Multas aplicadas pela CVM aumentam quase 400% no 1º trimestre

Entre janeiro e março, a autarquia multou em R$ 906 milhões empresas e pessoas físicas

-

Siga no
Foto: Divulgação/EBC
Anúncio

No primeiro trimestre de 2020, a CVM (Comissão de Valores Mobiliários) aplicou R$ 906 milhões em multas a acusados de atuação irregular no mercado de capitais.

O valor é quase 400% maior do que o registrado no mesmo período de 2019, quando as punições aplicadas pela autarquia somaram R$ 183 milhões.

As informações fazem parte do Relatório de Atividade Sancionadora, divulgado na tarde da quinta-feira (11).

Autarquia multou 53 acusados

Anúncio

De acordo com o documento da CVM, entre janeiro e março foram realizados 11 julgamentos de processos abertos para investigar empresas e pessoas físicas suspeitas de atuação irregular.

Nessas audiências, 53 acusados (entre pessoas e empresas) foram multados, quatro advertidos, oito inabilitados, dois suspensos, dois foram objeto de proibições e 26 foram absolvidos.

24 propostas de encerramento de processos foram analisadas, inclusive a da Unick Forex

A CVM também informou que, no mesmo período, analisou 24 Termos de Compromisso de empresas e pessoas físicas. A celebração desse documento é uma das formas de encerrar processos abertos pela autarquia.

Uma dos termos apreciados foi a da Unick Forex, empresa gaúcha investigada por prática de pirâmide financeira e crimes contra o sistema financeiro nacional. O termo de compromisso do suposto esquema fraudulento foi rejeitado.

Alertas ao mercado e abertura de processos

A autarquia também divulgou que, entre janeiro e março, iniciou 25 procedimentos administrativos investigativos. Desse total, oito foram inquéritos administrativos, 16 termos de acusação de rito ordinário e um termo de acusação de rito simplificado.

No mesmo período, o órgão informou que concluiu 22 Processos Administrativos que resultaram em algum tipo de acusação e “evoluíram” para Processos Administrativos Sancionadores.

O Processo Administrativo é um procedimento instaurado para averiguar (preliminarmente) empresas e pessoas suspeitas. Se nessas análises superficiais o órgão encontrar indícios de fraude, aí sim eles se transformam em sancionadores e passam a ser analisados em julgamentos.

Um dos julgamentos recentes foi o da G44 Brasil, que oferecia pacotes de investimentos sem autorização da CVM. O suposto esquema foi multado em R$ 750 mil.

CVM também fez 118 emissões de ofícios de alerta

Além das aberturas de processos, a CVM também informou que fez 118 emissões de ofícios de alertas.

Esses alertas são “instrumentos educativos que comunicam sobre irregularidades observadas e, se for o caso, determinam prazo para a correção do problema sem a abertura de procedimento sancionador”, segundo o órgão.

Siga o Livecoins no Google News para receber nossas notícias em tempo real.
Curta nossa página no Facebook e também no Twitter.
Receba também no email se cadastrando em nossa Newsletter.
Leia mais sobre:
Lucas Marins
Lucas Marins
Jornalista desde 2010. Escreve para Livecoins e UOL. Já foi repórter da Gazeta do Povo e da Agência Estadual de Notícias (AEN).

Finanças Descentralizadas (DeFi) caem 40%, será o fim?

Nos últimos dias assistimos um massacre das moedas de finanças descentralizadas (DeFi), com quedas entre 30% e 58%. Talvez você não tenha acompanhado a...
Bitcoin em corretoras de criptomoedas

Trader veterano que viu queda no Brasil gosta do Bitcoin

Com o preço do Bitcoin operando abaixo de U$ 12 mil em setembro, a contrapartida foi o aumento da volatilidade no início do mês....
Itau demissão criptomoedas

Itaú demite por justa causa funcionário que negociava Bitcoin no horário de expediente

O Itaú Unibanco demitiu por justa um analista de sistemas que, de acordo com a empresa, negociava Bitcoin e outras criptomoedas durante o horário...

Últimas notícias

Pioneira, gestora carioca lança primeiro ETF de criptomoedas do mundo

A gestora Hashdex, sediada no Rio de Janeiro (RJ), informou nesta semana que recebeu aprovação para lançar o primeiro ETF (sigla para fundo negociado...

Trader veterano que viu queda no Brasil gosta do Bitcoin

Com o preço do Bitcoin operando abaixo de U$ 12 mil em setembro, a contrapartida foi o aumento da volatilidade no início do mês....

Itaú demite por justa causa funcionário que negociava Bitcoin no horário de expediente

O Itaú Unibanco demitiu por justa um analista de sistemas que, de acordo com a empresa, negociava Bitcoin e outras criptomoedas durante o horário...