Líder da Telexfree será extraditado para os EUA para ser julgado

A Telexfree continua sendo um dos maiores casos de esquemas Ponzi do Brasil e até mesmo dos EUA. Até hoje há um legado da empresa, com prisões sendo realizadas ainda esse ano em relação ao esquema.

-

Siga no
Anúncio

O Supremo Tribunal Federal determinou que Carlos Wanzeler, infame co-criador e líder da Telexfree seja extraditado para os Estados Unidos para responder à justiça do país norte-americano. Wanzeler é o segundo brasileiro da história a ser extraditado.

A decisão da Suprema Corte foi tomada no dia 21 deste mês, com publicação no dia 25. De acordo com a nota, a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) autorizou a extradição do empresário Carlos Nataniel Wanzeler, um dos proprietários da empresa.

De acordo com o documento, a extradição foi elaborada pelo governo dos EUA, onde o empresário é acusado de fraude eletrônica, lavagem de dinheiro e conspiração pelo esquema Ponzi da Telexfree, um dos maiores esquemas de pirâmide na história.

Anúncio

A extradição segue algumas regras. Primeiro ela só foi aceita no que diz respeito ao delito de fraude eletrônica, no qual foi verificado a dupla tipicidade legislativa, ou seja, o âmbito penal nos dois países é similar.

Além disso, como condição para a extradição, o STF estabeleceu que os EUA devem assumir, em caráter formal, perante o governo brasileiro, o compromisso de não impor, quanto a todos os delitos, pena privativa de liberdade que ultrapasse 30 anos de prisão em seu cômputo individual.

O STF também ressaltou que as investigações nos EUA não possuem nenhuma relação com o julgamento aqui no Brasil, onde o empresário ainda não foi condenado e nem absolvido.

Líder da Telexfree perdeu a cidadania brasileira

Wanzeler ao lado de sua esposa – Reprodução: Facebook

De acordo com a lei brasileira, cidadãos do Brasil não podem ser extraditados para responder por crimes em outros países. Wanzeler perdeu o seu direito a cidadania em fevereiro desse ano. Ele vinha brigando para continuar sendo um cidadão do país desde 2018, o que evitaria que ele tivesse que responder à lei dos EUA.

Dias após perder a cidadania, Wanzeler foi preso através de um mandado de prisão feita por autoridades norte-americanas.

Em março de 2017 o parceiro de Wanzeler e também operador da Telexfree, James Merrill, foi sentenciado a seis anos de prisão pela justiça dos EUA. É de se esperar que Wanzeler tenha uma pena similar.

A Telexfree continua sendo um dos maiores casos de esquemas Ponzi do Brasil e até mesmo dos EUA. Até hoje há um legado da empresa, com prisões sendo realizadas ainda esse ano em relação ao esquema.

Siga o Livecoins no Google News para receber nossas notícias em tempo real.
Curta nossa página no Facebook e também no Twitter.
Receba também no email se cadastrando em nossa Newsletter.
Avatar
Matheus Henrique
Fã do Bitcoin e defensor de um futuro descentralizado. Cursou Ciência da Computação, formado em Técnico de Computação e nunca deixou de acompanhar as novas tecnologias disponíveis no mercado. Interessado no Bitcoin, na blockchain e nos avanços da descentralização e seus casos de uso.

Leia mais

Leia mais sobre:

Últimas notícias

PF pode usar blockchain para identificar pessoas

Uma ferramenta blockchain que identifica pessoas será apresentada para delegados da PF, que pode começar a usar solução caso interesse. Na tarde desta quarta-feira (21),...

Trader de Bitcoin foi preso após fraudar auxílio emergencial

Um alegado trader de Bitcoin brasileiro foi preso em operação policial após suspeitas de que ele fraudou o auxílio emergencial. O caso aconteceu na...

Coluna do TradingView: BTC rompe os 12k

Segundo teste em 12mil dólares em 65 dias. Confira o que estão pensando os analistas do TradingView ESID Por incrível que pareça, o gráfico mensal do...