Professor doa Bitcoin para seus alunos

Terminando com uma citação do autor do tópico do Reddit: "Pessoas assim é que fazem a blockchain realmente ser adotada, não bancos e corporações que estão usando essa tecnologia".

Pilha de Bitcoins moeda digital
Pilha de Bitcoins

A melhor forma para aprender sobre uma nova tecnologia funciona é usando-a. Esta foi a forma que o professor Christopher Wilmer usou para educar as pessoas sobre Bitcoin, doando frações da moeda digital para seus alunos.

O caso foi relatado no Reddit pelo usuário alexb_090 e exemplifica bem como a adoção do Bitcoin começou, atingindo uma pessoa de cada vez, mostrando na prática como é fácil usar a criptomoeda.

Esta cultura que surgiu em 2010 com faucets de bitcoin ainda perdura nos dias de hoje onde é possível encontrar pessoas doando bitcoin para novatos que ainda não tiveram um primeiro contato com a tecnologia.

Incentivo à adoção

O comunidade do Bitcoin possui uma cultura muito filantrópica. Ainda em 2010 Gavin Andresen criou o primeiro faucet de Bitcoin, que dava 5 BTC para cada usuário, esta prática se expandiu pela história conforme sites conseguiam receita para cobrir suas despesas.

Outro caso interessante foi relatado pelo usuário alexb_090 no Reddit, ele relata que seu professor é um early adopter, que comprou bitcoin em 2010, e que ao longo dos anos distribui a moeda digital para seus alunos durante seus seminários sobre criptomoedas.

“Sou um estudante universitário do terceiro ano e recentemente tive um professor que comprou o Bitcoin em 2010. Ele não pode nos dizer quanto, mas obviamente é uma quantia significativa. Como eu sei? Porque todos os anos, ele faz um seminário sobre criptomoedas e dá Bitcoin para todos os alunos que enviarem suas carteiras. No ano passado, havia cerca de 350 alunos no seminário, e ele deu a cada um de nós 10 dólares. Então, claramente, ele não está sofrendo por dinheiro.”

Relato de estudante sobre professor que distribui BTC. Fonte: RedditEle também conta que Christopher Wilmer, seu professor, costumava dar moedas físicas de bitcoin à alguns alunos sortudos. Wilmer também escreve artigos científicos para o Ledger, site dedicado a estudos acadêmicos sobre criptomoedas.

Além disso, em 2014 Wilmer também escreveu o livro Bitcoin for the Befuddled, ou Bitcoin para os Confusos, em tradução literal. O livro é bem completo, pois explica vários conceitos, desde o nível básico até mais avançado, sobre o Bitcoin e assim como o livro Mastering Ethereum, também foi publicado pela O’Reilly.

Riqueza cultural

Hoje o Bitcoin é aceito como forma de doação por várias entidades. Como exemplo nós podemos citar a Wikileaks, ProtonMail, Wikimidia (dona da Wikipedia) e a Binance Charity, além de projetos de código aberto como o OpenOffice e o Blender.

Embora muitas doações do passado para empresas ou indivíduos possam ter se tornado uma fortuna conforme o Bitcoin ultrapassa a marca de 60 mil dólares, estas doações representam um valor muito maior pois ajudam o financiamento de projetos e o primeiro contato com o Bitcoin por algumas pessoas.

A aposta do Twitter em usar o Bitcoin em seu novo recurso de doações parece ter sido uma escolha óbvia. Agora seus usuários podem contribuir com geradores de conteúdo, usando a lightning network, e sem pagar taxas adicionais.

Mesmo após o Bitcoin ter atingido as massas, ainda é possível encontrar pessoas que usam esta prática para que outras tenham um primeiro contato com a moeda. Em especial no fórum Bitcointalk onde periodicamente podem ser encontrados tópicos de sorteios e doações.

Terminando com uma citação do autor do tópico do Reddit: “Pessoas assim é que fazem a blockchain realmente ser adotada, não bancos e corporações que estão usando essa tecnologia”.

Compre Bitcoin na Coinext

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br.



Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Henrique Kalashnikov
Formado em desenvolvimento web há mais de 20 anos, Henrique Kalashnikov encontrou-se com o Bitcoin em 2016 e desde então está desvendando seus pormenores. Tradutor de mais de 100 documentos sobre criptomoedas alternativas, também já teve uma pequena fazenda de mineração com mais de 50 placas de vídeo. Atualmente segue acompanhando as tendências do setor, usando seu conhecimento para entregar bons conteúdos aos leitores do Livecoins.

Últimas notícias