Golpes com criptomoedas no Discord explodem: “novos Bitcoins”

Promessas de novas moedas no mercado acabam causando danos a investidores iniciantes.

Siga no
Discord. Imagem: reprodução
Discord. Imagem: reprodução

De acordo com um relatório de segurança liberado pela Kaspersky, os golpes com criptomoedas novas estão se multiplicando pela rede social Discord.

Conhecida entre gamers, o aplicativo facilita a comunicação entre pessoas, semelhante ao WhatsApp e Telegram. Contudo, com mais funcionalidades para grupos, o Discord atraiu também algumas comunidades fãs da tecnologia e até investidores.

Nos últimos anos, com o sucesso do Bitcoin, algumas pessoas começaram a inventar novas moedas no mercado. Afirmando serem projetos mais promissores, com o chamado “canto da sereia dos novos Bitcoins“, muitos acabaram se mostrando fraudes com o tempo.

Golpes com ICOs de criptomoedas se multiplicam no Discord

Comunidades de investidores em criptomoedas são criadas diariamente, mas os perigos por trás de participar de um grupo estranho pode ser fatal para iniciantes do mercado.

Isso porque, a ilusão de ganhar dinheiro fácil acaba atraindo investidores, que ao ver o desempenho passado do Bitcoin, acreditam que podem conseguir o mesmo com um projeto de moeda alternativa, as chamadas altcoins.

Vale o destaque que já existem mais de 10 mil altcoins hoje, a maior parte delas sendo sem valor, chamadas também de shitcoins. O Bitcoin, por exemplo, representa 42% deste mercado, sendo a maior moeda digital do mundo e a mais segura.

De acordo com a Kaspersky, em novo relatório de segurança, o Discord é a plataforma escolhida por alguns golpes com criptomoedas no mercado. Após oferecerem moedas de graça, os novos golpes se concentram em oferecer “novos bitcoins” para investidores potenciais.

Isso porque, com a facilidade de se criar uma moeda digital hoje, tomando apenas minutos para isso, qualquer pessoa coloca uma shitcoin para funcionar e sai oferecendo em grupos. As ofertas são sempre generosas, destacou o estudo da empresa de segurança, como se as novas moedas fossem ganhar um imenso valor de mercado, rapidamente.

Um dos projetos destacados como ICO (Oferta Inicial de Tokens) foi a Mina, que após receber uma grande quantidade de interessados, sumiu com o dinheiro dos investidores.

ICO captou recursos de investidores e depois sumiu com dinheiro
ICO captou recursos de investidores e depois sumiu com dinheiro/Reprodução

“Não confie, verifique”

Para evitar cair nos golpes com criptomoedas pelo Discord, as dicas da Kaspersky foram simples: reflita e analise. Ou seja, levando a filosofia do “Não confie, Verifique”, novos investidores poderão sair de furadas, sem prejuízos.

Desde 2017, quando os ICOs ganharam fama no mercado de criptomoedas, milhares de projetos novos surgiram. Alguns afirmam serem melhores que o Bitcoin, outros que Ethereum, mas não costumam durar muito tempo.

Para evitar cair em golpes assim, o recomendável é estudar sobre a tecnologia do Bitcoin, procurando ajuda em comunidades sérias da moeda digital.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.

Dono da maior corretora de criptomoedas da Rússia é preso

Dmitry Vasiliev, ex-CEO e fundador da exchange de criptomoedas da Rússia, Wex, foi preso no começo de agosto pela Interpol e levado para um...
Bitcoin regulação. Imagem: ShutterStock

Mais de 60 corretoras de bitcoin deixarão de funcionar na Coreia do Sul

A Comissão de Serviços Financeiros (FSC) da Coreia do Sul, como muitas outras jurisdições, está aumentando o cerco regulatório em relação as corretoras do...
Gráfico de preço da Cardano em alta

99% dos contratos inteligentes da Cardano continuam inativos

A atualização da rede Cardano para que ela passasse a ter contratos inteligentes foi um dos momentos mais aguardados pelos investidores da moeda digital....

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias