FMI diz que criptomoedas estão cada vez mais populares… e voláteis

Siga no
FMI
FMI

O Fundo Monetário Internacional (FMI) voltou a falar sobre criptomoedas como Bitcoin, Ethereum e stablecoins nesta terça-feira (11) através de um relatório intitulado Conexões Crípticas. Na oportunidade, o FMI destacou que estes ativos estão cada vez mais populares, apesar disso mostra-se preocupado com a volatilidade.

No mês passado, o FMI já havia reconhecido que é impossível banir as criptomoedas já que isto está fora de seu controle. Mesmo assim a entidade parece não tirar os olhos da classe de ativos mais promissora do mundo.

Marcado por um período de forte aceitação entre gigantes como Elon Musk, CEO da Tesla e SpaceX, o criptomercado também está formando novos bilionários, como o CEO da Binance, Changpeng Zhao. Sorte de quem não escutou o FMI anteriormente e acreditou na moeda.

Popularidade e volatilidade

No documento de treze páginas, o Fundo Monetário Internacional (FMI) dá destaque para a popularização do Bitcoin entre instituições e cita a correlação cada vez maior com o mercado tradicional. Apesar disso, ainda mostra-se desconfiado em alguns pontos como a volatilidade e o uso destes ativos em países emergentes.

É notável que 2021 tenha sido um ótimo ano para o BTC, além da aprovação de três ETFs de bitcoin nos EUA, vários fundos e instituições começaram a usá-lo como reserva de valor e investimento, como destaca o FMI.

“Criptoativos surgiram como uma classe de ativos cada vez mais popular entre investidores de varejo e institucionais”

Apesar disso, o FMI ainda mostra-se preocupado com a volatilidade de tais ativos, especialmente em países emergentes, “implicando em riscos de estabilidade financeira”, segundo a nota.

O ponto é que estes país com economias fracas são os que mais necessitam de criptomoedas, seja com Bitcoin ou até mesmo stablecoins pareadas no dólar. Afinal, este é o caminho mais curto para aqueles que querem se proteger da inflação, independente de seu tamanho. Como exemplo, temos o caso da Turquia.

Correlação com o mercado tradicional

Além de comparar a capitalização de mercado do Bitcoin com grandes companhias como Apple, Microsoft, Amazon e Google, o relatório também foca em como estes dois mercados estão cada vez mais próximos.

Correlação entre Bitcoin e S&P500. Fonte: FMI

Como exemplo, o FMI destaca que movimentos de preço do Bitcoin e do S&P500 — índice de 500 ativos dos EUA — estão cada vez mais relacionados.

Isso prova que o BTC é um investimento como qualquer outro, ou seja, sua demanda e oferta é baseada em estímulos externos. Como exemplo, podemos citar a impressão de moedas fiduciárias e mudanças na taxa de juros, fazendo com que alguns players mudem suas posições.

Por fim, o relatório do FMI é mais uma constatação de uma criptomoeda como o Bitcoin é cada vez mais necessária, bem como sua tecnologia que permitiu a criação de outros recursos, como stablecoins que permitem uma exposição mais fácil a ativos internacionais.

Compre Bitcoin na Coinext

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br.



Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Henrique Kalashnikov
Há mais de 5 anos trabalhando com criptomoedas, hoje escrevo artigos e notícias para o Livecoins.
Robert Kiyosaki

Robert Kiyosaki diz que crash do Bitcoin é uma “excelente notícia” – “Hora de...

Não é segredo para ninguém que o mercado de criptomoedas está em um período bem complicado, com uma correção que começou na virada do...
XP Investimentos e gráficos ao fundo

XP Investimentos lança fundo focado em metaverso

A XP Investimentos e a corretora Rico anunciaram nesta segunda-feira (24) um fundo focado no metaverso, que estará disponível para seus clientes. A XP...

Nova ameaça ao Ethereum? Fantom ultrapassa Solana, BSC e Avalanche

Com o setor DeFi ainda sendo um ponto importante para o mercado de criptomoedas e diferentes ecossistemas, uma rede está se destacando em relação...
.

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias