Multas aplicadas pela CVM aumentam quase 400% no 1º trimestre

Entre janeiro e março, a autarquia multou em R$ 906 milhões empresas e pessoas físicas

Siga no
Foto: Divulgação/EBC

No primeiro trimestre de 2020, a CVM (Comissão de Valores Mobiliários) aplicou R$ 906 milhões em multas a acusados de atuação irregular no mercado de capitais.

O valor é quase 400% maior do que o registrado no mesmo período de 2019, quando as punições aplicadas pela autarquia somaram R$ 183 milhões.

As informações fazem parte do Relatório de Atividade Sancionadora, divulgado na tarde da quinta-feira (11).

Autarquia multou 53 acusados

De acordo com o documento da CVM, entre janeiro e março foram realizados 11 julgamentos de processos abertos para investigar empresas e pessoas físicas suspeitas de atuação irregular.

Nessas audiências, 53 acusados (entre pessoas e empresas) foram multados, quatro advertidos, oito inabilitados, dois suspensos, dois foram objeto de proibições e 26 foram absolvidos.

24 propostas de encerramento de processos foram analisadas, inclusive a da Unick Forex

A CVM também informou que, no mesmo período, analisou 24 Termos de Compromisso de empresas e pessoas físicas. A celebração desse documento é uma das formas de encerrar processos abertos pela autarquia.

Uma dos termos apreciados foi a da Unick Forex, empresa gaúcha investigada por prática de pirâmide financeira e crimes contra o sistema financeiro nacional. O termo de compromisso do suposto esquema fraudulento foi rejeitado.

Alertas ao mercado e abertura de processos

A autarquia também divulgou que, entre janeiro e março, iniciou 25 procedimentos administrativos investigativos. Desse total, oito foram inquéritos administrativos, 16 termos de acusação de rito ordinário e um termo de acusação de rito simplificado.

No mesmo período, o órgão informou que concluiu 22 Processos Administrativos que resultaram em algum tipo de acusação e “evoluíram” para Processos Administrativos Sancionadores.

O Processo Administrativo é um procedimento instaurado para averiguar (preliminarmente) empresas e pessoas suspeitas. Se nessas análises superficiais o órgão encontrar indícios de fraude, aí sim eles se transformam em sancionadores e passam a ser analisados em julgamentos.

Um dos julgamentos recentes foi o da G44 Brasil, que oferecia pacotes de investimentos sem autorização da CVM. O suposto esquema foi multado em R$ 750 mil.

CVM também fez 118 emissões de ofícios de alerta

Além das aberturas de processos, a CVM também informou que fez 118 emissões de ofícios de alertas.

Esses alertas são “instrumentos educativos que comunicam sobre irregularidades observadas e, se for o caso, determinam prazo para a correção do problema sem a abertura de procedimento sancionador”, segundo o órgão.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Leia mais sobre:
Lucas Gabriel Marins
Lucas Gabriel Marins
Jornalista desde 2010. Escreve para Livecoins e UOL. Já foi repórter da Gazeta do Povo e da Agência Estadual de Notícias (AEN).
Departamento de Tesouro dos Estados Unidos

Departamento do Tesouro dos EUA quer ferramenta para rastrear Bitcoin

A agência dos Estados Unidos responsável pela implementação de sanções contra empresas, parte do Departamento do Tesouro, quer uma ferramenta capaz de rastrear o...
Polícia investiga negócio de criptomoedas no ES

Corretora cripto é alvo de operação policial por fraude bilionária

A polícia da Coreia do Sul realizou uma operação em diversos escritórios de uma corretora de criptomoedas após a empresa ter sido acusada de ser...
Criptomoeda Ethereum mãe do DeFi

Banco Central dos EUA elogia Ethereum e inovação com DeFi

O Banco Central dos Estados Unidos de St. Louis publicou um artigo elogiando as inovações da plataforma Ethereum. Ao criar aplicações bancárias com tokens,...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias