Autoproclamado Satoshi Nakamoto diz que venderá todos seus bitcoins

Existe uma maneira simples para Craig Wright provar que é Satoshi Nakamoto, bastaria que ele movesse suas moedas. Ou então, mais simples ainda, Wright só precisaria assinar uma mensagem usando um daqueles endereços. Ao ser questionado sobre porque não faz isso, Wright esquivou-se mais uma vez.

Craig Wright, falso criador do Bitcoin, em entrevista à Kitco News. Fonte: Reprodução.
Craig Wright, falso criador do Bitcoin, em entrevista à Kitco News. Fonte: Reprodução.

Craig Steve Wright, autoproclamado criador do Bitcoin, afirma que venderá suas moedas porque o Bitcoin “não tem utilidade”. Tal montante é estimado em 1,1 milhão de bitcoins, equivalente a 235 bilhões de reais. Contudo, é altamente improvável que Wright tenha acesso a tais moedas, afinal elas são do verdadeiro Satoshi Nakamoto. A conversa ocorreu durante a última quarta-feira (30) com David Lin da Kitco News.

Apelidado de Faketoshi (Falso Satoshi), Wright voltou a declarar que criou o Bitcoin sozinho e disse que o bitcoin não é cripto e sim anti-cripto. Além disso, também efetuou ataques a indústria em sua totalidade ao afirmar não haver nenhuma exchange regulada, incluindo a Coinbase, e as negociações são fictícias.

Apesar de muita fala, Wright novamente esquiva-se da única prova de que ele é de fato o criador do Bitcoin. Para isso, bastaria que CSW movesse algumas moedas ou então assinasse uma mensagem com um endereço usado por Satoshi.

Bitcoin não tem utilidade, diz Craig Wright

Ao ser questionado pelo entrevistador David Lin sobre o que fará com os 1,1 milhão de bitcoins (R$ 235 bi), caso os tenha, Craig Wright respondeu que venderá suas moedas. Tal montante é atribuído a Satoshi Nakamoto, o verdadeiro, devido à mineração da moeda em seus primeiros anos.

“Se você estiver falando sobre BTC, então sim, eventualmente venderei porquê ele não tem utilidade.”

Explicando seu pensamento, Wright afirma que o protocolo do Bitcoin pode processar até 100 bilhões de transações por segundo. Explicando que, até o final da década, ele terá um protocolo 99% mais barato que a Amazon, referindo-se ao Bitcoin Satoshi Vision (BSV), um fork do Bitcoin (BTC).

Para Wright, o valor de uma criptomoeda é baseado em análise fundamental, em outras palavras seu foco está na quantidade de transações por segundo. Contudo, é válido notar que ao aumentar este número, aumenta-se a centralização e diminui-se a segurança, principais pontos do Bitcoin.

Bitcoin nunca foi algo anarquista

Outro ponto que chama atenção na entrevista é a afirmação de Wright de que o Bitcoin nunca foi anarquista. Não obstante, CSW também relata que o Bitcoin nunca foi enviado para a lista de e-mails dos cypherpunks.

“O que farei com minhas participações, bem, na verdade, são participações corporativas. Em 2009 criei companhias e trusts, então isso nunca foi algo anarquista, ao contrário do que as pessoas tentam [fazer parecer] e dizem a você.”, afirmou Craig Wright

“Bitcoin não tem nada a ver com cypherpunk. O Bitcoin nunca foi distribuído na lista de e-mail dos cypherpunks. Qualquer um que afirme isso é estupido ou está mentindo.”

Ataques à indústria

Questionado sobre o impacto no mercado, de uma possível venda de 1,1 milhão de BTC, Wright então disparou ataques as exchanges. Referindo-se a eles como bucket shops, Wright as compara a pseudo-corretoras, do século XIX, que realizavam negociações fictícias de ações.

“Não é um mercado, por definição, estamos falando sobre exchanges de bucket shop, nenhuma delas é regulada ou legalizada, nem mesmo a Coinbase.” afirmou CSW, “Basicamente temos um monte de piratas pretendendo ser mercados.”

Seguindo, Wright alega que o Bitcoin nem sequer é cripto, aproveitando a oportunidade para novamente se proclamar como o criador da maior criptomoeda do mundo.

“[Bitcoin] não é cripto, não há encriptação no Bitcoin. Quando o projetei era texto simples, na verdade ele foi projetado para não ser cripto. […] Bitcoin é dinheiro digital, então é anti-cripto.”

Não acreditariam em mim de qualquer forma, afirma CSW

Existe uma maneira simples para Craig Wright provar que é Satoshi Nakamoto, bastaria que ele movesse suas moedas. Ou então, mais simples ainda, Wright só precisaria assinar uma mensagem usando um daqueles endereços. Ao ser questionado sobre porque não faz isso, Wright esquivou-se mais uma vez.

“Porque isso não é uma maneira de provar isso. Estes não são críticos, basicamente estas são pessoas que apoiam Ross [Ulbricht] e outros, com todo movimento anarquista que o Bitcoin foi projetado para quebrar.” afirmou CSW, “Essas são pessoas que querem coisas como a Silk Road.”

“Estas são as mesmas pessoas que, caso eu movesse as moedas, afirmariam que eu as roubei. Isso não é como assinaturas digitais funcionam.”

Portanto, Wright usa uma desculpa esfarrapada para novamente não fornecer a maior prova de que ele é Satoshi Nakamoto. Desta forma, é compreensível que ele seja conhecido como “o falso criador do Bitcoin”.

Além disso, os 1,1 milhão de bitcoins de Satoshi Nakamoto valem 235 bilhões de reais. Caso Faketoshi tivesse acesso a elas, já as teria vendido, afinal ele nem sequer acredita que o Bitcoin tenha futuro. A entrevista na íntegra está disponível abaixo.

Compre Bitcoin na Coinext

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br.



Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Henrique Kalashnikov
Formado em desenvolvimento web há mais de 20 anos, Henrique Kalashnikov encontrou-se com o Bitcoin em 2016 e desde então está desvendando seus pormenores. Tradutor de mais de 100 documentos sobre criptomoedas alternativas, também já teve uma pequena fazenda de mineração com mais de 50 placas de vídeo. Atualmente segue acompanhando as tendências do setor, usando seu conhecimento para entregar bons conteúdos aos leitores do Livecoins.

Últimas notícias