Co-fundador da Apple perde processo contra YouTube

Steve Wozniak é entusiasta das criptomoedas, mas sua imagem acabou sendo vinculada às fraudes comuns nesse mercado.

Siga no
Steve Wozniak, co-fundador da Apple e Efforce
Steve Wozniak, co-fundador da Apple e Efforce/Reprodução

Steve Wozniak é famoso por ser um dos fundadores da Apple, ao lado de Steve Jobs. Ele acabou sendo vinculado a uma fraude com Bitcoin, em vídeos que rodavam no YouTube.

Wozniak é um fã das criptomoedas há alguns anos, tendo até lançado uma moeda própria no final de 2020. Sua moeda tem como objetivo principal o financiamento de projetos ecologicamente corretos.

Apesar de ser um empresário de sucesso no ramo da tecnologia, fundando o que é hoje uma das maiores empresas do mundo, ele ficou revoltado com sua imagem em promoções de golpes. Então moveu um processo contra o YouTube e contra o Google.

Fundador da Apple aparecia em vídeos “sorteando Bitcoin”, mas era uma fraude no mercado

Em 2020, um golpe envolvendo o Bitcoin no Twitter chamou atenção no mundo todo. Ao se apossar de vários perfis de autoridades e personalidades, bandidos virtuais divulgaram mensagens com as promessas de ganhos em criptomoeda.

Perfis de Joe Biden, Barack Obama, entre vários outros publicaram mensagens pedindo que as pessoas enviassem Bitcoin para seus endereços. Ao fim do sorteio, “os sortudos” que enviassem criptomoedas receberiam o dobro.

O problema é que o Twitter tinha sido hackeado e as mensagens eram totalmente falsas. Quem enviou qualquer quantia de Bitcoin para os endereços da mensagem acabaram perdendo tudo.

Apesar de o caso no Twitter ter ficado famoso, esse mesmo golpe é comum em vídeos do YouTube também. E uma das imagens que circulava era de Steve Wozniak, fundador da Apple e fã do Bitcoin, que acabou ficando irritado ao saber que estaria prometendo moedas em dobro pela internet.

Ele processou o YouTube, com o caso indo parar no Tribunal Superior do Condado de Santa Clara, nos Estados Unidos. Wozniak alegou em seu processo que o YouTube não apenas não removeu o conteúdo falso, como também havia contribuído com o golpe, vendendo anúncios que direcionavam para esses conteúdos nocivos.

Justiça alegou que não há como processar YouTube

Ao analisar o caso, o juiz afirmou que as queixas de Steve Wozniak não são suficientes para embasar um processo contra o YouTube, com base na seção 230 da Lei de Decência nas Comunicações.

De acordo com a Bloomberg, o fundador da Apple terá 30 dias para reformular seu pedido contra o YouTube, que envolveu sua imagem em uma fraude de Bitcoin que tem sido cada vez mais comum.

Personalidades como Bill Gates, Elon Musk, também já foram colocados em fraudes semelhantes.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.

NFT pode “matar” o Bitcoin? Qual a relação entre ambos?

É provável que muita gente conheça os NFTs, regularmente confundidos com “arte digital”. A ação ganhou força após Stephen Curry, astro da NBA, e...
Plataformas NFT e Ethereum empresas

Empresas listadas na bolsa apostam no mercado de NFT

O crescimento do mercado de NFTs tem quebrado barreiras mais rápido do que outros recursos relacionados a blockchain. Hoje até mesmo grandes empresas, listadas...
Dúvida sobre o Bitcoin ser caçado pela China

Mineradores brasileiros comentam banimento de Bitcoin pela China

A proibição de Bitcoin pela China nos últimos dias abalou o mercado, com muitas pessoas ficando preocupadas com isso, menos dois mineradores brasileiros que...
.

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias