Chainalysis pede registro de marca no Brasil

Com estudos e outras soluções para rastrear criptomoedas, empresa é uma das mais famosas do mundo hoje.

Siga no
Lupa olhando Bitcoin. Imagem: Freepick
Lupa olhando Bitcoin. Imagem: Freepick

Uma empresa especialista em investigação sobre Bitcoin e que auxilia autoridades pelo mundo a rastrear criptomoedas está chegando ao Brasil. O pedido de registro de marca, publicado pelo INPI nesta terça-feira (23), foi feito com prioridade.

A Chainalysis é de fato uma das referências, principalmente ao ajudar governos a entender mais sobre criptomoedas. Nos últimos dias, por exemplo, a empresa liberou um estudo afirmando que os Estados Unidos é o país que mais recebe fundos ilícitos de criptomoedas.

Reconhecida pelos estudos e análises, a empresa oferece os serviços de rastreio de criptomoedas. Em 2020, a Chainalysis afirmou que, apesar do aumento da associação das criptomoedas com crimes, a regulamentação poderia resolver o problema.

Com o Brasil procurando avançar nas regras para o setor, a chegada da empresa pode ter relação com o movimento.

Famosa empresa de investigação de Bitcoin, Chainalysis pede o registro de marca com prioridade no Brasil

A Chainalysis pediu no mês de janeiro de 2021, o registro de sua marca junto ao Instituto Nacional da Propriedade Industrial, o INPI. O pedido foi publicado na Revista de Propriedade Industrial desta terça-feira (23).

Dessa forma, a Chainalysis deixa claro que deverá começar a oferecer seus serviços no Brasil. A empresa é uma das mais conhecidas no ramo de investigação onchain e offchain de Bitcoin e outras criptomoedas.

Com várias ferramentas de tecnologia, a Chainalysis já ajudou governos a encontrar responsáveis por cometer crimes. Além disso, foram oferecidos serviços para instituições bancárias, que tinham interesse em compreender mais sobre o mercado de criptomoedas.

O pedido junto ao INPI foi feito com prioridade, segundo o art. 16 da Lei 9.279/1996. Este artigo garante que pedidos depositados em países parceiros do Brasil, tenham prioridade no país, condizente com os preceitos da Convenção da União de Paris.

Dessa forma, o pedido da marca pode ser aprovado com mais rapidez, fazendo com que a empresa comece a funcionar no Brasil em breve.

Hackers e pirâmides brasileiras poderão encontrar mais dificuldade em ocultar ganhos com criptomoedas

Em seu histórico de serviços, a Chainalysis já ajudou governos a derrubar negócios na dark web. Além disso, com as ferramentas da empresa, muitos hackers que cometiam crimes, usando as criptomoedas, foram presos.

Mas empresas fraudulentas, como as pirâmides financeiras, por exemplo, também poderiam entrar na mira de investigações mais sofisticadas. Isso porque, algumas possíveis fraudes que aconteceram no Brasil nos últimos anos, como a Unick, Indeal, Atlas Quantum, entre outras, ocultaram seus ganhos em Bitcoin.

Os clientes desses golpes até hoje não sabem onde estão seus recursos, mas tudo pode mudar caso a Chainalysis comece a trabalhar com as autoridades brasileiras.

Vale o destaque que o Brasil ainda não regulamentou o Bitcoin e o mercado de criptomoedas ainda hoje. Tramitam hoje no legislativo brasileiro projetos de lei na Câmara dos Deputados e até no Senado Federal, mas nenhum projeto ganhou força para ser aprovado ainda.

Apesar disso, a Receita Federal já exige dos brasileiros a declaração em imposto de renda do patrimônio em criptomoedas, desde 2019. Desse modo, a chegada da Chainalysis ao Brasil, em um momento em que se espera por um movimento de legalização, pode ajudar na criação de regras ao setor.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.

Dono da maior corretora de criptomoedas da Rússia é preso

Dmitry Vasiliev, ex-CEO e fundador da exchange de criptomoedas da Rússia, Wex, foi preso no começo de agosto pela Interpol e levado para um...
Bitcoin regulação. Imagem: ShutterStock

Mais de 60 corretoras de bitcoin deixarão de funcionar na Coreia do Sul

A Comissão de Serviços Financeiros (FSC) da Coreia do Sul, como muitas outras jurisdições, está aumentando o cerco regulatório em relação as corretoras do...
Gráfico de preço da Cardano em alta

99% dos contratos inteligentes da Cardano continuam inativos

A atualização da rede Cardano para que ela passasse a ter contratos inteligentes foi um dos momentos mais aguardados pelos investidores da moeda digital....

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias