Possível pirâmide que gerou prejuízo de R$ 2 mi é investigada pela Polícia de Uberlândia

Dono da Axe Trader e outras seis pessoas estão sendo investigadas

Siga no
Foto: Reprodução/TV Integração

A Polícia Civil de Uberlância, em Minas Gerais, abriu um inquérito para investigar a Axe Trader, empresa mineira que oferecia lucros mensais de até 15% obtidos por meio de investimentos no mercado financeiro. A informação é da Globo.

Segundo o delegado do 9º Departamento de Policia Civil de Uberlândia, Marcos Tadeu de Brito, que investiga o caso, a empresa pode ter gerado prejuízo de pouco mais de R$ 2 milhões aos investidores. Um deles chegou a investir R$ 380 mil.

“De 10 a 12 pessoas, que acreditaram no dinheiro e no lucro fácil, já nos procuraram trazendo a notícia desse ‘pseudo crime’ ou golpe financeiro que ocorreu aqui na nossa cidade. Nosso levantamento dá algo em torno de R$ 2,2 milhões”, disse Tadeu.

Investidor da Axe Trader diz que caiu no conto do vigário

O cliente que investiu R$ 380 mil disse à reportagem da Globo que procurou informações sobre a Axe Trader e até conversou com outros investidores, mas acabou caindo no “conto do vigário”.

“Pro ‘cê’ investir um capital desse, você na verdade tem que investigar a empresa de cabo a rabo, CNPJ, CPF do proprietário e isso eu fiz.

Conversei com várias pessoas que estavam investindo há bastante tempo e eles estavam pagando certinho. E aí fui pegando confiança e acabai colocando o dinheiro. Só que quando coloquei o dinheiro, acabei caindo no conto do vigário”, disse.

Segundo a vítima, o investimento foi feito em agosto deste ano e a primeira parcela deveria ser paga já no mês seguinte, conforme promessa da empresa, mas não foi isso que aconteceu. “Eles foram enrolando, enrolando e enrolando”.

Dono da Axe Trader e outras seis pessoas estão sendo investigadas

A reportagem mostrou que a empresa, que afirmava vender cursos de day trade, está fechada desde o final de novembro.

O proprietário é Ronan Cassiano da Silva, famoso no mercado financeiro. Além dele, outras seis pessoas ligadas ao negócio também estão sendo investigadas pela polícia mineira.

Em nota divulgada à reportagem da Globo, a defesa de Silva disse que os pagamentos atrasados serão feito em até quatro meses. Para que isso ocorra, falou, os clientes precisam enviar e-mail para a empresa com os dados pessoais.

Informou, ainda, que já protocolou no Ministério Público e na Polícia Civil os documentos dos responsáveis pela empresa e já entregou até o passaporte deles.

Leia mais sobre:
Lucas Gabriel Marins
Lucas Gabriel Marins
Jornalista desde 2010. Escreve para Livecoins e UOL. Já foi repórter da Gazeta do Povo e da Agência Estadual de Notícias (AEN).

Governo da Ucrânia ensina bitcoin para população

O Ministério da Transformação Digital da Ucrânia criou uma campanha para ensinar  bitcoin, blockchain e criptomoedas para a população. Os vídeos foram desenvolvidos em...

Impressora de dinheiro ligada: BC aumentou em quase 50% base monetária em 12 meses

O Banco Central do Brasil imprimiu muito dinheiro nos últimos doze meses, inflando a base monetária do país. De acordo com o BC houve...
BCHA-51-attack

Grupo anônimo de baleias lança ataque 51% contra fork do Bitcoin Cash

A rede da criptomoeda Bitcoin Cash ABC (BCHA), que surgiu no meio do mês como resultado de um hard fork do Bitcoin Cash, está...

Últimas notícias

Impressora de dinheiro ligada: BC aumentou em quase 50% base monetária em 12 meses

O Banco Central do Brasil imprimiu muito dinheiro nos últimos doze meses, inflando a base monetária do país. De acordo com o BC houve...

Grupo anônimo de baleias lança ataque 51% contra fork do Bitcoin Cash

A rede da criptomoeda Bitcoin Cash ABC (BCHA), que surgiu no meio do mês como resultado de um hard fork do Bitcoin Cash, está...

30 bilionários possuem bitcoin, mas não falam sobre isso, revela milionário do Twitter

O multimilionário filantrópico Bill Pulte, apelidado de "Bitcoin Bill" após sua entrada no mercado de bitcoin em dezembro de 2019, afirmou em uma live...