Gaeco prende seis pessoas por golpes com criptomoedas

Investidores ganhavam até certificado após depósitos no golpe.

Siga no
Algemas e Bitcoin golpe
Algemas e Bitcoins

O Gaeco em São Paulo prendeu seis pessoas acusadas de aplicar golpes com criptomoedas em cidades da região metropolitana do estado, causando prejuízos de milhões para as vítimas.

A operação que contou com apoio da Polícia Civil de São Paulo foi batizada de CriptoGolpe, e já investigava os suspeitos que utilizavam empresas como fachada para receber investimentos.

Os golpes com uso da imagem das criptomoedas ganharam força no Brasil nos últimos anos. Isso porque, com o Bitcoin registrando uma grande valorização, estelionatários viram uma oportunidade de associar ganhos fáceis com a realidade dessa moeda digital.

Gaeco prende seis pessoas em Operação CriptoGolpe, que visava suspeitos de criarem golpes com criptomoedas em São Paulo

Os agentes da polícia civil de São Paulo saíram as ruas para cumprir dez mandados de prisão temporária e busca e apreensão contra vários suspeitos, na última quarta-feira (1).

Os alvos da operação estavam nas cidades de Sorocaba, Votorantim, Araçoiaba da Serra, Barueri e São Paulo. Vários documentos foram apreendidos na ação, que deverá ajudar a polícia civil e o Ministério Público estadual a entender mais sobre o funcionamento desse golpe, que ainda não teve muitos detalhes revelados.

Materiais apreendidos em golpe com criptomoedas
Materiais apreendidos em golpe com criptomoedas/Divulgação

Além disso, foram apreendidos veículos de luxo dos suspeitos, equipamentos eletrônicos, entre outros itens, como um certificado de investimento que era dado as vítimas após realizarem aportes no esquema.

Golpe dava certificado para vítimas criptomoedas gaeco
Golpe dava certificado e moedas físicas para vítimas/Divulgação

As investigações preliminares do MPSP apontam que o grupo oferecia rendimentos mensais de 10% ao mês, após investidores comprarem criptomoedas com empresas do grupo.

“O grupo garantiu visibilidade e capacidade de iludir investidores ao fazer propaganda em nome do Criptbank S/A, Criptbank Holding Investimentos Negócios e Participações e da Gasull Investimentos Ltda.”

Golpistas tinham experiência no mercado de investimentos brasileiro

O MPSP divulgou que o grupo de empresas e pessoas envolvidos com esse golpe de criptomoedas, que viu 6 pessoas serem presas, podem ter causados prejuízos de milhões de reais para investidores de várias cidades.

Além disso, chama atenção que esses presos tinham experiência no mercado mobiliário, o que facilitava a captação de novos investidores. Até um departamento jurídico o possível golpe tinha a sua disposição.

“A organização investigada era composta por pessoas com experiência no mercado mobiliário, responsáveis por atrair investidores, além de possuir célula jurídica. Ainda de acordo o apurado, o grupo já havia estabelecido novas empresas com o mesmo fim, visando a fazer novas vítimas.”

Três pessoas investigadas ainda seguem sendo procuradas pelas autoridades.

Um caso curioso de uma moeda física simbólica apreendida pelo Gaeco e Polícia Civil na ação é que essa faz menção a BitClub, uma pirâmide financeira que caiu nos Estados Unidos em 2019 e viu seus principais líderes serem presos, após movimentar bilhões de reais no mercado norte-americano.

Moeda com símbolo do BitClub, uma pirâmide financeira mundial
Moeda com símbolo do BitClub, uma pirâmide financeira mundial/Divulgação

Não está claro ainda se o golpe brasileiro tinha alguma ligação com o perpetuado nos EUA há dois anos, mas mostra que alguma inspiração na pirâmide estrangeira pode ter sido vista.

Na última semana, outra investigada por pirâmide encerrada pela Polícia Federal no Brasil, durante a Operação Kryptos, foi a Gas Consultoria, que também oferecia rendimentos de 10% ao mês.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.
Praia do Forte em Cabo Frio pirâmide com Bitcoin

Eagle Eyes, empresa do “Pastor do Bitcoin” em Cabo Frio suspende saques

A empresa Eagle Eyes, que operava com sede na cidade de Cabo Frio (RJ), é mais uma possível pirâmide usando a imagem das criptomoedas...

Segunda maior pool de Ethereum encerra atividades devido a restrições na China

A SparkPool, segunda maior pool de mineração de Ethereum, anunciou que encerrará suas atividades no dia 30 deste mês. Hoje a pool é responsável...

Empreendedores vs investidores, quem ganhou mais dinheiro com criptomoedas?

Qual será a melhor estratégia para ganhar dinheiro, investir direto em criptomoedas ou empreender em setores essenciais relacionados a elas? Neste artigo faremos um comparativo...
.

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias