Hillary Clinton acredita que criptomoedas são refúgio de russos às sanções

Hillary Clinton em conversa com MSNBC
Hillary Clinton em conversa com MSNBC

Em entrevista ao MSNBC nesta terça-feira (1), Hillary Clinton, ex-primeira dama e senadora dos EUA, afirmou que as sanções a Rússia devem se estender ao campo das criptomoedas, caso contrário serão usadas como refúgio entre russos.

Sua fala acontece enquanto diversos países respondem à Rússia com sanções para enfraquecer sua economia enquanto suas tropas seguem invadindo seu país vizinho, a Ucrânia.

Embora seja difícil acreditar que um país como a Rússia adote o Bitcoin, o tamanho da maior criptomoeda do mundo mostra haver espaço para abrigar milhões de refugiados, principalmente aqueles que não estão interessados nesta guerra.

Hillary está desapontada com exchanges

Embora grande parte da comunidade esteja disposta a ajudar a Ucrânia, o pedido de alguns para dificultar a vida dos russos parece estar ultrapassando os limites. Afinal, nem todos estão apoiando esta guerra.

Como exemplo, podemos citar o pedido da própria Ucrânia à Binance para que ela bloqueasse contas de cidadãos russos. Tal pedido foi negado pela exchange.

Contudo, nem todos estão felizes com essa abordagem. Uma dessas pessoas é a ex-primeira dama dos EUA, Hillary Clinton. Em entrevista à MSNBC nesta terça-feira (1), Hillary mostrou-se desapontada com tais empresas.

“Fiquei desapontada ao ver que algumas das chamadas exchanges de criptomoedas, nem todas, mas algumas delas, estão se recusando a encerrar ligações com a Rússia devido a algumas, não sei, filosofia do libertarianismo ou qualquer outra coisa.”

Seguindo, a ex-senadora americana declara ser preciso que todos façam o máximo possível para isolar as atividades econômicas da Rússia no momento. Obviamente isso inclui o uso de criptomoedas, principalmente por certos grupos de bilionários.

Rússia poderia adotar o Bitcoin como moeda?

Com sua moeda local chegando a uma desvalorização de 35% nos últimos 7 dias em relação ao dólar, o rublo russo não parece oferecer mais nenhuma estabilidade tanto ao seu governo quanto aos seus cidadãos devido às sanções internacionais.

Dito isto, algumas pessoas como Hillary Clinton acreditam que o Bitcoin possa ser usado para não apenas driblar tais sanções como também servir como uma proteção de capital conforme é uma moeda global, incensurável e sem um país emissor.

Embora seja difícil acreditar que uma economia do tamanho da Rússia possa migrar para o Bitcoin, boa parte de sua população pode preferir usar um dinheiro apolítico.

Além disso, a recente desvalorização do rublo russo fez com até mesmo o Bitcoin o ultrapassasse em capitalização de mercado. Embora seja uma métrica rasa, isso mostra a dimensão da maior criptomoeda do mundo.

Bitcoin ultrapassa rublo russo. Fonte: CoinMarketCap

Portanto, certamente o Bitcoin pode ajudar os russos, contudo ele ajudará principalmente aqueles que não tem apego ao Estado. Ou seja, aqueles que sabem que esta guerra não é sua.

Compre Bitcoin na Coinext

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br.



Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Henrique Kalashnikov
Formado em desenvolvimento web há mais de 20 anos, Henrique Kalashnikov encontrou-se com o Bitcoin em 2016 e desde então está desvendando seus pormenores. Tradutor de mais de 100 documentos sobre criptomoedas alternativas, também já teve uma pequena fazenda de mineração com mais de 50 placas de vídeo. Atualmente segue acompanhando as tendências do setor, usando seu conhecimento para entregar bons conteúdos aos leitores do Livecoins.

Últimas notícias