Cresce número de imóveis sendo vendidos no Mercado Livre por Bitcoin

Compras ainda disponíveis apenas na Argentina despertam interesse de anunciantes.

Siga no
Plataforma do Mercado Livre para imóveis com Bitcoin
Plataforma do Mercado Livre para imóveis com Bitcoin/Reprodução

O número de imóveis listados no Mercado Livre (ML), disponíveis para compra com Bitcoin, está aumentando desde que plataforma deu suporte a moeda digital.

Há cerca de um mês, o Mercado Livre ganhou notoriedade com a compra de R$ 40 milhões em Bitcoin. O anúncio não foi feito diretamente pela empresa, que possui sede na Argentina, mas em comunicado aos acionistas, publicado no site da SEC, a CVM dos Estados Unidos.

Poucos dias antes de anunciar sua entrada no mercado os fãs da empresa já aguardavam um anúncio do tipo, visto que o CEO e fundador, Marcos Galperin, é um entusiasta do Bitcoin. Apesar disso, as compras estão disponíveis apenas na Argentina.

Adoção do Bitcoin em venda de imóveis pelo Mercado Livre cresce

A plataforma do Mercado Livre para venda de imóveis com Bitcoin já tem mais de 600 anúncios em menos de dois meses de seu lançamento. Com preços variando entre US $ 7 mil e US$ 300 mil, em diversas cidades do país, a plataforma é apenas um exemplo da grande adoção da moeda digital no país.

Nos últimos dias, o Banco Central da Argentina disse que a procura por Bitcoin não é grande no país. Contudo, ao ver o crescimento de anúncios em troca da moeda digital, há dúvidas quanto a veracidade das informações publicada pelo BCA.

O caso de uso do Mercado Livre ainda está restrito a imóveis, mas o país vê o surgimento de outras plataformas dedicadas a outros produtos.

Chamada de Crypto Avisos, a plataforma promete ser uma OLX (que também é Argentina), das criptomoedas, também criada há apenas alguns meses.

Nessa plataforma, por exemplo, são negociados imóveis, carros, motos, celulares, entre outros produtos, tudo em troca das moedas digitais.

A Crypto Avisos, diferente do Mercado Livre, também aceita negociações com stablecoins, como o dólar Tether ou DAI. Desde que foi fundada, já houve um aumento de três vezes o número de anúncios, deixando claro que há o interesse em receber por um produto em criptomoedas, além de alcançar a marca de mil usuários registrados nos últimos dias.

Como a Argentina sofre atualmente com inflação, o uso das criptomoedas acaba sendo uma válvula de escape para que a população se proteja do efeito devastador da diminuição do poder de compra.

No Brasil o Mercado Livre ainda não disponibilizou o Bitcoin como meio de pagamento, mas pode até acontecer em breve com a expansão do serviço.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.

Dono da maior corretora de criptomoedas da Rússia é preso

Dmitry Vasiliev, ex-CEO e fundador da exchange de criptomoedas da Rússia, Wex, foi preso no começo de agosto pela Interpol e levado para um...
Bitcoin regulação. Imagem: ShutterStock

Mais de 60 corretoras de bitcoin deixarão de funcionar na Coreia do Sul

A Comissão de Serviços Financeiros (FSC) da Coreia do Sul, como muitas outras jurisdições, está aumentando o cerco regulatório em relação as corretoras do...
Gráfico de preço da Cardano em alta

99% dos contratos inteligentes da Cardano continuam inativos

A atualização da rede Cardano para que ela passasse a ter contratos inteligentes foi um dos momentos mais aguardados pelos investidores da moeda digital....

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias