Criptomoedas não estão mais entre as maiores preocupações do Fed

Por eventos, o Fed está se referindo ao colapso da stablecoin TerraUSD (UST), bem como da Terra (LUNA), o que acabou gerando perdas até mesmo para gigantes da indústria que se provaram verdadeiros amadores.

Segundo o mais recente relatório de estabilidade financeira dos EUA, publicado pelo Federal Reserve na última sexta-feira (4), as criptomoedas já não estão entre os maiores riscos à estabilidade econômica do país.

Por outro lado, a inflação do dólar e o aperto monetário do Fed aparecem no topo, com mais de 60% dos profissionais entrevistados acreditando que isso possa levar o país a um colapso.

Na sequência, a invasão da Rússia à Ucrânia aparece com o mesmo percentual, seguindo por outro potencial conflito armado, desta vez entre China e Taiwan.

Com inflação nas alturas, criptomoedas já não a primeira preocupação do Fed

Em comparação com a pesquisa realizada durante a primavera do hemisfério norte, entre janeiro e abril, alguns riscos ainda perturbam os especialistas que responderam ao questionado do Fed.

Como exemplo, o alto custo da energia nos EUA ainda segue entre os quatro maiores, assim como o aumento de preços de modo geral (inflação) e a política monetária do Fed para controlar a desvalorização do dólar.

Outras preocupações surgiram no último semestre, como riscos na economia de mercados emergentes e a recessão na europa.

Enquanto isso as criptomoedas desapareceram da lista. Previamente citadas por menos de 20% dos entrevistados, agora já nem mesmo aparecem nos novos dados, assim como variações da Covid-19.

Riscos mais citados para os próximos 12 a 18 meses, pesquisas realizadas durante outono do hemistério norte (acima) e na primavera (abaixo). Fonte: Federal Reserve/Reprodução.

Mesmo sem apresentarem grandes riscos, Fed analisou o mercado de criptomoedas

Apontando que as maiores criptomoedas já despencaram 69% desde novembro do ano passado, há exatamente um ano, o Fed ainda se mostra preocupado com a situação deste novo mercado.

“Os eventos dos últimos meses sugerem que o ecossistema enfrenta vulnerabilidades e riscos semelhantes aos que podem ocorrer nas finanças tradicionais, incluindo corridas [bancárias], alavancagem excessiva, risco operacional, opacidade e fraude.”

Criptomoedas tiveram boa valorização em 2021, mas já devolveram boa parte do crescimento. Fonte: Fed/Reprodução.

Por eventos, o Fed está se referindo ao colapso da stablecoin TerraUSD (UST), bem como da Terra (LUNA), o que acabou gerando perdas até mesmo para gigantes da indústria que se provaram verdadeiros amadores.

Por fim, o fato das criptomoedas terem saído da lista de “maiores riscos” para a economia americana é um bom sinal. Mesmo assim Jerome Powell, presidente do Fed, já afirmou que o inverno das criptomoedas está ajudando reguladores.

Ou seja, estes estão tendo mais tempo para criar leis sobre o setor. Portanto, podemos esperar mais rigidez nos mercados em breve, mesmo que elas não sejam mais o foco do banco central americano.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na maior corretora de criptomoedas do mundo e ganhe até 100 USDT em cashback. Acesse Binance.com

Siga o Livecoins no Google News.

Curta no Facebook, TwitterInstagram.

Entre no nosso grupo exclusivo do WhatsApp | Siga também no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Henrique HK
Henrique HKhttps://github.com/sabotag3x
Formado em desenvolvimento web há mais de 20 anos, Henrique Kalashnikov encontrou-se com o Bitcoin em 2016 e desde então está desvendando seus pormenores. Tradutor de mais de 100 documentos sobre criptomoedas alternativas, também já teve uma pequena fazenda de mineração com mais de 50 placas de vídeo. Atualmente segue acompanhando as tendências do setor, usando seu conhecimento para entregar bons conteúdos aos leitores do Livecoins.

Últimas notícias

Bitcoin 2024

Últimas notícias