria de blockchain hoje, mas a ideia em si tem origens muito mais humildes. Na verdade,...
Tokyo 2020

Emissora usa imagem do Bitcoin para representar El Salvador nas Olimpíadas de Tóquio

As Olimpíadas de Tóquio começaram oficialmente nesta sexta-feira (23), em meio às restrições da pandemia e atraso de um ano. O evento começou com...
Big Techs

Gigantes da tecnologia correm para entrar no mercado de criptomoedas

Amazon, Facebook, Twitter, Reddit, Signal, Kin e provavelmente o Google são apenas algumas das maiores empresas de tecnologia do mundo que agora estão envolvidas...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias