Home Bitcoin Chile quer regulamentar criptomoedas e fintechs

Chile quer regulamentar criptomoedas e fintechs

Senta que lá vem o estado!

-

Compartilhe
Chile quer regulamentar criptomoedas e fintechs

De acordo com um jornal local de notícias chileno, o Ahoranoticias, o Chile quer regulamentar criptomoedas e fintechs. As soluções têm chamado atenção de bancos e Bancos Centrais de vários países, que temem não pegar uma fatia da inovação que está a ser construída.

Dito isso, as fintechs são um setor de inovação tecnológica ligada às finanças que tem tirado clientes de bancos tradicionais. Além disso, muitas já estão antenadas nas criptomoedas para tentar aprimorar seus serviços.

No Brasil, por exemplo, o Nubank é uma fintech em crescimento, que a comunidade pede que faça adesão a essa modalidade descentralizada. A legislação do país, entretanto, pode travar uma inovação neste sentido.

Regulamentação pode ser atraso para inovação

A SEC, órgão responsável pela regulamentação de ativos nos Estados Unidos acha atraso regulamentar as criptomoedas. De acordo com a analista Heister Peirce as inovações devem crescer livremente.

Entretanto, no Chile o cenário não é o mesmo. O ministro Felipe Larraín afirmou que a regulamentação irá analisar o modelo de negócios das empresas.

Para Felipe, “a regulamentação irá aplicar medidas proporcionais analisando o tipo dos serviços prestados pelas plataformas”. Além disso, afirmou que “essas medidas são para proteger usuários e o mercado financeiro do país”.

Cenário no Chile ainda é tranquilo, mas pode mudar com regulamentação

O Chile é um país que não é desfavorável para as criptomoedas. Por lá, o Bitcoin (BTC) e demais moedas digitais ainda não são ilegais.

Porém, o país está de olho no crescimento de operações de criptomoedas. O Ministro da Fazenda Felipe Larraín disse que uma regulamentação pode proteger o mercado.

“Uma regulamentação protegeria o mercado contra lavagem de dinheiro, financiamento do terrorismo, por exemplo”.

Muitos países que tem anunciado uma regulamentação para o mercado das criptomoedas estão alinhados em sua falácia. Isso porque o financiamento do terrorismo, que anda sendo uma das bandeiras dos legisladores, já foi negada por um estudo recente.

O mercado das criptomoedas e fintechs ainda é novo e pode ajudar muito as pessoas a ter facilidades. Entretanto, o caminho tortuoso das regulamentações pode prejudicar o crescimento de inovações necessárias, e finalmente, mais atrapalhar do que ajudar.

Curta nossa página no Facebook e também no Twitterpara começar e terminar o dia bem informado. Cadastra-se também na Newsletter para receber em seu e-mail.

MAIS LIDOS

Congressistas entendem a diferença entre a Libra e o Bitcoin

A criptomoeda Libra tem sido associada ao Bitcoin, entretanto, há diferenças entre os projetos. De acordo com Charlie Shrem, os congressistas dos EUA conseguem...

Como ganhar dinheiro com a volatilidade do bitcoin

O Bitcoin é um ativo bastante volátil, ele possui mais de 63% de volatilidade anual. Isso significa que ele pode retrair ou expandir 63%...

Unick Forex, FX Trading e Zero10 Clube estão na mira de hackers que ajudam Polícia Federal em investigação

A Unick Forex e mais outras 50 empresas estão sendo investigadas por um grupo de hackers supervisionados por autoridades. O grupo ajuda na investigação...

Menor fração de bitcoin está prestes a valer mais que a moeda da Venezuela

Um satoshi de bitcoin (0.0000001 BTC) está quase valendo mais que o bolívar soberano da Venezuela. Os números revelam que um satoshi poderá valer...

Já é possível pagar aluguel com Bitcoin em imobiliária gaúcha

Uma imobiliária gaúcha permite que seus clientes paguem o aluguel através do bitcoin. A iniciativa traz ainda um cartão magnético que poderá ser utilizado...

Lojas que aceitam bitcoin: descubra onde pagar com bitcoin

O mercado de meios de pagamentos está passando por muitas mudanças causadas pelos avanços tecnológicos. Exemplo disso é o fato dos cartões, tanto de...
 

COMENTÁRIOS

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Compartilhe