Criptomoedas morreram nos EUA, diz executivo que ajudou Facebook atingir 1 bilhão de usuários

A guerra do governo americano contra as criptomoedas está tão clara que a comunidade até mesmo já lhe deu um nome: Operação Choke Point 2.0, uma referência a uma antiga operação que mirou no ramo do tabaco e outras indústrias non-gratas.

Chamath Palihapitiya passou por grandes empresas como Winamp, AOL e Facebook antes de fundar seu próprio fundo de investimento, o Social Capital, e começar a investir em criptomoedas.

Em 2021, o investidor chegou a afirmar que o Bitcoin havia substituído o ouro. No entanto, Palihapitiya agora está preocupado com o futuro das criptomoedas.

Em vídeo recente de seu programa, o All-In Podcast, o investidor afirmou que “as criptomoedas estão mortas nos EUA”, sendo mais um nome de peso que acredita que o governo americano está exterminando o setor pelas beiradas.

EUA continuam pressionando as criptomoedas

A guerra do governo americano contra as criptomoedas está tão clara que a comunidade até mesmo já lhe deu um nome: Operação Choke Point 2.0, uma referência a uma antiga operação que mirou no ramo do tabaco e outras indústrias non-gratas.

No mês passado, Katie Haun foi mais uma que expôs este complô governamental, afirmando que os EUA estavam sufocando a indústria pelos bastidores, atropelando toda e qualquer legalidade legislativa e regulatória.

Agora, Chamath Palihapitiya, executivo que ajudou o Facebook a atingir 1 bilhão de usuários, é outro nome de respeito que tocou no assunto. Em conversa com Jason Calacanis, David Sacks, David Friedberg e Gavin Baker na última sexta-feira (21), o investidor foi direto ao assunto.

“As criptomoedas estão mortas na América.”

“Agora você vê [Gary] Gensler até mesmo culpando as criptomoedas pela crise bancária”, continuou Palihapitiya, referindo-se a uma fala recente do Presidente da SEC. “Portanto, as autoridades dos Estados Unidos apontaram firmemente suas armas para as criptomoedas.”

Na sequência, Palihapitiya comenta sobre o caso da Coinbase, corretora listada na Nasdaq. Embora ela tenha seguido todas as regras do jogo, é aquela que está mais longe de conseguir uma licença para operar no país, disse o executivo.

“A que chegou mais próxima foi aquela que era a mais fraudulenta, a FTX. Como isso é possível?”

Por fim, os investidores também conversaram sobre Inteligência Artificial, tópico que hoje parece estar presente em todas as rodas de conversas, e também sobre SpaceX, Reddit, eleições americanas e outros assuntos mais curtos.

O episódio completo pode ser assistido na íntegra abaixo, em inglês.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na maior corretora de criptomoedas do mundo e ganhe até 100 USDT em cashback. Acesse Binance.com

Entre no nosso grupo exclusivo do WhatsApp | Siga também no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Henrique HK
Henrique HKhttps://github.com/sabotag3x
Formado em desenvolvimento web há mais de 20 anos, Henrique Kalashnikov encontrou-se com o Bitcoin em 2016 e desde então está desvendando seus pormenores. Tradutor de mais de 100 documentos sobre criptomoedas alternativas, também já teve uma pequena fazenda de mineração com mais de 50 placas de vídeo. Atualmente segue acompanhando as tendências do setor, usando seu conhecimento para entregar bons conteúdos aos leitores do Livecoins.

Últimas notícias