Brasileiro é o que menos tem interesse por DeFi no mundo, diz Google Trends

Siga no

O DeFi (sigla em inglês para finanças descentralizadas) vem ocupando o posto de “queridinho” no mercado de blockchain. Em agosto deste ano, por exemplo, o setor atingiu capitalização de R$ 64 bilhões.

Apesar do “hype”, esse novo ecossistema não é muito popular no Brasil. De acordo com o Google Trends, o brasileiro é o que menos pesquisa por DeFi no mundo.

finanças descentralizadas

Vale lembrar que a ferramenta de análises de tendências do Google mostra o número relativo de buscas e não a quantidade absoluta. Em outras palavras, aponta o aumento da procura, e não o número exato de pesquisas feitas.

Brasil ocupa o último lugar nas pesquisas feitas no último ano

Nas pesquisas pelo termo DeFi, o país ocupa o último lugar entre 55 países. Na lanterninha, junto com o Brasil, estão Índia, Ucrânia, Rússia e Suécia.

Já nas primeiras posições, de acordo com o Google Trends, estão República da Maurícia (África), Burquina Faso (África) e França.

A pesquisa leva em consideração as buscas feitas nos últimos 12 meses. No caso dos últimos 90 e 30 dias, no entanto, a situação é semelhante.

Uniswap

A Uniswap é o ecossistema mais conhecido e mais popular de DeFi. De acordo com o site DeFi Pulse, o protocolo sozinho domina 23,77% das transações registradas em produtos descentralizados.

defi

Aqui no Brasil, segundo o Google Trends, o interesse por Uniswap é o mais baixo entre 68 países pesquisados. Esse cenário é visível tanto nas buscas feitas nos últimos 12 meses como nas registradas nos últimos 90 e 30 dias.

Ao lado do país nas últimas posições estão México, Japão, Colômbia, Chile, Índia e Irã. Já a nação que mais pesquisa pelo ecossistema é a China. Logo em seguida vem Nigéria, Singapura e Eslovênia.

MakerDAO e outros protocolos descentralizados

Assim como nas buscas por Uniswap e DeFi, o projeto de finanças descentralizadas MakerDAO não tem quase nenhuma popularidade por aqui. Em uma lista de 25 nações, o Brasil é o que tem menos interesse pelo ecossistema.

makerdao

Já os países que mais pesquisam pelo protocolo são China, Dinamarca, Hong Kong, Singapura e Coreia do Sul.

Os dados também levam em consideração os últimos 12 meses. Na pesquisa que compreende os últimos 90 e 30 dias, o cenário é o mesmo.

Não há volume considerável de buscas para Aave, WBTC e Curve Finance

Ao lado de Uniswap e MakeDAO, os outros três principais ecossistemas DeFi são Aave, WBTC e Curve Finance. Juntos, de acordo com o site DeFi Pulse, eles concentram 45% do valor total de criptomoedas bloqueadas em plataformas descentralizadas.

Nos casos dos ecossistemas Aave, WBTC e Curve Finance, segundo a ferramenta de análises do Google, na há volume considerável de buscas no Brasil.

Por que o brasileiro não tem tanto interesse por investimentos arriscados?

O brasileiro não tem interesse por investimentos arriscados e alternativos. Um dos principais motivos, de acordo com especialistas, é a falta de educação financeira. Além disso, o povo daqui tem medo e insegurança de escolher produtos financeiros, e acaba deixando o dinheiro na poupança.

“Falta educação. Um dos grandes problemas é a questão da zona de conforto. Desde criança somos ensinados que temos que guardar dinheiro em reais e a acreditar que a moeda é forte. Mas não é”, disse o youtuber Augusto Backes no quadro Debate Descentralizado, do Canal Dash Dinheiro Digital.

Vale lembrar que, em setembro, a poupança bateu recorde. O saldo total em contas poupanças, de acordo com o BC (Banco Central), superou a marca de R$ 1 trilhão pela primeira vez na história.

Com a queda da taxa Selic, no entanto, o rendimento no investimento mais tradicional e conservador do Brasil passou a render menos do que a inflação. Em outras palavras, isso significa que quem deixa dinheiro na poupança perde grana, em vez de ganhar.

Leia mais sobre:
Lucas Gabriel Marins
Lucas Gabriel Marins
Jornalista desde 2010. Escreve para Livecoins e UOL. Já foi repórter da Gazeta do Povo e da Agência Estadual de Notícias (AEN).

Miami pode ser a primeira cidade a ter reservas em Bitcoin

O prefeito de Miami, Francis Suarez, vem, desde dezembro de 2020, considerando apostar no Bitcoin para fazer parte das reservas da cidade. Segundo Suarez,...
PayPal e Bitcoin criptomoedas blockchain

Ações do PayPal podem valorizar 46% “graças ao Bitcoin”, diz analista

Por causa do Bitcoin, o PayPal pode alcançar uma incrível valorização no preço das suas ações. Um analista da Mizuho Securities elevou sua estimativa...

Irã sofre com apagões, governo culpa mineração de Bitcoin

O governo do Irã tem apontado que os recentes apagões ocorridos no país têm sido causados pelo alto consumo das fazendas de mineração de...

Cotações por TradingView

Últimas notícias

Ações do PayPal podem valorizar 46% “graças ao Bitcoin”, diz analista

Por causa do Bitcoin, o PayPal pode alcançar uma incrível valorização no preço das suas ações. Um analista da Mizuho Securities elevou sua estimativa...

Irã sofre com apagões, governo culpa mineração de Bitcoin

O governo do Irã tem apontado que os recentes apagões ocorridos no país têm sido causados pelo alto consumo das fazendas de mineração de...

Banco Central da Nova Zelândia é hackeado

Há uma semana, no domingo (10), o Banco Central da Nova Zelândia foi alvo de um ataque hacker que deixou graves consequências. As autoridades...

Binance abre inscrições para voluntários no Brasil

Quem busca empreender com criptomoedas ou mesmo ingressar nas comunidades brasileiras, uma oportunidade de aprendizado surgiu nos últimos dias. A Binance, a maior maior...

Uganda desliga internet, comércio de bitcoins para de funcionar

Na véspera das eleições presidenciais, o governo da Uganda bloqueou, sem avisar, a Internet de toda população. Isso ocorreu depois de os ugandeses contornarem...