Proposta de banir NFTs no Bitcoin gera discursão acalorada entre desenvolvedores

Falando sobre o assunto, Luke Dashjr afirmou que o assunto não está encerrado: “A filtragem de spam não morre até que o spam morra.”

Uma proposta de atualização recente envolvendo o Bitcoin tem gerado um debate acalorado na comunidade da moeda digital. O desenvolvedor Luke Dashjr, conhecido por seu trabalho com o Bitcoin por mais de uma década, esteve no centro da discussão ao apresentar uma proposta que poderia banir os NFTs do Bitcoin.

O cerne da questão gira em torno do protocolo Ordinals, introduzido há alguns meses, que permitiu aos usuários inscrever dados na blockchain do Bitcoin, como NFTs e novos tokens.

Os ordinals trouxeram uma mudança para o Bitcoin, que até então era predominantemente usado como uma rede de pagamentos peer-to-peer. A popularidade dos NFTs baseados em Bitcoin disparou, comprovado pela venda de um ativo por cerca de US$ 450.000 na casa de leilões Sotheby’s.

No entanto, o projeto Ordinals não veio sem seus desafios. A rede Bitcoin enfrentou congestionamentos devido à popularidade do novo protocolo, levantando preocupações sobre a eficácia e a finalidade original da rede da moeda digital.

Proposta de banir NFTs no Bitcoin é encerrada

A proposta de Dashjr, apresentada no Github, visava atualizar o Bitcoin para adaptá-lo aos novos estilos de transporte de dados. Embora parecesse um objetivo técnico e direto, a discussão rapidamente se transformou em um debate mais amplo: a blockchain do Bitcoin deve ser preservada como uma rede de pagamentos, ou as forças de mercado deveriam determinar suas funcionalidades?

Mesmo entre os especialistas que defendem uma visão mais purista do Bitcoin, havia ceticismo quanto à viabilidade da proposta de Dashjr, particularmente em relação à sua aceitação pelos mineradores de Bitcoin, que são essenciais para o funcionamento da rede e que se beneficiaram das taxas geradas pelo novo protocolo.

A controvérsia atingiu um ponto crítico quando Ava Chow, uma das mantenedoras do Bitcoin Core, encerrou abruptamente a discussão sobre a proposta de Dashjr, sem adotar qualquer ação para incorporar o novo código. A decisão foi justificada com base na natureza controversa da proposta e na falta de consenso dentro da comunidade.

A proposta de Dashjr visava impor limites rigorosos ao tamanho dos dados nas transações Bitcoin, em uma tentativa de banir as transações Ordinals.

Lisa Neigut, desenvolvedora da Blockstream, afirmou que a proposta era uma maneira sofisticada de atingir esse objetivo, embora houvesse um forte debate sobre se seria possível ou desejável implementar tais proibições.

A resposta de Dashjr foi rápida. Ele alegou censura por parte de Chow e manteve sua posição de que a proposta ainda era relevante e necessária para lidar com o que ele via como “ataque de spam” no Bitcoin.

Filtragem de spam não morre até que o spam morra, diz Luke Dashjr

Dashjr, que recentemente atraiu atenção com a arrecadação de US$ 6,2 milhões para sua empresa Mummolin, liderada por Jack Dorsey, fundador da Block Inc., continua a ser uma figura importante na comunidade Bitcoin.

Sua proposta e as respostas subsequentes refletem as tensões em andamento sobre a direção e o propósito do Bitcoin.

Curiosamente, a empresa Ocean, uma conhecida pool de mineração de Bitcoin, sinalizou que poderia adotar o projeto de Dashjr para filtrar transações envolvendo inscrições Ordinais.

Essa posição indica um possível apoio à visão de Dashjr dentro da comunidade de mineração, apesar da controvérsia.

O debate em torno da proposta de Dashjr ilustra a complexidade e a evolução contínua do mundo do Bitcoin, enquanto alguns defendem a preservação de sua essência original.

Falando sobre o assunto, Luke Dashjr afirmou que o assunto não está encerrado: “A filtragem de spam não morre até que o spam morra.”

 

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na maior corretora de criptomoedas do mundo e ganhe até 100 USDT em cashback. Acesse Binance.com

Entre no nosso grupo exclusivo do WhatsApp | Siga também no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Vinicius Golveia
Vinicius Golveia
Formado em sistema da informação pela PUC-RJ e Pós-graduado em Jornalismo Digital. Conhece o Bitcoin desde 2014, atuando como desenvolvedor de blockchain em diversas empresas. Atualmente escreve para o Livecoins sobre assuntos de criptomoedas. Gosta de cultura POP / Geek. Se não estiver escrevendo notícias relevantes, provavelmente está assistindo alguma série.

Últimas notícias