Bitcoin é mau, Ethereum é bom, diz Greenpeace

O Greenpeace não fornece nenhuma fonte ou estudo para provar sua acusação de que o carvão é a principal fonte de eletricidade para a mineração de bitcoin.

O Greenpeace aproveitou o evento Ethereum Climate Platform (ECP), que aconteceu no Egito dos dias 6 a 18 de deste mês, para atacar o bitcoin e seus investidores.

“O Bitcoin está ficando ainda mais para trás enquanto outros na indústria cripto trabalham para enfrentar a crise climática”, disse o Greenpeace em comunicado, acrescentando:

“Em vez de tomar a iniciativa para reduzir o uso de energia alterando o código, a maioria dos principais players do Bitcoin se recusam a reconhecer o problema.

Enquanto outras criptomoedas estão fazendo mudanças para se tornarem mais eficientes e apresentando abordagens para lidar com a poluição climática histórica, a ‘mineração’ de Bitcoin tornou-se mais suja nos últimos anos, com o carvão como sua principal fonte de eletricidade.”

O Greenpeace não fornece nenhuma fonte ou estudo para provar sua acusação de que o carvão é a principal fonte de eletricidade para a mineração de bitcoin, sendo esta uma organização naturalmente muito tendenciosa, mas nesta ocasião, o Greenpeace não deixou de elogiar um, enquanto ataca outro. Para o Greenpeace, portanto, o Ethereum é bom, e o Bitcoin é mau. 

“A Ethereum Climate Platform (ECP) é outro exemplo de criptomoeda que tomam a iniciativa de mitigar a crise climática”, disse o Greenpeace, “deixando o Bitcoin cada vez mais para trás enquanto o mundo luta contra a crise climática”.

 

“Ethereum é bom”

A ConsenSys, Aave, Microsoft e outras grandes empresas anunciaram que investirão em projetos climáticos que prometem mitigar as emissões de carbono anteriores do Ethereum.

O Ethereum não usa mais energia em seu processo de mineração após sua atualização para Proof of Stake em setembro, mas nos sete anos anteriores foi baseado em Proof of Work com este consórcio agora tentando compensar o carbono emitido naquele momento.

“Financiar projetos verdes de alta qualidade é fundamental na luta para mitigar as mudanças climáticas causadas pelo homem”, disse Bill Kentrup, cofundador da Allinfra, um dos participantes.

Eles investirão em startups verdes e estão chamando isso de compensação enquanto aproveitam a oportunidade para atacar o bitcoin, porque não.

O papel que a tecnologia das criptomoedas pode desempenhar nessas startups, no entanto, não está muito claro, com vários experimentos desde 2017 ainda efetivamente em desenvolvimento em relação a qualquer conclusão.

Alguns dos projetos mais interessantes giravam em torno de uma rede local baseada em painéis solares com criptomoedas conectadas a ela como meio de troca de energia enviada para a rede ou mesmo retirada dela.

Também havia ambições de conectar os painéis solares às baterias dos carros elétricos e, por meio dessas baterias, conectá-los à rede.

Você pode fazer isso por meio de algum tipo de banco de dados centralizado no qual se inscreve por meio de contas bancárias, mas também pode usar tokenização para inicialização para iniciar a adoção.

“Bitcoin é mau”

Para o bitcoin, o foco está mais na ciência da energia. A natureza muito competitiva da mineração do bitcoin significa que os preços de energia são uma enorme vantagem competitiva e, portanto, podem impulsionar a construção de projetos renováveis ​​mais eficientes, incluindo fazendas solares.

Em países pobres, no entanto, talvez eles usem carvão, mas o foco atualmente deve ser aumentar a capacidade de fabricação e, ao mesmo tempo, incentivar ou mesmo exigir a demanda por energias renováveis ​​como solar, eólica e, de fato, hidrogênio.

Porque o bitcoin não mudará seu mecanismo de mineração e, sem dúvida, não pode, pois a rede deve ter um meio de acessá-lo diretamente por meio da computação sem ter que receber o bitcoin de outra pessoa.

A retórica do bode expiatório, portanto, pode afastar as pessoas e fazer com que esse assunto pareça politizado, quando provavelmente seria muito mais eficaz adotar uma abordagem neutra da indústria com foco mais em todos e em todas as indústrias atualizando para renováveis.

Para a Europa, em particular, isso agora também é uma questão de segurança nacional e, assim, em vez de apenas entregar dinheiro a países mais pobres como o Egito, a Europa deve apresentar um plano de investimento e construção para se tornar totalmente independente de energia com base em fontes renováveis ​​potencialmente dentro de cinco anos.

Isso pode ser feito com uma atitude prática e o mercado provavelmente ficaria feliz em contribuir ou financiá-lo por meio de dívidas ou de outra forma, porque esse também é um empreendimento potencialmente muito lucrativo.

Que o investimento em ethereum e em startups esteja na vanguarda, não é surpresa, porque esse espaço prospera na inovação e, claro, ficaria muito feliz em associar-se à inovação na indústria de energias renováveis.

O Bitcoin também tem espaço para fazê-lo, pois o debate sobre a mudança climática chega a um consenso geral com o trabalho árduo de construir tudo agora precisando começar a todo vapor.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na maior corretora de criptomoedas do mundo e ganhe até 100 USDT em cashback. Acesse Binance.com

Siga o Livecoins no Google News.

Curta no Facebook, TwitterInstagram.

Entre no nosso grupo exclusivo do WhatsApp | Siga também no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

TrustNodes
TrustNodeshttps://trustnodes.com
News on all things Blockchain, Ethereum, IoT, Fintech and Bitcoin.

Últimas notícias

Bitcoin 2024

Últimas notícias